http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

QUEREM ACABAR COM A APOSENTADORIA

quinta-feira, 15 de junho de 2017

ARMAÇÕES PARA INCRIMINAR LULA

No depoimento de Emilio Odebresht há uma declaração do ex-presidente do grupo Odebresht de que Lula o pediu para que ajudasse o PT. Lógicamente que se isso for comprovado, estará configurado o crime de corrupção passiva, pois a constituição estabelece que é vedado ao detentor de cargo público pedir alguma coisa a empresários. O simples ato de "PEDIR" já se constitui por si só CRIME, por mais que Emilio Odebresht diga que TODOS os políticos receberam, inclusive Fernando Henrique Cardoso, o que seria uma injustiça na visão do atual patriarca do grupo Odebresht, atribuir o crime a um só lado. 

Entretanto para quem está atento à entrevista, é de se perceber que ante o desconforto do eminente Empresário, há um momento em que o mesmo é intimidado com a frase que lhe adverte de que "pelo seu próprio bem ele decidira fazer aquela "COOPERAÇÃO", pois caso não o decidisse teria a mesma sorte do filho, o MARCELO ODEBRESHT que já se encontra preso a mais de dois anos e segundo os carrascos da PGR ficará ainda muito tempo.

Em certo momento é compungido a deixar de "HISTORINHAS". Diante disso chega-se a conclusão que a frase que atribui ao Lula o tal "PEDIDO" é uma pré condição para a manutenção da sua liberdade. Isso ao nosso ver uma clara COAÇÃO IRRESISTÍVEL e não se sustenta em provas.

O mesmo ocorre com a declaração de Leo Pinheiro do grupo OAS quando declara que Lula o pediu que destruísse provas, o que configura claramente obstrução à Justiça, mas o mesmo Leo Pinheiro foi pego em mentira quando declarou que o Triplex do Guarujá pertencia a Lula e depois foi-lhe mostrado que o mesmo fora oferecido como garantia de acordos da OAS, configurando que o mesmo pertencia à OAS. Fica evidente que a PGR tem oferecido propostas de acordos de abrandamento de pena para que os presos ou suspeitos façam alegações que venham a comprometer o Ex-Presidente Lula.


Agora mais recentemente aparece Joesley Batista declarando que constituiu uma conta no exterior que se destinava a repassar valores a Lula e Dilma, Ex-Presidentes da República. Declara ele que tal acordo foi feito com Mantega ao qual perguntou se Lula e Dilma sabiam ao que segundo declarações de Joesley Batista, o Ex-Ministro da Fazenda Guido Mantega, declarou que sabiam, repito segundo a declaração de Joesley Batista.




Na delação, Joesley Batista narrou que, em 2009, foi criada uma conta para receber os repasses relacionados a Lula e, no ano seguinte, outra foi aberta para envio de valores relacionados a Dilma. O empresário revelou que, em dezembro naquele ano, o BNDES adquiriu de debêntures da JBS, convertidas em ações, no valor de 2 bilhões de dólares, “para apoio do plano de expansão”.
 
“O depoente escriturou em favor de Guido Mantega, por conta desse negócio, crédito de 50 milhões de dólares e abriu conta no exterior, em nome de offshore que controlava, na qual depositou o valor”, relatou Joesley. Segundo o empresário, em reunião com Mantega, no final de 2010, o petista pediu a ele “que abrisse uma nova conta, que se destinaria a Dilma”. Nesse momento, disse o delator, foi perguntado a Mantega se Lula e Dilma sabiam do esquema. “Guido confirmou que sim”, disse ele.

Uma coisa que me chama a atenção é a disparidade de valores. A princípio disse que eram 150 milhões de dólares, depois disse que eram 80 milhões de dólares e agora são 50 milhões de dólares. Afinal, quanto foi?

O Lula sabia dessa conta? (Porque não estava em nome dele.) Tem recibos de saque? Quem recebeu? Para quem foi enviado? Tem gravação? Tem recibo? ESCREVEU? FOTOGRAFOU? FOI PUBLICADO NO NEW YORK TIMES?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES