http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

OBSESSÃO DEMONIACA?

SÍNDROME DE SMITH-MAGENIS, OBSESSÃO OU AUTO-OBSESSÃO? 
1 Pedro 5 : 8 

Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;

Grace Fishwick, uma inglesa, de 9 anos, é uma criança carinhosa, que adora cantar, dançar, mas, segundo a ciência, ela sofre de mutação genética rara, chamada de Síndrome de Smith-Magenis (SMS)(1), patologia que causa retardo mental e distúrbios de comportamento e a faz tornar-se violenta de súbito e agrida outras pessoas e a si mesma. Tais episódios podem durar alguns minutos e às vezes até três horas. A mãe de Fishwick compara sua filha ao personagem de O Médico e o Monstro. "Em um minuto, ela está brincando alegremente com seus brinquedos, no outro, nos agredindo ou atacando a si mesma” explica a genitora. 

Na década de 70 o filme "O EXORCISTA" mostrou-nos a história, baseada em fatos reais que nos mostram uma criança que se torna vítima de uma forte obsessão espiritual. Tal obsessão seria facilmente identificável em um país como o Brasil, mas na América que parece ficar distanciada anos luz das realidades espirituais, tal obsessão é praticamente ignorada, o que levou a mãe a perambular meses a fio por especialistas que não conseguiam encontrar um nexo causal para o fenômeno. 

O que me aparvalha é que eles insistem em desconhecer o óbvio e agora me vêm com esses nomes estapafúrdios como SÍNDROME DE SMITH-MAGENIS, o que óbvimente para eles não tem tratamento, pois o tratamento é puramente espiritual. 

E continuam eles com suas conclusões equivocadas, quando a coisa é cristalinamente relacionada a realidade espiritual do ser o que eles insisterm em desconhecer, embora muitos deles tenham que dar o braço a torcer, e isso é o que acaba acontecendo no filme quando um médico aconselha a mãe a procurar um EXORCISTA, já que ai a cura reconhecidamente tem que ser espiritual e não por algum recurso da medicina.

Sabe-se que a doença de Fishwick é de causa genética(?), embora não hereditária. É uma patologia genética pouco conhecida no Brasil e sua incidência no mundo é de 1 criança afetada a cada 25.000 nascidas vivas(?). Muitas crianças portadoras da “SMS” estão sendo acompanhadas como portadoras de deficiência mental sem causa definida ou como autistas. Para os pesquisadores, as características de comportamento e o atraso no desenvolvimento são os que se tornam mais significativos. Há retardo do desenvolvimento neuropsicomotor perceptível nos primeiros anos de vida, atraso significativo de linguagem, hiperatividade com déficit de atenção, várias formas de auto-injúria – bater a própria cabeça, morder-se, beliscar-se, puxar a pele, dificuldade para conseguir asseio corporal independente, acessos de birra (prolongada), raiva, agressão, mau humor, desobediência, teimosia, autoextirpação das unhas. 

Como poderemos interpretar o “caso Grace Fishwick” sob o ponto de vista Evangelico? Especialistas tentam ajudar esses irmãos enfermos, inclusive na fase inicial de seus estudos. Especificamente no campo da genética, alguns estudiosos mais ousados já relacionam algumas doenças de origem nervosa e mental, sendo induzidas pela influência de demonios; todavia, os preconceitos de sempre impedem que as pesquisas avancem. 


Apesar de poucos informes científicos, há muitas evidências de que o processo obsessivo e/ou auto-obsessivos (caracterizado por manipulações e interposições de influencias espirituais) exerça papel importante na fisiopatogenia das doenças no corpo físico e espiritual, por vezes evoluindo para quadros patológicos gravíssimos. 

Em qualquer caso, no entanto, o doente é responsável por todos os sinais e sintomas que apresenta, considerando ser ele o mentor intelectual de todos os seus equívocos. Assim sendo, em dado momento da vida, começa a tomar consciência de resíduos nefastos do inconsciente e a partir daí exercita-se em culpas, que geram cobranças. Então teremos os conflitos interiores, com o pensamento fixado em alguma coisa, tanto em vigília como em sono. 


Após a instalação do quadro mórbido, o enfermo caminha com desinteresse total pela vida, isola-se e apresenta baixo teor de pensamento (Pensa em coisas negativas) em seu campo eletromagnético, permitindo a partir deste momento a afinização com demônios – terríveis obsessores – evoluindo assim com graves quadros específicos que se enquadram nas doenças neurológicas e mentais. 

O drama Fishwick nos remete a um provável caso de “transtorno inconsciente”, ou seja, tudo procede dela mesma. Ante a aproximação espiritual de um demônio específico, que certamente ainda a persegue do plano espiritual, assomam sentimentos de culpa e perturba-se-lhe a vida mental, necessitando de mais ampla reeducação. É um caso no qual se faz possível a colheita de valiosos ensinamentos. 

Toda e qualquer patologia física ou mental tem uma causa explicável. A menina Fishwick tem imobilizado grande coeficiente de forças do seu mundo emotivo em torno de um sentimento de culpa do passado, a ponto de semelhante cristalização mental haver superado o choque biológico da sua existência, prosseguindo quase que intacta na sua vida. Fixando-se nesse sentimento, quando instada de mais perto pelo demônio que a persegue, passa a comportar-se revivendo o sentimento de culpa que a corroi. Sem dúvida, em tais momentos, mergulha nesse desvario louco e transporta-se, porque ao influxo desse sentimento de culpa, centraliza todos os seus recursos mnemônicos tão somente no ponto nevrálgico em que viciou o pensamento. 

Para o especialista comum, é apenas uma candidata a algumas formas de tratamento médico; entretanto, para o evangélico, ela pode ser uma enferma espiritual, uma consciência torturada, exigindo amparo moral, cultural e oração para a renovação íntima – única base sólida que lhe assegurará o reajustamento definitivo. “A obsessão, sob qualquer modalidade em que se apresente, é enfermidade de longo curso, exigindo jejum e oração”.(2) A ação mental de qualquer nível de obsessão [ou auto-obsessão] sobre o cérebro, se não for removida a tempo, dará, necessariamente, em resultado, o sofrimento orgânico daquele orgão, tanto mais profundo quanto mais tempo estiver sob a influência deletéria dessa influência mental.”(3) 

Em todas as épocas da história das civilizações existiram doentes psíquicos que sofriam influências nefastas de demônios obsessores, e, em alguns casos, envolvendo personagens que se celebrizaram por seus atos. Nabucodonosor II, rei dos Caldeus, sofreu uma licantropia e pastava no jardim do palácio como um animal. Tibério, envolvido por muitos demônios, cometeu muitos deslizes, com muita malignidade. Calígula e Gengis-Khan marcaram presença em função de suas aberrações psicóticas. Domício Nero, em função de grandes desequilíbrios psíquicos, entre tantos equívocos, mandou assassinar a mãe e sua esposa, e, depois, as reencontrava em visões fantasmagóricas. Dostoiévski sofria de ataques epilépticos. Nietzsche perambulou pelos asilos de alienados. Van Gogh cortou as orelhas num momento de insanidade e as enviou de presente para sua musa inspiradora, findando, posteriormente, a vida, com um tiro. Schumann, notável compositor, atirou-se ao Reno, sendo salvo pelos amigos e internado num hospício, onde encerrou a carreira. Edgar Allan Poe sucumbiu arrasado pelo álcool e tendo visões infernais. 

Obviamente, nós evangélicos respeitamos as orientações dos profissionais da área de saúde, evitando equívocos como: fazer diagnósticos, trocar e/ou suspender medicamentos e, às vezes, tornar o quadro dos pacientes mais grave que verdadeiramente o são. Compete à medicina, ao tratar seus pacientes, admitindo a hipótese de obsessão demoniaca, ainda que não comprovada academicamente, pedir ajuda às casas evangélicas que exercem suas atividades com objetivos sérios, seguindo os postulados do Cristo e os preceitos da Doutrina Cristã. 

Cremos que o Jejum e as correntes de oração são de grande importância no tratamento desses irmãos, considerando a oportunidade de tratamento, dissipando influências tóxicas e interpondo influências benéficas. Sabemos do valor indiscutível da leitura bíblica – que é de grande importância, também, no reequilíbrio do doente, considerando que nela são introduzidas influências potencializadas pelas emanações de energias espirituais advindas do Espírito Santo. 

Indispensável, igualmente, é o Culto do Evangelho no Lar, considerando a oportunidade de leitura do Evangelho e a reflexão sobre seu conteúdo, além das orações que poderão ser proferidas, permitindo crescimento interior, o exercício da fé, gerando transformações ao nível de renúncias de viciações e paixões inferiores, permitindo a vigilância do Ser em seus pensamentos, palavras e atos e muitos outros benefícios que, aos poucos, vão aperfeiçoando o ser e diminuindo as doenças na Terra. 

TRATAMENTO

O tratamento para a obsessão passa forçosamente por uma mudança do perfil do pensamento. O pensamento tem que ser pensamento positivo. Não pode ser derrotista, de medo, de angustia, de odio, de raiva, mágoa, despeito. Esses pensamentos tem que ser substituidos por pensamentos de AMOR. Amor aos animais, a vida, a Deus, aos familiares e ao próximo. 

Recomenda-se que como prática do exercício do amor, que a pessoa passe a praticar algum tipo de caridade, como visitar Hospitais para consolar os doentes, ou visitar um orfanato e levar presentes para as crianças orfãs. Ao fazer isso contará com expressiva ajuda de anjos de luz envolvidos também com o auxílio a essas criaturas desprovidas de assistência.

Essa terapia serve também para consolar aquelas pessoas que estão pensando em suicidio, por não encontrarem uma razão para viver. Verão que se fizerem isso em pouco tempo encontrarão amplas razões para viver.

A pricípio tal atitude pode ser maçante, desgastante, entretanto a pessoa deve insistir, porque aos poucos irá se afeiçoar aos assistidos e começará a desenvolver empatia para com eles. Pode até estabelecer laços quase familiares, o que carreará importantes razões para continuar vivo, porque o objeto das nossas razões para viver é sempre o outro. Nunca é nós mesmos.

A oração é uma importante ferramenta para o combate à obsessão, porque durante a comunhão com Deus, entramos em um estado de graça que afasta por completo qualquer força do mal, mas a oração tem que ser genuina, partindo de dentro do coração. Tem que ser sentida. O mero repetir de palavras decoradas não serve. Há que se buscar o sentimento dentro de si e se conectar com o Pai. As palavras são meros instrumentos. A conexão se dá pelo sentimento profundo genuino.

A leitura constante da bíblia deve ser uma atividade constante. Não deixe o pensamento solto. Não permita ficar parado sem nada no pensamento, porque ele irá resvalar para o pensamento negativo mais cedo ou mais tarde pois são esses os pensamnetos que povoam a mente do obsidiado, principalmente por causa das sugestões dos demônios que aproveitam brechas, insites para sugerir pensamentos negativos. Portanto mantenha sua mente ativa. Nunca resvalando para a mente ociosa. Como diz um velho e sabio ditado, Mente vazia é oficina do Diabo.

Nos casos extremos em que a obsessão se agravou e a pessoa não tem forças para sair sósinha da condição de obsessão, correntes de oração com Jejum pelo tempo que se fizer necessário. Pode-se começar com um dia (24 horas), e depois fazer a avaliação. Como disse Jessus. Esse tipo de demônio só sai com Jejum e oração. Fazer uma roda com o obsidiado ao meio e fazer fortes orações com as mãos dadas. As pessoas que participam tem que estar contritas com Deus, determinadas e ter um mínimo de santificação. Não adianta ter lá uma pessoa que não quer estar. Ela irá atrapalhar a corrente.

Ao dormir e ao levantar nunca deixe de fazer uma oração pedindo ao mestre Jesus que o assista durante o sono e vele por você, levando-o por caminhos de paz. Leia uma mensagem otimista e consoladora sempre que deitar e sempre que levantar acompanhada de uma prece. Não durma ouvindo rádio ou vendo televisão, ou lendo livros que não sejam edificantes. Antes meditando em algum versículo ou mensagem edificante que acabou de ler.

Não existe força por maior que seja que se oponha ao mestre Jesus. Ele é o caminho a verdade e a vida. Só é preciso oração e conversão.

Procure fazer um propósito de se tornar um cristão e estar sempre buscando a santificação. Com esse propósito, ao lado do mestre Jesus, nenhuma obsessão terá forças para continuar. Depende de você unicamente.

SALMOS 1: 1 a 6 

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 

Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. 

Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. 

Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. 

Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. 

Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá. 



1 Pedro 5 : 8 

Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;

Um comentário:

  1. Parent of a child with Smith-Magenis Syndrome!!!terça-feira, fevereiro 01, 2011 8:06:00 AM

    Total rubbish - shows a complete ignorance of medical conditions and disability!!

    Smith-Magenis Syndrome IS a medical condition, which is caused by abnormalities in chromosone 17 - it is nothing to do with possession by evil spirits!!

    ResponderExcluir

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES