http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

JESUS E O ORGULHO


Existe um grande perigo em se afirmar JUSTO ou SALVO ou se julgar merecedor, porque esses que assim se julgavam foram os maiores inimigos de Jesus.



  • E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem sejam cegos. João 9:39

Porque todo aquele que se acha justo tem na verdade um certo orgulho escondido dentro dessa afirmação. Julga-se melhor do que os outros. Isso se constitui em certo grau, uma acepção de pessoas.


Jesus escandalizava os doutores da lei que eram os sacerdotes que ensinavam nos templos e principalmente no maior de todos os templos que era o templo de Jerusalém.


Imaginemos esses senhores que como nos dias de hoje tinham um imenso rebanho de fiéis que lhes sustentavam com vendas de aves e ovelhas para serem oferecidas em holocaustos às portas e nos corredores do maior de todos os templos.


Educados dentro de toda a tradição da lei Mosaica, sendo confrontados com um simples filho de carpinteiro, pobre mas com um poder incontestavel, com um dom da palavra impressionante, com uma mensagem que calava os corações até hoje.


Deveriam odia-lo e procuravam incrimina-lo, confronta-lo com o estado Romano e buscavam mata-lo.


Faziam tudo isso por puro orgulho. E com relação a estes que ensinavam nos templos, Jesus disse:



  • Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus. - Mateus 21:31

Na verdade Os Publicanos eram considerados os coniventes com o império Romano, Traidores da causa Israelense, portanto inimigos de Deus, mas Jesus comia com eles e se confraternizava com eles, como também com as meretrizes, sendo amigo desses, como Zaqueu, e também com os ladrões, tinha um olhar de compaixão.


Mas Jesus se alterava e se alterou de fato com os que se julgavam JUSTOS. Com relação a esses que eram os ESCRIBAS (Cargo que tinha aquele que sabia escrever, coisa rara naquele tempo e que tinha o mesmo status de um doutor, e que escrevia os rolos da lei.) e os FARISEUS (Uma tribo de Israel que tinha o conhecimento da lei e que eram considerados mais merecedores do que outras tribos como os Samaritanos com os quais ninguém falava.) , ele disse.



Mateus 23:33



  • Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno?

Mateus 23:27



  • Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.

A alegoria é verdadeira. Existem pessoas que por fora parecem formosos, falam e procedem como justos, mas não amam o seu próximo, maltratam filhos e esposas, tem acepção de pessoas, ou usam a fé em benefício próprio.




  • Mateus 7:22
    Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
    Mateus 7:23
    E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

Portanto todo Cristão deve ser Humilde, combater o orgulho e a vaidade o que é muito difícil, amar o próximo, mesmo o bandido ou o ladrão pois foi para esses que Jesus veio e não para o justo, eentender que nem Jesus se disse "BOM", pois BOM só Deus é, e portanto nenhum de nós somos.


Mateus 19:17



  • E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.

Embora Jesus nos diga que devemos ser perfeitos, ele estabelece isso como uma meta a ser buscada, mas não como uma condição essencial para entrar na vida.


Entrar na vida, eis a questão.



2 comentários:

  1. Gostei, muito bom e edificante.

    Porém, o mandamento mais básico e essencial de Jesus ("Amar ao próximo como a ti mesmo", e ainda "amar o seu inimigo"), é também de longe o mais difícil de todos.

    Como conseguir amar pessoas tão egoístas, mesquinhas e traiçoeiras?

    Essa é A grande dificuldade, com que eu ainda luto até hoje.
    E acredito que a maioria das pessoas compartilhem dessa dificuldade.

    Se você tiver uma boa palavra a respeito, não deixe de compartilhar com os seus colegas a quem você envia suas reflexões.

    Grande abraço,
    Leonardo.

    ResponderExcluir
  2. Prezado amigo Leonardo

    Inquestionavelmente, amar os inimigos, e as pessoas que detestamos é muito difícil para nós, porque somos como crianças espirituais. Não temos a estatura espiritual de Jesus ou de um GHANDI ou de uma Madre Tereza de Calcutá ou de um São Francisco de Assis. E isso é difícil para mim também como é difícil para a imensa maioria das pessoas, mas o raciocínio deve ser o seguinte:

    Se um criança de 6 anos de idade te chamar de FEIO você não irá ficar ofendido, porque irá considerar que ali está uma criança que não tem entendimento, e a educação de um adulto. Se ela fizer uma careta para você, provávelmente você irá até achar engraçadinho, porque o seu comportamento irá refletir o seu adiantamento intelecto moral em relação à criança. Ficará até ridiculo se você se ofender com ela, o que irá refletir uma certa inferioridade moral intelectual. Da mesma forma deveria se dar em relação aos adultos, mas como somos como que crianças espirituais, ainda não temos capacidade para relevar as ofensas, e levamo-las ao pé da letra como fazem crianças que brigam entre si por banalidades. Não sabemos ou não percebemos que tudo nessa vida não passa de banalidades, de coisas que não tem nenhuma importancia em face da riqueza maior que é a vida eterna. O que pode representar uma vida de 100 anos face a uma vida eterna? Apenas um sonho do qual se irá acordar a qualquer momento, porém como crianças que brigam por causa de um carrinho ou uma pipa, ficamos disputando as coisas da terra ou até matando-nos por absolutamente nada. Não foi por acaso que Jesus disse na cruz. "Pai, perdoa-os porque não sabem o que fazem." Jesus os via como crianças, que brigam, que agridem por uma coisa insignificante sem saber a gravidade do que faziam. Seu olhar para eles era de compaixão, de pena. Com certeza se soubessem quem era Jesus, eles não fariam o que fizeram, mas como Jesus sabe que não somos adiantados moralmente, ele não irá nos exigir que amemos de coração aqueles que mais detestamos, mas que pelo menos não o desejemos mal, e que os auxiliemos se eles necessitarem do nosso auxílio. Veremos que na imensa maioria das vezes, aquele que seria um grande inimigo nosso poderá se tornar o maior amigo, pois se agia com inferioridade estava equivocado, e quando se dá conta disso, pode se arrepender amargamente. Por outro lado sentimentos de raiva, odio e coisas parecidas fazem-nos muito mal, podendo ocasionar doenças terríveis. Devemos nos abster desses sentimentos e assim nos sentiremos muito melhor e mais plenos. Devemos cultivar sentimentos de AMOR, pois esses sentimentos nos enchem de saude e bem estar.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES