http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

domingo, 27 de fevereiro de 2011

LORENZO - Nossa Marca


A vida contemplativa.
Estatua esculpida por Michel Angelo
Retrata Lorenzo de Medici.
Igreja de São Lourenço - Florença 

Lourenço de Médici (em italianoLorenzo de' MediciFlorença1 de janeiro de 1449 – Careggi9 de abril de 1492) foi um estadista italiano, soberano de facto[1] da República Florentina durante o Renascimento italiano. Conhecido como Lourenço, o Magnífico (Lorenzo il Magnifico) por seus contemporâneos florentinos, foi um diplomatapolítico e patrono de acadêmicos, artistas e poetas. Sua vida coincidiu com alguns dos pontos altos do início do Renascimento na Itália, e sua morte marcou o fim da chamada Idade de Ouro de Florença. A paz frágil que ele ajudou a manter entre os diversos Estados italianos entrou em colapso depois de sua morte. Está enterrado na Capela Medicea, em sua cidade natal.
Lorenzo di Medici
1449 - 1492
Estadista italiano
Médici era o nome de uma grande família governante de Florença.Lorenzo, o Magnífico, foi o mais famoso dos Medici.

Lorenzo foi o filho de Pietro I Medici e neto de Cosimo de 'Medici. Ele foi bem sucedido como chefe da família após a morte de seu pai em 1469, e foi um poder se governante autocrático, que fez Florença, o Estado mais poderoso da Itália e levou-a para o seu maior florescimento. Muitos artistas do Renascimento, trabalhou em sua quadra, incluindo Leonardo da Vinci e Michelangelo.

Em 1478 ele derrotou a tentativa dos adversários, com o apoio do Papa Sisto IV, para derrubar os Medici, mas a revolta levou ao assassinato de seu irmão, Giuliano.

Maquiavel chamado de "patrono maior da literatura e da arte que qualquer príncipe jamais foi" Lorenzo de Medici.



Neto de Cosme de Médici (o Velho), era filho de Pedro de Cosme de Médici e de Lucrécia Tornabuoni. Casou-se em 4 de junho de 1469 com Clarice Orsini, chamada Leo, nascida em 1450 e morta em 20 de julho de 1488. Era filha de Giacomo Orsini di Monterotondo. Teve sete filhos, dos quais João de Lourenço de Médici (futuro Papa Leão X). Com a morte de seu pai, em 1469, Lourenço e seu irmão Juliano foram designados "príncipes do Estado" (em italiano principi dello Stato).[editar]
Biografia

O futuro parecia tranquilo até que em 1478 aconteceu a conspiração dos Pazzi, assim chamada em alusão à família envolvida no movimento, na verdade instigado pelos Salviati, banqueiros do Papa Sisto IV, inimigo dos Médicis. Foi feito um plano para matar os dois irmãos Médici no Duomo de Florença, durante a missa, em 26 de abril, um domingo de Páscoa. Juliano morreu, Lourenço escapou, embora ferido, salvo pelo poeta Poliziano, que o trancou na sacristia.
Os autores do plano, entre eles Francesco Salviati, arcebispo de Pisa, foram linchados pelo povo enfurecido. O Papa Sixto IV, cujo sobrinho Girolamo Riario era cúmplice, interditou a cidade de Florença por causa dos assassinatos de Salviati e dosPazzi, apoiado pelo rei de NápolesFernando I, conhecido como Dom Ferrante.
Sem ajuda de seus tradicionais aliados de Bolonha e Milão, Lourenço partiu sozinho para Nápoles, em 1480, colocando-se nas mãos de Don Ferrante. Este manteve Lourenço cativo durante três meses, antes de libertá-lo com muitos presentes. Graças a sua coragem e talento diplomático, Lourenço convenceu Don Ferrante de que o Papa poderia também voltar-se contra ele, caso obtivesse muito sucesso no norte. Assim, firma-se a paz ainda em 1480. Com isso, Lourenço forçava o papa a também aceitar a paz. Segundo Maquiavel, Lourenço expôs a própria vida para restaurar a paz, indo pessoalmente negociar condições favoráveis. E mesmo depois de seu êxito, recusou tudo - desejou ser apenas o mais ilustre dos cidadãos de Florença. Com exceção de Siena, toda a Toscana passara a aceitar o governo de Florença, que oferecia o espetáculo de um extenso principado, governado por uma república de cidadãos livres e iguais.
Em geral, Lourenço manteve a politica de seu avô, embora tenha sido menos prudente e mais disposto à tirania. Dotado de grande inteligência, governou em um clima de prosperidade pública, aumentando a influência de sua família por toda a Itália, e manteve as instituições republicanas em Florença, ainda que só na aparência: na verdade, Lourenço foi virtualmente um tirano. Utilizava-se de espiões, interferia na vida privada dos cidadãos mas conseguiu levar o comércio e a indústria de Florença a um nível superior ao de qualquer outra cidade da Europa.
Disseram dele:
"Dirigiu sua hábil diplomacia de modo a obter paz na península, mantendo os cinco Estados principais unidos diante da ameaça crescente de uma invasão vinda dos Alpes. Florença não poderia ter um tirano melhor ou mais agradável, e o mundo jamais viu outro patrono de artistas e letrados como ele."
Protetor de escritores, sábios e artistas, foi o impulsor das primeiras imprensas italianas. Lorenzo iniciou o movimento renascentista, que rejeita a ciência escolástica e teológica, para valorizar a pesquisa e a busca do sentido da vida, colocando o homem no centro do Universo. Seu palácio tornou-se o centro de uma cultura que, partindo da redescoberta da Antiguidade grega e latina, levou a um extraordinário florescimento das artes e das letras. Os maiores artistas e literatos frequentavam a sua corte, mas o que distinguia Lourenço de outros mecenas da época era a sua ativa participação intelectual nas atividades que promovia. Foi um elegante escritor em prosa e um poeta original. Os filósofos Marsílio Ficino e Pico della Mirandola, os poetas Pulci e Poliziano e grandes artistas como Botticelli e Ghirlandaio, eram seus hóspedes habituais. Michelangelo iniciou seus estudos em um ateliê patrocinado por Lourenço.
Retrato de Lourenço, o magnífico
A paz de Lodi (1454), que havia colocado um fim às disputas entre Veneza e Milão, havia trazido o equilíbrio entre os estados italianos. Em grande parte, tal equilíbrio foi mantido graças às habilidades diplomáticas de Lourenço, considerado "o fiel da balança". De fato, procurava proteger o eixo formado por FlorençaMilão e Nápoles das ambições venezianas e da ambiguidade papal. O clima de relativa paz também favoreceu o Renascimento.
Organizador de festas suntuosas, seus gastos excessivos puseram em perigo a fortuna dos Médici e despertaram a ira de Jerônimo Savonarola. Ao final da vida, Lourenço entrou em conflito com Savonarola, mas a lenda que este lhe recusou absolvição antes de morrer a menos que restaurasse a liberdade da cidade de Florença não é confirmada pelos historiadores.
Após sua morte, seu filho e sucessor Pedro II (Piero) (1471-1503) é expulso de Florença por uma revolta instigada por Savonarola, em 1494. O equilíbrio político é rompido e as rivalidades entre os estados italianos acabaram por dar espaço ao envolvimento de potências estrangeiras nas disputas.

[editar]Poeta

Lourenço reuniu em sua pessoa a melhor cultura do Renascimento. Diferentemente de muitos humanistas de sua época, apreciava os grandes clássicos italianos dos dois séculos anteriores e na juventude escreveu mesmo uma carta sobre o assunto paraFrederico de Aragão, enviando-a com uma coleção de poetas italianos antigos.
Seus poemas são classificados como ótimos, entre os críticos da literatura do século XV, variados em estilo e em assunto, desde canzoni do tipo de Petrarca e sonetos, à semi-paródia de Dante intitulada I Beoni. Suas canzoni a ballo, ou canções populares para dançar dos florentinos, têm uma nota lírica elevada. São consideradas admiráveis suas composições em "oitava rima": a Caccia col Falcone, por exemplo, a Ambra, fábula mitológica sobre o campo florentino, a Nencia da Barberino, pintando o amor rústico de modo idílico. Seus Altercazione, seis cantos em terza rima, discutem a verdadeira natureza da felicidade e encerram com uma prece a Deus de tom algo platônico. Suas Laude são de natureza puramente religiosa. Uma peça, Rapresentazione di San Giovanni e San Paolo, tem curiosa apreciação, bastante moderna, sobre o imperador Juliano. Em enorme contraste, temos suas canções de carnaval, canti carnascialeschi, tão imorais que fazem relembrar a acusação de que Lourenço buscava rebaixar a moralidade dos florentinos de maneira a escravizá-los.

[editar]Posteridade


ESTATUA DE LORENZO DE MEDICI NA NATIONAL GALLERY OF ART

Florentino do século 15 ou 16, provavelmente depois de um modelo de Andrea del Verrocchio e Benintendi Orsino
Florentino do século 15 (escultor)
Florentino do século 16 (escultor)
Andrea del Verrocchio (artista depois)
Italiano, 1435 - 1488
Orsino Benintendi (artista depois)
Italiano, 1440 - c. 1498
de 'Medici, Lorenzo , 1478/1521
pintadas de terracota
geral: 65,8 x 59,1 x 32,7 cm (25 7 / 8 x 23 1 / 4 x 12 7 / 8 pol)
Samuel H. Kress Collection
1943.4.92 
Em Ver
Objeto 8 de 8
de 'Medici Lourenço, chefe de família que dominou Florença, sobreviveu a uma tentativa de assassinato 1478 que tirou a vida de seu irmão Giuliano . Para comemorar esses eventos e oferta pública de agradecimento por sua salvação, estátuas de cera de Lorenzo foram colocados em várias igrejas, uma versão vestida com as roupas muito Lorenzo estava usando no dia que ele foi atacado.Andrea del Verrocchio , escultor Medici favorito, supervisionou a produção de estátuas por um especialista em cera, Orsino Benintendi. Este busto de terracota pode perpetuar um deles em um material mais estável.
Este retrato expressa tanto poder como a personalidade individual. Embora o traje é a de um cidadão de Florença, as formas deste busto são monumentais: maciça, simples, e sobre-vida-size. Lorenzo domina as sobrancelhas e boca sombriamente conjunto sugerem um homem que sobreviveu ao pior ataque de seus inimigos podiam montar e avisa para não tentar novamente. A limpeza da escultura concluída em 2006 removida uma camada marrom maçante de sujeira e overpaint, revelando seu original detalhes naturalista: as faces de Lorenzo e lábios rosados toca rosa, as sobrancelhas são escuras, e há traços delicados do restolho da barba pintada ao redor da boca . O busto tem, assim, recuperou o imediatismo que deve ter recebido seu público Renascença.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

CREDIBILIDADE DA MEGA SENA ARRANHADA



A notícia de um suposto esquema de fraude na Mega-Sena publicada no jornal Tribuna de Imprensa, do Paraná, foi considerada inofensiva à reputação da loteria. A decisão unânime foi tomada na última semana pela 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

A matéria publicada pelo jornal em março de 2006 afirmava que uma investigação teria descoberto o envolvimento de várias pessoas em um esquema que fraudava o peso das bolas utilizadas nos sorteios da Mega-Sena. O trecho final da notícia, porém, apresentava termos indicando que o texto fazia parte de uma corrente de internet e, assim, não era possível afirmar sua autoria.

A Caixa Econômica Federal (CEF), responsável pelo sorteio, ingressou com uma ação na Vara Federal de Paranaguá (PR) alegando que a publicação causou uma repercussão negativa para o crédito da loteria. O dono do jornal foi, então, condenado ao pagamento de indenização por danos morais à CEF. Ele, porém, recorreu ao TRF4, argumentando que a notícia tinha sido enviada a inúmeros periódicos do país e publicada em outros jornais locais.

Ao analisar o caso, a 3ª Turma entendeu que não ficou configurada a ofensa à reputação da CEF. A relatora do caso no tribunal, desembargadora federal Maria Lúcia Luz Leiria, destacou que o dano moral sofrido por pessoa jurídica consiste no possível abalo de crédito sofrido, que deverá ser comprovado. No caso, ponderou a magistrada, “a publicação da notícia não alcançou a intensidade necessária para configurar o dano moral, considerando-se a restrita circulação e o pequeno porte do jornal”.

______________________________________________

Nos últimos dias, circulou pela Internet mensagem apócrifa a respeito de supostas fraudes que ocorrem na Mega-Sena, uma das loterias administradas pela Caixa Econômica Federal. O banco federal divulgou nota esclarecendo o conteúdo do e-mail e também divulgou uma mensagem da suposta pessoa que assinava o e-mail, a funcionária do HSBC Patrícia Alberti Valenza, na qual ela nega ter enviado qualquer mensagem sobre o tema.

Nota da Caixa Econômica Federal

Sobre o assunto, a área de loterias da CAIXA vem esclarecer:

- As bolas utilizadas nos sorteios são numeradas e coloridas para facilitar a identificação. Todas elas possuem o mesmo peso e diâmetro. São de borracha maciça e são pesadas periodicamente. Tanto as bolas quanto o equipamento utilizado para os sorteios são fabricados por uma empresa francesa de notória especialização internacional em equipamentos para sorteio de loterias, a RYO CATTEAU.

- Para atribuir transparência e lisura ao processo, a CAIXA realiza os sorteios de todas as loterias federais em lugares abertos, com a presença e participação de pessoas e órgãos de imprensa pertencentes à comunidade local.

- Os sorteios são realizados no Caminhão da Sorte, unidade móvel que percorre todo o Brasil. Desde 1998, o Caminhão já visitou 294 municípios. É por meio desse veículo que a CAIXA democratiza o sorteio fazendo com que a população, tanto de grandes capitais como de cidades de interior, possa acompanhar de perto todo o processo.

- O evento dos sorteios conta com a participação do público local. O sorteio das bolas é acompanhado e validado formalmente por empregados da CAIXA e por outras duas pessoas do público que atuam como auditores populares. Os números sorteados, bem como a identificação dos auditores populares, são registrados em ata.

- Os globos são eletro-mecânicos e permanecem girando em velocidade constante até que alguém do público presente acione o controle remoto para ejeção da bola.

- Não existe nenhum inquérito na Polícia Federal que envolva qualquer denúncia ou desvio na gestão das Loterias da CAIXA e/ou na prática dos sorteios.

- Também inexistem matérias exibidas pelas emissoras de televisão Rede Globo e Band com referência ao tema. Tais assertivas podem ser facilmente confirmadas com uma simples consulta a esses órgãos de imprensa.

- A CAIXA criou uma página para que a sociedade também acompanhe onde acontecem os sorteios das Loterias Federais. Basta acessar o endereço www.caixa.gov.br e clicar em CAMINHÃO DA SORTE embaixo de LOTERIAS.


- Desde seu lançamento, em 1996, por intermédio de 653 sorteios, a Mega-Sena já pagou o total de R$ 3,3 bilhões para mais de 4 milhões de bilhetes premiados (em suas 3 faixas de premiação).

- Considerando que o maior patrimônio das Loterias CAIXA - que é a credibilidade, não pode ser atacado com tamanha leviandade, mesmo em se tratando de brincadeira de mau gosto, a CAIXA está buscando o rastreamento da origem e da retransmissão das mensagens registradas e identificadas na Internet, visando à adoção das providências cabíveis à espécie.
Superintendência de Loterias e Jogos da CAIXA.

Nota da funcionária do HSBC sobre o e-mail gerador da corrente pela Internet
Há alguns dias atrás foi me repassado um e-mail com uma mensagem sobre suspeita de fraude na Mega-Sena. Repassei para vocês sem ter noção dos desdobramentos que poderiam implicar tal ato.

Estou me retratando pelo mesmo meio de comunicação que é a Internet declarando publicamente que não confeccionei o referido e-mail/ mensagem, apenas repassei a mensagem enviada por uma amiga, que também recebeu de outra pessoa. Infelizmente, tirei o histórico dessas retransmissões e ficou apenas com o meu nome.

Este correio foi replicado para varias pessoas em todo o Brasil tendo como emitente meu nome e as mesmas tem me ligado para saber se a informação é verdadeira.

Não tenho esta informação e claro que não tenho provas para tal.
Peço que repassem novamente para todas as pessoas que enviaram anteriormente como eu estou fazendo.

Gostaria de agradecer as pessoas que me ligaram com o intuito de me alertar sobre o ocorrido, bem como me aconselhar a esta retratação.
Desde já agradeço a atenção e serve como alerta a todos os internautas.

Patrícia Alberti Valenza
HSBC Bank Brasil S.A.
Concessão de Crédito
Mas já que estamos em um país democrático, que Email foi esse que circulou?

___________________________________________________________
A Casa caiu para a Caixa Economica Federal !! 


D I V U L G U EM ! ! ! 
Reforçando o velho dito que diz: "Nada é de graça"... 
CAIU A CASA DA MEGA SENA!!! 
A GRANDE FARSA É DESCOBERTA! 
BRASIL: O PARAÍSO DA SACANAGEM..... 

SE VOCÊ FAZ APOSTAS, ESTÁ SENDO ENGANADO!!! 

A Polícia Federal desconfiou que estivesse havendo algum tipo de fraude na MEGA SENA e, mal começaram as investigações, pegaram várias pessoas envolvidas no esquema, entre elas, funcionários, auditores, e muito peixe grande, ligadas diretamente ao governo. 

Era muita gente envolvida no esquema. Eles fraudavam o peso da bolinha, fazendo sempre dar os números que eles quisessem e botavam 'laranjas' para jogar em diferentes Estados. 

Você que achava estranho a Mega Sena acumular tantas vezes seguidamente, e quando saía o prêmio, apenas uma pessoa ganhava, geralmente em algum lugar bem distante. Só podia ser algum tipo 
de fraude mesmo!!! 
Descobriram membros da quadrilha com 4 Bilhões em contas nos paraísos fiscais; o que menos tinha, tinha 8 milhões. 

Isso é sacanagem com o povo brasileiro, que trabalha demais; muitos deixam até de comer alguma coisa para fazer uma fezinha! O que muito me admira é que quase não houve divulgação!!!!!! 

Na TV só passou uma vez no Jornal da Record, e outra na BAND.. 
Certamente foram censurados... Está na cara que o governo não quer perder a bocada que fatura cada semana com os jogos, e nem quer mais CPIs... 

Está notícia não pode ficar na gaveta, espalhem!!! 

Vamos nos unir e dar fim a essa grande rede de corrupção que envolve o nosso país. 

Colabore com a DIVULGAÇÃO e ajude a desmantelar essa corja de corruptos que levam 45% do seu salário em impostos e ainda têm coragem de levar mais... Passe para todos da sua lista de contatos... 

O BRASIL todo precisa saber!!! 

Dr. Wagner Di Genova Ramos 
PAVESIO ADVOGADOS ASSOCIADOS 
(voice) 
55 11 4743-3325 (fax) 

O único jeito de acabarmos com essa patifaria é ninguém jogar mais em nada. Aí , a CAIXA ECONÔMICA vai ter um enorme prejuízo e, talvez só assim fará alguma coisa. 
E o que as autoridades vão fazer agora??? 
Esconder como fizeram quando essa notícia vazou??? 

MAS JÁ EXISTEM PRECEDENTES

Crise no Governo
Quinta, 30 de março de 2006, 23h01  Atualizada às 08h06
CPI vai investigar suposta fraude na Mega-Sena
 
 Últimas de Crise no Governo
» Badalados, Ronaldinho e Barcelona chegam ao Japão
» Garibaldi confirma data da leitura de relatório
» Relator busca ajuda para indiciar assessor de Lula
» Amigo de Lula avisa à CPI que não vai depor na terça
 Busca
Busque outras notícias no Terra:
A CPI dos Bingos tem um novo foco de investigações: os prêmios milionários da Mega-Sena. O relator da comissão, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), suspeita de que os prêmios da Mega-Sena, da quina e da quadra da Mega-Sena sejam utilizados para lavagem de dinheiro. A idéia é apurar os dados dos vencedores dos principais prêmios, observando os bilhetes de cada um, as casas lotéricas e as aplicações realizadas.
Para descobrir o tamanho da possível fraude e a forma como atuavam os suspeitos, técnicos solicitaram na quarta-feira à Caixa Econômica Federal informações sobre todos os prêmios pagos desde 12 de maio de 1997, especialmente os que superaram a casa dos R$ 5 milhões e que eram partilhados em grupos - o chamado 'bolão'.
A data foi escolhida porque a partir deste ano há dados informatizados sobre os concursos da Mega-Sena e da Sena. A CPI dos Bingos trabalha com duas linhas de investigações: fraudes dos bilhetes e negociatas pessoais. "Por enquanto, não é possível dizer que é fraude. Mas posso afirmar que é necessário investigar as coincidências. A idéia é acelerar as investigações o mais rápido possível", disse Garibaldi Alves.
De acordo com sua assessoria, em um mês o trabalho deve ser concluído, pois envolve no máximo de 100 a 150 vencedores de prêmios considerados milionários. As suspeitas vieram à tona a partir de apurações realizadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que é ligado ao Ministério da Fazenda.
O órgão investiga prêmios da quadra e da quina da Mega-Sena. Em depoimento à Polícia Federal, por exemplo, Egton de Oliveira Pajaro Júnior, ex-sócio do empresário de jogos Carlinhos Cachoeira, contou que só ele ganhou de 30 a 40 vezes na Mega-Sena. Sorte ou não, os irmão de Pajaro, Fábio e Cláudio, também eram agraciados com prêmios. 

Fraude bilionária
Paulo Afonso Teixeira Dias repassa-me denúncia de golpe bilionário (coisa de R$ 4 bi), já flagrado pela Polícia Federal, nas loterias da Caixa Econômica:
“[...] Fraudavam o peso da bolinha [no sorteio da MegaSena], fazendo sempre dar os números que eles queriam e botavam ‘laranjas’ para apostar em diferentes estados. [...] Estranho, a Mega Sena acumular tantas vezes seguidas e, quando saía o prêmio, apenas uma pessoa ganhar, geralmente em algum lugar bem distante. Só podia ser algum tipo de fraude, mesmo! [...]”
Estranho, muito estranho é falcatrua desse tamanho ser ignorada pela imprensa.

OBS: Essa notícia parece mais uma daquelas tentativas de se ir minando a credibilidade não da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, mas do Governo. Tentativas tão em moda na época das eleições. Agora virou moda caluniar pessoas e instituições porque pode-se esconder atrás de um Email, e o pior, colocar o nome de pessoas que muitas das vezes nada tem a ver com isso, para dar credibilidade a informações falsas. De qualquer forma a CAIXA sai com sua credibilidade arranhada, porque sempre há a suspeita de que tal coisa pode ser verdade, apesar de a mim cheirar a uma daquelas calúnias sujas da época das eleições.


.


SOMOS TODOS CHAPECOENSES