http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

QUEREM ACABAR COM A APOSENTADORIA

sábado, 7 de março de 2009

DIARIO DO ROCK










No bairro proletário de Realengo e Padre Miguel no Rio de Janeiro, existia um grupo de jovens sonhadores. Um deles era o Osmar que tinha uma paixão. Sua grande paixão era o Rock e como gostava muito de Rock, paixão essa que surgiu depois que se apaixonou pelos Beatles, que foi uma verdadeira febre nos anos 60, pensou logo em tocar os sucessos desse e de outros astros do Rock e também da música popular.


Logo formou uma banda que dava shows nos clubes da redondeza. Deu alguns shows no CRIR que era um clube de Realengo e também no CREIB de Padre Miguel, lá mesmo perto da quadra da Escola de Samba Mocidade Independente, e em alguns outros lugares.


Com isso o Osmar foi pegando experiência com a guitarra e o violão. Suas tardes de sábado eram passadas ensaiando e tocando na varanda de sua casa em Padre miguel junto com outros aficcionados pelas músicas populares. De vez em quando dava algumas festinhas em sua casa. Toda a sua família participava, a Mãe e seus muitos irmãos, mas nas festas uma coisa era regra. Só tocava música dos Beatles e vez por outra uma música dos Roling Stones ou de outra de suas grandes paixões que é o JIMI HENDRIX. Por sinal o Osmar é um profundo entendido desse artista que considera inigualável.


Sua mãe protestava, pois queria tocar um Martinho da vila ou outro genero de música, mas o Osmar protestava e não deixava. Tinha que se manter fiel à tribo que ali se reunia e que era a tribo BEATLEMANIACA.


O tempo passou, o Osmar estudou, fez o pré vestibular no curso ADN de Madureira, fez prova para a UERJ e se formou em Engenharia Cartográfica. Posteriormente muito inteligente como era, conseguiu passar em um concurso para a Petrobrás, concurso esse que dispunha de sómente cinco vagas. Seguiu carreira, está muito bem na empresa onde trabalhou toda a sua vida profissional.



Com isso seus projetos musicais ficaram em segundo plano, mas o Osmar não deixou de tocar e fundou a banda "DIARIO DO ROCK" onde colocou seus dois filhos que nasceram de seu casamento com sua esposa Cecilia. Criados no ambiente do pai que é um músico de mão cheia e que consegue imitar com perfeição os solos de guitarra das maiores estrelas do Rock de todos os tempos, os peixinhos se criaram e agora ensaiam seus primeiros vôos com o conjunto "SATÉLITES DA BABILÔNIA". Na cidade de Macaé esse conjunto vem desde a muito fazendo apresentações, e agora que o Osmar se mudou de Macaé para o Rio de Janeiro, fez sua apresentação no TEATRO RIVAL em 15 de julho de 2008.



video


Nós que tivemos a felicidade de acompanhar de longe sua tragetória, pudemos filmar todo o show. (Com algumas poucas falhas) Esse Show é muito bom e foi gravado em um DVD. Quem quiser adquiri-lo, e vale muito a pena, pode contacta-lo. O show faz um passeio por toda a história do ROCK AND ROLL e é de "LAVAR A ALMA", expressão cunhada por eles. Apreciem um pouco dos vídeos aqui na página. Visivel sómente em ambiente fora da Petrobrás ou nas máquinas da Internet RECREATIVA. As imagens estão no YOU TUBE e no GOOGLE VÍDEO. Basta fazer a pesquisa.



Alguns háo de me perguntar porque o tema, pois está meio fora do contexto do BLOG. É que o Osmar é meu amigo de infância, e eu quero divulgar seu trabalho. Nenhum preconceito contra o ROCK, que é uma forma de expressão apenas.






O Diário do Rock é uma banda cuja formação básica é o rock que transa também o blues, rhythm &blues e folk, revendo o melhor de tudo isso desde a década de 50, incluindo a “Prata da Casa”.



O Diário surgiu há aproximadamente 18 anos (Início dos 90’s), praticamente no início da Casa de Cultura Tókio Jazz em Macaé, RJ.



Foi ali que nasceu o nome da banda, formado por Osmar Machado (guitarra, viola e voz), William Lage (guitarra, viola e voz), Augusto Canellas (Baixo e voz) e Rodrigo Cogu (bateria e voz), excelentes músicos de Macaé e do Rio de Janeiro.



Nesta estrada foram realizados muitos shows (Macaé, Rio das Ostras, Búzios, , Cidade do Rio de Janeiro , Ipatinga – MG entre outros) onde a tônica geral sempre foi “Lavar a Alma” – o mais importante para o Diário é fazer de cada show uma grande festa e que as pessoas se divirtam de fato.



Uma das principais causas da boa aceitação do Diário é a integração do público com a banda em função do seu ótimo repertório, que inclui ícones como Eric Clapton, Stevie Ray Beatles, entre outros. Venham curtir o bom e velho rock’n’roll.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES