http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

QUEREM ACABAR COM A APOSENTADORIA

sábado, 7 de agosto de 2010

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A BATERIA DO SEU CELULAR E DOS EQUIPAMENTOS MODERNOS

A primeira carga deve seguir rigorosamente as instruções do fabricante...procure carregar pelo tempo determinado pelo manual de instruções e com o celular desligado, muita gente não segue esses passos e acaba reduzindo a vida útil da bateria.

Quando você compra um celular novo, fica doido pra chegar logo em casa e brincar com ele, certo?! Virar de cabeça pra baixo cada função, adicionar toques personalizados, fotos, enfim, deixar o aparelho recém-adquirido com a sua cara. É também nessas horas que vem a famosa pergunta: é preciso mesmo deixar o celular carregando por mais de 8 horas na primeira carga da bateria?
Antes de dar início às explicações e às respostas para a pergunta, é bom que o usuário tenha conhecimento a respeito de dois assuntos: os tipos de bateria presentes no mercado e quando uma bateria pode ser considerada viciada. Então, vamos às explicações.


Níquel e Cádmio (NiCd) – o uso dessas baterias é mais raro nos tempos de hoje, uma vez que elas são prejudicial à saúde e tem o chamado efeito memória, ou seja, viciam com facilidade;
As baterias de níquel e cádmio eram as mais usadas há alguns anos atrás para equipar celulares, porém, começaram a ser substituídas pelas baterias de NiMH e mais atualmente, pelas baterias de lítio. Está cada vez mais raro encontrar baterias NiCd equipando os modelos de celulares novos.
Apesar do seu baixo custo, um dos principais fatores que levaram os fabricantes a abandonar esse tipo de bateria é a toxicidade dos materiais utilizados na sua fabricação(cádmio) que podem causar danos ao meio ambiente e à saúde humana. Esse tipo de bateria de celular não deve ser jogado diretamente no lixo.
Outro problema das baterias de NiCd é o chamado "efeito memória". É aquele problema em que a bateria de celular, ao ser recarregada sem estar completamente esgotada, registra ("vicia") como carga total, apenas a carga restante para completar os 100% de carga. Por exemplo, se a bateria do celular for recarregada quando ainda restar 30% de carga, a bateria vai registrar como carga total apenas 70% da carga real. Por isso os manuais dos celulares indicavam que na primeira carga, deixasse o celular carregando por um longo período até que se completasse os 100%.

Níquel Metal Hidreto (NiMH) – podem ser consideradas uma melhoria nas baterias NiCd. São menos suscetíveis ao efeito memória, além de não serem tão prejudiciais. Ainda é possível encontrar alguns notebooks, câmeras digitais e celulares mais antigos com esse tipo de bateria;

As baterias de NiMH têm a vantagem de serem menos vulneráveis ao "efeito memória" e também serem menos tóxicas. Também podem armazenar mais energia se comparadas com as baterias NiCd. A desvantagem é o custo mais elevado.

Íons de Lítio (Li-ion) – são as mais comuns hoje em dia, isso porque não possuem problemas com o efeito memória. Além disso, não são tóxicas.

A mais recente dos tipos de bateria de celular citados, possui inúmeras vantagens sobre os outros tipos de bateria. Podem armazenar muito mais energia, propiciando tempo de uso maior sem necessidade de recarga, além de serem mais leves. Atualmente, a maioria dos celulares vêm equipados com esse tipo de bateria.
Outra vantagem das baterias Li-Ion é que não são afetadas pelo "efeito memória" e podem ser recarregadas sem necessidade de esperar a carga total.

Bateria “viciada”
A principal causa do chamado efeito memória é, sem dúvida, recarregar a bateria sem que ela tenha gasto toda sua carga ou então retirá-la da carga sem que esta esteja terminada por completo.
O principal “efeito” do vício de bateria é a durabilidade reduzida da carga. Ou seja, se antes o seu celular podia ficar sem carregar por cinco dias e agora você precisa dar uma carga todo dia, pode ter certeza que a bateria do aparelho está viciada. 



E A PRIMEIRA CARGA, PRECISA MESMO DEMORAR?
Essa é uma das questões mais levantadas quando se fala em bateria de celular. Na verdade não há uma regra que estabeleça o tempo da primeira carga da bateria, apenas é indicado que ela seja maior do que as demais recargas. A quantidade de horas que o aparelho deve ficar conectado à tomada no primeiro momento varia muito entre os fabricantes.



Nos celulares da Nokia, por exemplo, é indicado que as três primeiras cargas na bateriam sejam de 8 horas. Já para os aparelhos da LG e Motorola, basta que a mensagem “Carga completa” apareça na tela. Veja abaixo o tempo de carga para as marcas de celulares mais comuns no mercado:
  • Nokia: 3x de 8 horas;
  • Samsung: 1x de 4 horas;
  • Gradiente: 3x de 4 horas;
  • LG e Motorola: Até a mensagem "Carga completa" ser mostrada;
  • Sony Ericsson: 1x 3 horas;
  • Benq Siemens: 1x de 10 horas.
Vale lembrar que o celular deve estar desligado enquanto carrega, pelo menos na primeira carga da bateria. Também não é indicado retirar o aparelho da tomada, interrompendo assim o carregamento.
A melhor coisa a se fazer em situações assim é ler o manual do aparelho. Algumas empresas disponibilizam versões mais atualizadas dos livretos explicativos em suas páginas na internet e você pode acessar tudo gratuitamente.

Sendo assim, se o manual que veio com o aparelho não diz muita coisa a respeito de tempo para a primeira carga da bateria, procure nos portais de ajuda ao consumidor do fabricante. Além disso, muitos sites também contam com atendimento ao usuário online.



O bom senso também conta
Outra situação muito comum encontrada nas lojas é a de pessoas passando informações erradas para o consumidor. Quantas vezes você já ouviu, ou recebeu, instruções do tipo: “As primeiras cargas devem ser de 24 horas pelo menos.”. Pois é, o bom senso também conta muito nessas horas.
Embora muitas baterias tenham o limitador de carga, deixar um aparelho carregando por mais de 8 horas pode trazer algumas consequências, como viciar a bateria ou – em casos mais extremos, mas não raros – queimar o aparelho. Lembre-se de que qualquer coisa quando em excesso é prejudicial!


Infelizmente não há uma resposta mais concreta para a questão da primeira carga nas baterias. A tecnologia empregada em cada aparelho é diferente e, por isso, cada um exige um cuidado diferenciado. Só para deixar claro, as baterias do tipo Li-íon são mais difíceis de viciar, mas isso não significa que não aconteça.


Um celular, se bem cuidado, pode durar vários anos, salvo quando o problema é na fabricação. Seguindo algumas recomendações simples você pode gastar menos dinheiro e se livrar de várias dores de cabeças.





Conclusão

Podemos concluir que o melhor tipo de bateria de celular é a de íons de lítio, como a maioria dos aparelhos celulares de hoje em dia estão saindo com esse tipo de bateria, não há muito com o que se preocupar, porém vale sempre dar uma conferida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES