http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

SOMOS TODOS CHAPECOENSES

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

SERIADO NARCOS E PARAOLÍMPIADAS 2016



PABLO ESCOBAR é até o momento o NARCOTRAFICANTE que mais longe foi em termos de notoriedade e fortuna pessoal.

Costuma-se pensar que no final o cartel de Cali que sucedeu ao cartel de Medelin quando esse foi desmontado, saiu em vantagem. De fato o cartel de Cali tinha um mercado maior que era New York, muito maior do que o de Miami onde imperava o cartel de Medelin, e depois de Pablo Escobar, ficou também com o comércio na área de Miami, mas notoriamente se formos comparar os números, Pablo Escobar chegou muito mais longe do que todo o cartel de Cali.

No auge de seu poder, o cartel de drogas de Medellín estava contrabandeando quinze toneladas de cocaína por dia, no valor de mais de meio bilhão de dólares, para os Estados Unidos. De acordo com Roberto, ele e seu irmão gastavam 1000 dólares por semana com elásticos para embrulhar as pilhas de dinheiro, armazenando a maior parte dele em seus armazéns; 10% da fortuna tinha de ser descartada por ano devido à "deterioração" por ratos que se infiltraram à noite e mordiam as notas de cem dólares.


Pablo Escobar chegou a ser considerado o 7º homem mais rico do mundo com uma fortuna de 28 bilhões de dólares, ao passo que os três integrantes do cartel de Cali todos presos nos Estados Unidos, chegaram a ter cada um 2 bilhões de dólares. Nessa mesma época o mais rico do Brasil, no caso o Roberto Marinho, dono das organizações Globo tinha 1,5 bilhão de dólares.

Em breve, a demanda por cocaína disparou nos Estados Unidos e Pablo organizou mais remessas, rotas e redes de contrabando para distribuição no sul da Flórida, na Califórnia e em outras partes dos Estados Unidos.  
Ele e Carlos Lehder trabalharam juntos para desenvolver um novo ponto de transbordo em uma ilha das Bahamas, chamada Norman's Cay. Carlos e Robert Vesco adquiriram a maior parte do território da ilha, que incluiu uma pista de pouso de 3.300 pés, um porto, hotel, casas, barcos, aviões e até mesmo um armazém frigorífico para armazenar a cocaína.  
De 1978 a 1982, este local foi utilizado como a principal rota de contrabando do Cartel de Medellín. (De acordo com o relato de seu irmão, Pablo não comprou Norman's Cay. Era, em vez disso, um empreendimento de Carlos Lehder.) Escobar foi capaz de comprar cerca de 20 quilômetros quadrados de terras, que incluíam a Hacienda Nápoles, por vários milhões de dólares. Ele criou um jardim zoológico, um lago e outras diversões para sua família e organização criminosa. 
Em um ponto, estimou-se que 70 a 80 toneladas de cocaína estavam sendo enviadas da Colômbia para os Estados Unidos mensalmente. No auge de seu poder, em meados da década de 1980, Escobar enviava até 11 toneladas por voo em aviões para os Estados Unidos (a maior carga enviada por Pablo foi de 23 toneladas misturadas com pasta de peixes - o envio foi feito via barco, segundo seu irmão no livro "Escobar").  
Além de usar os aviões, o irmão de Pablo, Roberto Escobar, disse que ele também usava dois pequenos submarinos de controle remoto para o transporte de cargas massivas (esses veículos aquáticos eram, de fato, tripulados e isto também foi documentado no livro de Roberto).

Se Pablo Escobar não tivesse achado que era Deus e que poderia mandar nos destinos da Colômbia e fazer o que bem entendesse, com certeza estaria por ai desfrutando da sua fortuna ou pelo menos de parte dela, mas não logrou fazer isso por causa de uma lei universal. Aquela mesmo que diz  que a sementeira é opcional, mas a colheita é obrigatória.


Escobar subornou incontáveis oficiais de governos, juízes e outros políticos, e muitas vezes executou pessoalmente subordinados desobedientes. Corrupção e intimidação foram características predominantes do modo de agir de Escobar. Ele tinha uma estratégia inescapável conhecida como plata o plomo, (em Língua portuguesa, "dinheiro ou chumbo"), que significava que ou o sujeito aceitava seu dinheiro ou seria assassinado (o chumbo referia-se às balas). Escobar foi o responsável pela morte de três candidatos à presidência da Colômbia, pela explosão do voo Avianca 203 e do prédio de segurança de Bogotá em 1989. Alguns analistas acreditam que ele estava por trás do incidente na Suprema Corte Colombiana em 1985 que resultou no assassinato de metade dos juízes da corte. O Cartel de Medellín também esteve envolvido numa sangrenta guerra pelo controle do tráfico com o Cartel de Cali durante quase toda a sua existência. Pablo mandava cartas para suas vítimas, convidando-as para seus respectivos enterros, e seus capatazes as executavam precisamente na data marcada para o funeral.


Pablo Escobar assim como tantos outros bandidos, acabou colhendo o fruto da sua plantação de ódio e morte.


A Netflix colocou Pablo Escobar de volta nos holofotes. Morto em dezembro de 1993, aonde quer que o traficante esteja, ele provavelmente está contente em ver que, em pleno 2015, seu nome ainda é sinônimo de poder. 

No livro “Pablo Escobar Meu Pai – As Histórias que Não Deveríamos Saber”, lançado no Brasil em junho desse ano, seu filho, Juan Pablo, vai muito além do que é mostrado na série estrelada por Wagner Moura, retratando, entre outras coisas, como são os detalhes da rotina de uma família com dinheiro virtualmente infinito. Uma coisa é certa: Juan Pablo, que recentemente disse que considera processar a Netflix por ter usado a imagem da família sem consentimento, teve uma infância de dar inveja em muitas crianças, com dinossauros à beira da piscina e uma coleção de motos antes de chegar na puberdade.

A Fazenda Nápoles talvez fosse a síntese da megalomania escobariana. Batizada em homenagem ao pai de Al Capone, que nasceu na cidade italiana de mesmo nome, o local foi cenário de todo tipo de maluquice que o dinheiro podia comprar. 

1- Dentro da fazenda havia um zoológico aberto ao público. Em um feriado, era normal que mais de 25 mil famílias fossem até o local, atraídas pelos animais exóticos e pelo fato do passeio ser gratuito. “Gosto que as pessoas pobres possam vir e ver esse espetáculo da natureza”, dizia Pablo. 


2- Em uma das entradas do zoológico, havia um carro cheio de pequenos buracos. O veículo era resultado de uma fusão orquestrada por Pablo: o chassi da caminhonete do veículo que seu irmão Fernando dirigia quando se envolveu no acidente que o matou unido à carroceria de um Ford 1936. Depois que o carro ficou pronto, Pablo e seus homens metralharam o veículo meticulosamente para que ele tivesse os mesmos 167 furos de bala do carro em que Bonnie e Clyde morreram – Pablo era fã do lendário casal de assaltantes americanos e, no livro, Juan diz que assistiu ao lado do pai todos os filmes que Hollywood já produziu sobre eles.

Muitos anos antes de Steven Speilberg lançar Jurassic Park, Pablo mandou construir diversas réplicas de dinossauros em tamanho real e as espalhou pela fazenda. Algumas das enormes esculturas feitas de cimento pintado em cores vivas chegaram a ser danificadas em uma busca policial que suspeitou que o seu interior pudesse ocultar drogas ou dólares.

Em 1983 a fazenda serviu de locação para um comercial do refrigerante Naranja Postobón– aos 45 segundos Juan aparece de camiseta listrada com uma câmera na mão.5- Um belo dia Pablo resolveu se tornar sócio do Clube Campestre de Medellín, prestigiosa entidade que reunia os poderosos da cidade colombiana. Acontece que a diretoria do clube vetou sua entrada: por mais rico que fosse, Pablo não pertencia a uma família tradicional. A essa altura do campeonato é provável que o colombiano nem se lembrasse mais como era ser contrariado, então ele entrou em contato com alguns dos funcionários do clube e lhes ofereceu uma grande quantidade de dinheiro para que eles entrassem em greve. “Foi a primeira e talvez a única vez que o clube metido a besta fechou as portas por vários dias”, escreveu Juan. Depois de pedir para que a greve fosse prolongada, Pablo pagou uma quantia extra para que esses funcionários passeassem com um caminhão lotado de terra pelo campo de golfe do clube. Depois de deixar o gramado impraticável, a instrução era jogar a terra toda na piscina. Muito bem remunerados, os funcionários não titubearam.

Aos quatro anos de idade, Juan ganhou sua primeira moto: uma Suzuki amarela. Pablo mandou instalar rodinhas nas laterais e foi ensinando o filho diariamente até o momento em que elas não eram mais necessárias, na cena clássica do pai que larga o assento da bicicleta e vê o filho ganhando velocidade com pernas e motores próprios.

Os hábitos de higiene de Escobar eram mais uma oportunidade para ele exercer sua excentricidade: seus banhos duravam até três horas. Quando escovava os dentes, não levava menos que 45 minutos “e sempre com uma escova para crianças”, lembra o filho. Pablo também nunca ia ao cabelereiro. Ele próprio aparava a ponta do cabelo e em raras ocasiões deixava sua mulher executar o serviço.


Em 1979, quando já eram traficantes bem-sucedidos, Pablo Escobar e seu primo Gustavo Gaviria disputaram a Copa Renault, uma competição de automobilismo profissional que naquele ano aceitava inscrições também de novatos. Como havia outros traficantes participando do evento, Pablo e Gustavo brincavam que o campeonato devia ser chamado deCoca Renault. Ao ser barrado nos exames médicos que indicavam que não tinha saúde para ser um corredor, Pablo subornou os médicos e foi inscrito, terminando a temporada emquarto lugar na classificação geral.

Quando completou 11 anos, Juan tinha “quase 30” motos de alta velocidade, triciclos, quadriciclos, kars etc, além de 30 jet-skis. Aos 13, seu pai lhe deu um apartamento com “espelhos no teto, um bar meio futurista e um tapete de zebra”.

As toalhas de mesa das propriedades de Pablo eram todas bordadas a mão, em Veneza.

O corpo de Pablo Escobar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.