http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

QUEREM ACABAR COM A APOSENTADORIA

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

MONTE UMA REDE DOMÉSTICA PARA COMPARTILHAR INTERNET E IMPRESSORA

A muito tempo os hoteis vem disponibilizando em seus quartos, aos hospedes o acesso à Internet. Isso é particularmente importante para executivos que hoje precisam de Internet para tudo. Dessa forma há nos Hoteis redes que uma vez plugadas ao notebook do cliente, permitem que esse possa navegar a vontade. Há Hoteis que oferecem esse serviço gratuitamente, mas há os que cobram por uma período de navegação em troca de um pagamento, quando então disponibilizam uma senha para acesso. Além disso há planos para CIBER CAFÉS, AEOROPORTOS etc... Pode-se comprar um plano de acesso para esses locais, mas nesse caso como em muitos hoteis da atualidade o acesso não se dá mais por redes com cabos, mas por uma internet sem FIO chamada WIRELESS.
Hoje em dia há muitas pessoas que querem montar redes em casa e o mais comum é montar uma rede WIRE LESS (SEM FIO). Veja que a REDE BLUETOOTH não serve para compartilhamento de Internet porque tem baixa velociade. Sua velocidade atende muitos periféricos mas não a Internet.
Portanto se você quer montar uma rede doméstica interligando vários computadores e compartilhando o acesso à Internet entre eles, você tem duas opções bastante comuns. Montar uma rede cabeada, ou seja inteligada por meio de cabos, ou uma rede sem fio, no caso a popular WIRE LESS.
Há várias formas de se montar redes. Se forem cabeadas pode-se utilizar HUBS, SWITS ou ROTEADORES, mas a mais segura e estável rede é a que emprega ROTEADORES, sejam cabeados ou Wireless (Com fio ou sem fio).
Essas redes seguem o protocolo TCP/IP (O mesmo protocolo da Internet), e por isso são muito velozes. A rede cabeada tem muito poucas perdas, e por isso é a mais estavel, segura e veloz, já a rede Wireless tem perdas, e sua velocidade pode-se situar em torno da metade da rede cabeada, porém a velocidade dessas redes é tão alta que mesmo com perdas a diferença não será notada na maioria das vezes.
Notebooks já a algum tempo tem incorporados em si as redes WIRELESS e também as cabeadas que são utilizadas plugando-se o cabo de rede no conector correspondente. Se você chegar em um hotel e quiser utilizar a rede Wireless, terá que apertar o comando (Normalmente designado por um conjunto de duas teclas) para que o sistema de radio Wireless inicie a funcionar. Portanto se você tem um notebook ele já está preparado para utilizar redes Wireless. Não precisa comprar mais nada para ele.
Os roteadores cabeados tem normalmente uma porta WAN e quatro portas LAN. Na porta WAN deverá ser plugado o cabo de rede que vem do moddem ou do CABLEMODDEM se for o caso de internet a cabo. Nas portas LAN devem ser conectados os micro computadores que se comunicarão por meio da rede caseira interna. Experimente acessar então as propriedades de rede e configurar o protocolo TCP/IP. Coloque como conexão automática, clique em OK e depois é só navegar.
Se o seu ROTEADOR é Wireless ele vem preparado para conexões cabeadas ou sem fio. Nesse caso você pode plugar o computador mestre em uma porta LAN (CABEADA) e os outros se conectarão pela rede Wireless.
Se você tiver mais de tres micros ligados em rede (No caso de rede cabeada) haverá necessidade de se colocar um swit para aumentar o número de entradas para mais micros ou periféricos ligados à rede. Hoje é comum ter um impressora por exemplo com acesso por rede. Nesse caso ela ocupará uma das portas LAN e terá um endereço TCP/IP
Paralelo ao sensível crescimento do mercado de notebooks no Brasil, nada mais lógico que as chamadas redes residenciais de padrão Wi-Fi (ou Wireless Fidelity) sigam a mesma tendência. Portanto, comece a pensar em desfrutar na sua casa as maravilhas da Internet sem fio, uma tendência irreversível e muito bem-vinda. Confira o que você precisa saber para montar uma WLAN sem dificuldades, conhecendo siglas e componentes.
802.11 – arquitetura de radiofreqüência definida pelo IEEE (Institute of Electrical and Eletronics Engineers) para redes sem fio no padrão WLAN. Por conta de sua enorme difusão, esse código praticamente se tornou sinônimo de rede local sem fios.
Como se trata de um formato de código aberto, acessível a todos, o 802.11 é usado na maioria dos hotspots espalhados em aeroportos, universidades, restaurantes e mais uma infinidade de estabelecimentos. Desta forma, as fabricantes de notebooks também já oferecem embutidos nos equipamentos placas Wi-Fi adaptados para este tipo de freqüência. Caso seu laptop não tenha esse componente, ele pode ser encontrado facilmente em lojas de informática. Basta espetá-lo em uma porta USB do portátil.
Existem vários tipos de padrão 802.11 e cada um conta com características próprias, principalmente no que se refere à velocidade de transmissão de dados. Atualmente, os mais utilizados são:
802.11a – atinge até 54 Mbps (megabits por segundo) dentro dos padrões da IEEE e de 72 Mbps a 108 Mbps por fabricantes não autorizados. No entanto, a taxa real comum é de 25 Mbps, com raio de alcance de 30 m a partir do ponto de emissão do sinal. Operando na freqüência de 5GHz, suporta até 64 usuários por ponto de acesso. Suas maiores vantagens são a velocidade, gratuidade da freqüência e ausência de interferências. No entanto, este padrão consome uma quantidade alta de energia, tem alcance limitado e equipamentos com alto preço.
802.11b – alcança velocidade máxima de 11 Mbps ou até 22 Mbps em equipamentos não padronizados, sendo que sua taxa de transmissão média é de 6,5 Mbps. Suporta até 32 usuários por ponto de acesso e tem alcance de até 50 m. Devido a sua faixa de freqüência de 2,4 GHz, está mais exposto a interferências. Suas maiores vantagens são o baixo dos dispositivos.
802.11g – traz velocidade superior a do padrão b – 54 Mbps no máximo, com taxa média real de 25 Mbps – funcionando também na freqüência de 2,4Ghz, sofrendo também com as interferências de seu “colega” b.
Atualmente, as fabricantes de dispositivos Wi-Fi oferecem produtos compatíveis com estes três padrões, mas existem outros formatos de 802.11.
Componentes para montar uma rede Wi-Fi
Acess Point Router– os acess point routers são dispositivos que se comunicam com o computador – ou com vários, caso o usuário queira montar uma rede doméstica com vários PCs e/ou notebooks. Plugado no modem que fornece o acesso à Web, ele distribui o sinal via ondas de rádio e permite que todos os equipamentos configurados consigam navegar pela Internet. Os mais indicados para quem quer utilizar Internet sem fio em casa são aqueles que contam com o padrão 802.11g.
Outro fator que o usuário deve levar em conta na hora de montar uma rede Wi-Fi é decidir em que local ele deve colocado. Isso porque tais equipamentos têm alcance limitado, com 50 m em média e à medida que você se distancia do dispositivo, a velocidade de conexão cai. Além disso, paredes e vidros funcionam como obstáculos para obstruir o sinal. Por isso, é recomendado que o usuário instale o roteador em uma área central da casa. Entre as principais fabricantes de acess point, estão a 3Com, a Linksys e a D-Link, com preços que variam entre R$ 180 a R$ 580, de acordo com as especificações do modelo (número de portas, velocidade, etc).
Uma vez o acess point conectado ao modem, o usuário deve configurá-lo para direcionar o serviço de Internet para o modem. A maioria dos equipamentos vem configurados para receber essas instruções do modem automaticamente. No entanto, se o serviço de banda larga escolhido pelo usuário for de Internet a cabo (Virtua, da Net ou Ajato, da TVA), o acess point deve ser configurado para fazer a clonagem do Mac Adress (endereço físico da placa de rede). Se o serviço de banda larga for ADSL (Speedy, da Telefonica, Velox, da Telemar, entre outros), o acess point precisa ser roteado, ou seja, configurar usuário e senha no acess point por meio da configuração de protocolo PPOE.
Para realizar este processo - um tanto quanto complicado, admitimos - o usuário deve entrar no navegador Internet Explorer e digitar um endereço IP fornecido pelo fabricante. Inserido o IP, é necessário entrar com o código de usuário e senha - também fornecido pela fabricante - e acessar o painel de configuração do acess point router, para realizar a conexão.
Antena repetidora – equipamento indicado para quem mora em casas muito grandes ou até mesmo em sobrados. A antena é essencial para manter o sinal da Internet sem fio forte, quando o usuário queira se locomover por vários cantos da casa com seu notebook ou handheld.
Placa Wi-Fi/Cartão PCMCIA – estes componentes são indicados para os usuários que possuem um PC ou notebook mais antigos e que não contam com estas placas de comunicação Wi-Fi pré-instaladas. A boa notícia é que para usar tais dispositivos basta plugá-los em qualquer porta USB (no caso, uma placa Wi-Fi) e instalar o software (via CD), em um processo que demora poucos minutos. O mesmo vale para os cartões PCMCIA (exclusivo para notebooks) que, no entanto, contam com um slot específico. A má notícia é que se este for o seu caso, você precisará desembolsar mais R$ 100, R$ 130 – em média - para adquirir tais acessórios.
Segurança
Um problema que o usuário de redes Wi-Fi deve ficar atento é para o quesito segurança. Isso porque, como dissemos anteriormente, o padrão 802.11 é aberto e, por isso, é comum que “espertinhos”, com um pouco mais de conhecimento de tecnologia se aproveitem de uma rede localizada na casa ou apartamento do lado, usando a banda larga sem pagar nada e, para piorar, tornado a velocidade de conexão do proprietário original mais lenta. Além disso, crackers mal intencionados podem interceptar a transmissão de dados para se apropriar de senhas bancárias, números de cartões de créditos, entre outros dados sigilosos.
Para se prevenir de tais problemas, é necessário instalar e alterar periodicamente o código de acesso à rede. Para isso, o usuário deve também entrar no navegador e digitar um endereço IP fornecido pelo fabricante e, logo a seguir, entrar com o código de usuário e senha - também fornecido pela fabricante - e acessar o painel de configuração do acess point router. Feito isso, o usuário deve selecionar o sistema de encriptação que julgar mais adequado (informação protegida em 64, 128 ou 256 bits, nos sistemas WEP, WPA ou WPA2). Quanto maior o número de bits, mais protegido estarão os dados. No entanto, quanto mais protegidos esses dados, menor será o desempenho da conexão. Outras soluções de segurança, como antivírus e firewall, também devem estar sempre ativadas e atualizadas.
O primeiro passo ao montar uma rede de computadores é planejar a estrutura física da rede, ou seja, a localização do Switch, que é o equipamento responsável por distribuir o sinal da rede, e a localização e instalação do cabeamento da rede.




O Cabeamento

O cabeamento muitas vezes é negligenciado por grande parte dos instaladores de rede e em grande parte dos casos é o responsável por problemas na rede e até pane nos equipamentos, principalmente quando passados juntos ao cabeamento de energia elétrica, o que poderá causar grandes interferências na sua rede de computadores e, em caso de descargas elétricas mais sérias, afetará a sua rede podendo até danificar os equipamentos de forma grave.



Os cabos de rede nunca poderão seguir no mesmo conduíte da fiação elétrica e deve-se respeitar a distância mínima de 30 cm da mesma. Em muitos casos é viável utilizar o mesmo conduíte da rede telefônica interna para a passagem dos cabos de rede. É importante também observar a distância máxima entre os pontos de uma rede. Embora existam alguns casos onde a rede funciona em distâncias muito grandes, é recomendável respeitar o tamanho máximo do cabo entre cada ponto de rede de 100m. Isso garantirá que a sua rede não sofrerá com perdas de pacotes de dados o que consequentemente fará com que a sua rede funcione à uma velocidade muito baixa ou talvez nem funcione.

A crimpagem dos cabos

A crimpagem dos cabos de redes consiste na montagem dos conectores de rede de cada ponta do cabo que será ligada ao computador e ao Switch.



Os cabos de rede foram projetados para funcionar gerar a sua própria blindagem através de um campo eletromagnético gerado através do trançado de cada par. Quando eliminamos esse fator de blindagem crimpando os cabos de rede de forma incorreta, a nossa rede começará a sofrer interferências geradas por ela mesma e mais uma vez você terá uma rede lenta e com perda de pacotes de dados.



A sequência correta para crimpagem dos cabos segue abaixo:


Branco do Laranja

Laranja
Branco do Verde
Azul
Branco do Azul

Verde

Branco do Marrom
Marrom




O seu cabo de rede deverá ficar idêntico ao mostrado ao lado.
Configuração da Rede


Agora que você já sabe como cabear corretamente a sua rede e fazer a crimpagem dos cabos, é hora de configurar a sua rede para que ela funcione corretamente.



O primeiro passo para a configuração de uma rede de computadores é definir o protocolo utilizado por ela. Nesse post vamos pegar como exemplo a configuração através do protocolo TCP/IP que já vem instalado por padrão no Windows XP e na maioria dos sistema operacionais.



Para configurar o protocolo TCP/IP no Windows XP vá até o Painel de Controle e abra o ícone “Conexões de Rede”, ao abrir esse item você terá acesso à todas as conexões de rede disponíveis em seu computador, basta agora que você selecione o ícone referente à sua conexão de rede local, clique nesse ícone com o botão auxiliar do mouse (geralmente, o botão direito) e clique em “Popriedades”. Você verá então a seguinte tela:


Agora você deverá clicar duas vezes em cima da opção “Protocolo TCP/IP” para ter acesso à tela de configurações do protocolo de comunicação de sua rede como visto abaixo:

Agora deveremos marcar a opção “Usar o seguinte endereço IP” e preencher os espaços com os seguintes dados:




Endereço IP: 10.0.0.10

  • Este endereço é padrão para alguns ROTEADORES, mas existem outros padrões. Convém consultar o manual do ROTEADOR para verificar qual o endereço padrão que já vem programado no Roteador. Você também pode mudar esse endereço se quiser, mas para isso terá que acessar o moddem (O que está explicado no manual.) E alterar o seu endereço padrão.
Máscara de sub-rede: 255.255.255.0
Gateway padrão: (deixar em branco)


A sua caixa de configurações deverá ficar como mostrado abaixo:
Basta agora clicar no botão “OK” para sair das propriedades do protocolo TCP/IP e em “OK” novamente para sair da caixa de propriedades da sua rede local e a rede estará configurada no seu computador. Para completar a configuração nos demais computadores, siga exatamente os mesmos passos apenas modificando o último número do endereço IP de cada computador. Como exemplo, poderemos seguir a sequência a seguir:



Computador Endereço IP
01 10.0.0.10
02 10.0.0.11
03 10.0.0.12






Utilize essa configuração para todos os computadores que quiser, lembrando que o número máximo para o final do endereço IP deverá ser 254, ou seja, 10.0.0.254.


Se você possuir um roteador ADSL para acessar a internet, poderá deixar essa configuração automática, ou seja, deverá deixar marcada a opção “Obter um endereço IP automaticamente” ao invés de optar pela configuração manual do endereçamento IP da máquina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES