http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

PSDB teria vendido a Petrobrás'' e estadunidenses confirmam que se Serra vencer ele vende





Meus irmãos dos EUA já sabem , se eu vencesse as eleições presidenciais de 2010 a Petrobras seria deles. Vou lutar ao máximo para que isso aconteça.




''PSDB teria vendido a Petrobrás''.


Presidente da estatal diz que o Lula salvou a estatal de ter partes vendidas, caso os tucanos vencessem a eleição.


Roberval Angelo Schincariol e Tatiana Freitas


Mas bem que o baiano José Sérgio Gabrielli poderia ser chamado de "príncipe do mar". Em seus quase quatro anos à frente da Petrobrás, ele anunciou a conquista da autossuficiência brasileira em petróleo (2006); a descoberta do pré-sal (2007-2008); e a consequente listagem da Petrobrás entre as maiores companhias de energia do mundo.


O que para muitos críticos não passa de um golpe de sorte, para Gabrielli, que assumiu a liderança da maior companhia brasileira no lugar de José Eduardo Dutra, em abril de 2006, o sucesso da Petrobrás é fruto de uma política de governo e só foi possível graças à eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 e à sua reeleição em 2006. "O presidente Lula fez a diferença", disse em entrevista exclusiva à Agência Estado.




Segundo Gabrielli, se o resultado das eleições tivesse sido outro, com a vitória de José Serra em 2002 ou de Geraldo Alckmin em 2006, a Petrobrás teria tomado outro rumo. "Partes da empresa poderiam ter sido privatizadas." 




Mas Gabrielli também acredita no destino. Segundo ele, "há muita sorte em encontrar petróleo". Mas não apenas isso. "Você não perfura um poço a 300 quilômetros de distância da costa e a milhares de metros de profundidade apenas confiando que Deus é brasileiro." 

A "Foreing Policy" publicou uma matéria recentemente questionando o novo marco regulatório do pré-sal, principalmente no que diz respeito à participação do Estado na Petrobrás. Citando os dois possíveis candidatos mais em evidência, a revista afirma que se o governador José Serra vencer as eleições presidenciais de 2010, ele vai tentar reverter isso. Já se a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, sair vencedora, as empresas internacionais terão de recorrer à Justiça. O que o sr. tem a dizer sobre isso?




Que a Foreing Policy, uma revista americana, é uma think-tank liberal que tenta influenciar a opinião pública. 


Uma crítica sobre a presença do Estado em uma empresa vinda da Foreing Policy é normal. O contrário é que seria novidade. 


Acredito que a proposta do governo para o pré-sal claramente aumenta o papel do Estado. E isso é necessário e importante porque essa é a tendência mundial. E sempre foi na área do petróleo, que é um produto essencialmente vital e estratégico para a vida moderna. Mas há exceções, como...Os Estados Unidos não estão ausentes da indústria do petróleo. 


O Estado americano pode não estar diretamente produzindo, mas está atuando fortemente via estoque regulador, via estímulo às suas empresas, via regulações. No caso brasileiro, me parece que a nova regulação reflete uma realidade distinta da antiga regulação. 


São diferenças importantes. A primeira é o acesso a capitais. Na década de 90, tínhamos um problema para termos acesso a capitais que hoje não existe. A outra é o acesso à tecnologia. Hoje a Petrobrás, em águas profundas, é a empresa que tem maior mobilização tecnológica e conhecimento, e opera 22% da produção de águas profundas no mundo.




11 comentários:

  1. PELA POLÍTICA DO PSDB, É FÁCIL IMAGINAR QUE REALMENTE ISTO TERIA OCORRIDO, MAS VALE RESSALTAR QUE DURANTE O GOVERNO FHC, HOUVE UMA MOBILIZAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS E SINDICATOS PETROLEIROS NO SENTIDO DE ALERTAR A OPINIÃO PUBLICA DO QUE ESTAVA POR OCORRER E ISTO TALVEZ OS TENHA ASSUSTADO NA ÉPOCA COM MEDO DE PERDEREM AS ELEIÇOES O QUE ACABOU POR ACONTECER MAS SE O PSDB HOUVESSE GANHO HOJE ESTARIAMOS VENDO RECORDES E MAIS RECORDES CREDITADOS EM CONTAS QUE NÃO SERIAM AS DO POVO BRASILEIRO. POR ISSO E ALGUMAS OUTRAS COISINHAS MAIS QUE QUEREMOS VE-LOS CADA VEZ MAIS LONGE DO COMANDO DE NOSSA NAÇÃO. FORA ENTREGADORES, TRAIDORES DO POVO BRASILEIRO,.

    ResponderExcluir
  2. A luta pela entrega das nossas riquezas, principalmente o petróleo é uma luta antiga que remonta à época de Getúlio Vargas. Nessa época, os entreguistas estavam na UDN que tinha políticos de peso e faziam escancaradamente de escritório central o gabinete do Governo Norte Americano, na época o John Kennedy, e que financiava os governos Carlos Lacerda (RJ) e Ademar de Barros (SP) assim como Juracy Magalhães (MG), isso na era pós Getúlio. Na verdade uma intensa campanha contra Getúlio levou-o ao suicídio, e o seu maior crime foi ter criado a Petrobras contra todos os interesses Norte Americanos, o que acirrou os animos contra ele. Cumpria assim a determinação de premiar o povo que o levou ao poder pelo PTB, em 1951. Ainda hoje os entreguistas tentam tirar pedaços os maiores possíveis das nossas riquezas e se utilizam muito do artifício denominado "DOAÇÕES DE CAMPANHA" que na verdade é uma forma de lavar o SUBORNO escancarado com que os políticos são comprados para fazer parte da gangue dos entreguistas, o que óbviamente é feito em troca de favores, favores esses patrocinados pela CIA, pois uma das formas de controlar os países do que eles chamam de "SEU QUINTAL" ou mais específicamente o "CONE SUL" é controlando as políticas desses países pela cooptação de políticos, militares etc... e conseguem assim fervorosos defensores do entreguismo como o tristemente famoso Roberto Campos. Óbviamente quando o dinheiro não chega em sacolas de supermercados como era o método do Paulo Cesar Farias, posteriormente assassinado, chega por meio de doações de campanhas de empresas multinacionais que tem no comando testas de ferro dos interesses Norte Americanos como o também tristemente famoso Jornalista Roberto Marinho. FHC só não vendeu a Petrobras porque o fervor nacionalista dos militares o impediu, mas esse era um grande sonho desde a época de Collor. Como não conseguiu fazer isso diretamente, pretendeu dividi-la em unidades de Negócios para ir vendendo-a aos poucos, e paralelamente tentou sucatea-la, bem como descaracteriza-la trocando seu nome (LEMBRA?), como prejudica-la de todas as formas colocando na sua presidencia um Francês pelo que teve que mudar o estatuto da empresa que só permitia Brasileiros Natos.

    ResponderExcluir
  3. Eu não creio que isto seja de fato ou de direito particular ou partidário; A razão é que o povo também precisa pagar menos pelo preço dos combustíveis; atualmente pagamos muito caro pela gasolina e pelo àlcool até porque, é injustificavel uma vez que somos auto-suficiente; os estados unidos importam 60% do petróleo mundial e o custo da gasolina que lá é vendido em galão é menor comparado ao nosso. Isto significa que estamos mantendo emprego com salários altos para uma minoria da população a custa de toda sociedade. Eu discordo em ter que dividir despesas altas para manter uma minoria. O Brasil é um país rico, portanto o povo tem que ser rico e não manter uma minoria rica. Esta estória de socialismo barato empregnada desde o passado tem que ser acabada, já deu pra bola, novamente surge a mesma balela que havia na empresa de telefones (um grupo bem remunerado sem progresso, só mantendo salários e empreguismos) chega, basta; Temos que fazer história não estória de carochinhas.

    ResponderExcluir
  4. No Brasil, precisamos acabar com esta indução de nomes presidenciáveis. Precisamos de nomes diferentes, de pessoas que de fato tenham interesse na coisa para o público e não da coisa pública para seu bel-prazer como tem sido na história do Brasil. Criar slogan desta natureza para barganharem votos é coisa combinada. O povo brasileiro precisa despertar para o seu interesse e não desses macabulados que oprimem o povo pela finança, pelos abusos de impostos e por tantas e tantas irregularidades; vamos acordar povo varonil e vamos mandar todos estes nomes para a ponte que partiu, assim eles também irão com as águas. Chega de safadeza.

    ResponderExcluir
  5. Assim foi e continua sendo com o aumento do Salário Mínimo, um verdadeiro Afronto.
    Quando assisti os jornais das diversas redes de televisão e ouvi os repórteres anunciarem o aumento do salário mínimo para o dia primeiro de janeiro de 2010; aparentemente um ato notório, porém, de deveras vanglorias na vista do presidente do Brasil, que vê este ato como trunfo político, e que talvez ache que ainda o povo é trouxa.
    Quem não sabe que este valor anunciado continua sem eficácia social; pois, já é sabido que muito antes do plano Real, já precisaria de uma reforma tributária para fazer crescer a nação, senão, fica impossível para uma economia crescer como nos moldes de uma partilha familiar; ela hoje é uma crescente sim, mas, para encarecer o produto interno bruto como já ocorre nos supermercados, nos postos de gasolina, e nas diversas áreas do nosso potencial econômico, basta apenas compararem os preços, pois a moeda o Real, continua o mesmo Real, até mais baixo aparentemente a vista do dólar, para não dizer mascarado, e segundo a equipe econômica o país está ajustado etc., mas pra quem? Para o sistema? Para uma minoria? Veja que isto é uma constante estagnação no país, o povo está apenas sobrevivendo!
    Como todo efeito causa um efeito, o transtorno deste efeito está ai, havendo neste atributo justamente o inverso da suposta economia que o povo deseja, até porque, ela deveria se ajustar se houvesse a ausência de agregação do poder econômico que é tem de fato o custa do tributo abusivo e é taxativamente o que afeta qualquer nível da classe social, até porque, pela continuação tributária estúpida e abusiva deste vil progresso, evidentemente, vamos chegar à pobreza rapidamente; daqui apouco não conseguiremos comprar absolutamente mais nada.
    Em resumo, este governo com apoio de alguns congressistas, tem de fato, o intuito político de mensurar o Brasil economicamente nos moldes do regime Perestroika, está evidente fazendo o papel de casa, agregando poder político, poder econômico, e negligenciando o direito do povo, sem cumprir absolutamente nenhuma proposta de muitas campanhas políticas; esta ai 8, e mais 7 anos que se foram, o crescimento não foi e não é mérito de nenhum deles, mais sim de alguns empresários que quase conseguiram fazer o Brasil decolar mais sem crescer economicamente.
    Não existe milagre político para a economia de nenhuma nação, se não houver reforma tributária justa, existe é muito trabalho e muita honestidade para que uma nação seja prospera. Hoje é preciso que se compare os preços de tudo desde o inicio do plano Real até agora e vejamos de fato o diferencial social, se isto, não alterar na vossa visão, então economia é...
    O povo tem sido enganado até na hora de ter que escolher um candidato para votar, não deveria e não deve os partidos políticos usarem a mídia para fazerem o povo engolir nomes pré-estabelecidos de seus interesses para o seu bel-prazer.
    A política também tem que ser séria neste país, pois deixar os nossos bens serem administrados por qualquer calhorda que tem apoio logístico de um grupo fechado que deseja o domínio político e financeiro do país a custa de seus súditos já deu pra bola.
    Alerta pessoal, alerta porque chega de bicicleta.
    Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.

    ResponderExcluir
  6. O problema das estatais no Brasil, acho que também em quase todas nações com ideais socialistas, é o encarecimento do custo benificio, contrário ao da iniciativa privada, pois, a garantia de emprego costuma gerar a improdutividade, ficando a atividade de progresso para terceiros resolverem. É ai que os custos dos combustíveis não gera o barateamento que deveria; somos de fato auto-suficiente mas para gerar empreguismo políticos inclusive para aposentados, ai não dá para ser feliz. A própria Petrobrás comete gastos absurdos do tipo; Afreta navios com diárias caríssimas e mesmo na costa não difine com exatidão os portos a ser descarregados os produtos petrolíferos, um exemplo disso, é eles carregarem um navio afretado na bacia de campos, e determinarem a rota para São Sebastião-SP, durante a trajetória, este mesmo navio recebe instruções para se dirigir para Tramandaí-RS por exemplo, quando o navio está chegando, recebe instrução para voltar ao porto anterior, no caso, o de São Sebastião, nesta má gestão, existe custo que recai sobre os preços dos combustíveis, incompetência gera perdas e como funcionário público tem garantia de meprego quem paga o pato é o povão. No meu ponto de vista, nós temos que acabar com este tipo de empresa estatal que só dá prejuizo social, somos auto-suficiente, mais pagamos a gasolina e o alccol mais caro do que um país que não detém o controle estatal e importa 60% do petróleo. Parem né, o povo tem que desfrutar da sua auto-suficiência, e não bancar custo da burrice e dos salários de uma empresa estatal.

    ResponderExcluir
  7. Este anônimo que é contra as estatais esquece que quem quebrou o mundo foi a iniciativa privada , o mercado imobiliario americano.Segundo, nós temos o maior rebanho do mundo e no entanto a carne não é de graça e tem um custo muito inferior ao de um barril de petróleo.Terceiro, veja o exemplo da telefonia onde até o celular pré-pago é mais caro que o pós pago ; um absurdo pois tudo que voce paga antes deve ser mais barato e além disso , nós temos o telefone mais caro do mundo.
    O monopólio privado é muito pior que o estatal .A Petrobrás, a Embrapa e a Copel são hoje estatais que lideram , tanto no lucro quanto na competência social.O dia que a iniciativa privada fizer concurso para admissão , talvez eu acredite nela e olha que já trabalhei muito na mesma ... ou seja para os outros . Tudo que é privado é mais caro e enriquece uma minoria , principalmente de multi-nacionais .

    ResponderExcluir
  8. Concordo que quem quebrou o mundo foram empresas estatais, só que elas também se quebram e não mantém empreguismo ao custo do povão como acontece nas estatais, que além de não produzirem com eficacia, ainda é má gerida; exemplo disso, são os remanescentes com altos ganhos de aposentadoria em estatais, políticos ou da reserva militar, que além de tirarem a vaga dos que estão desempregados neste país, ainda cometem burrices do tipo mencionado em uma mensagem de afretamentos de navios da Petrobrás etc., Na iniciativa privada, não se pode perder dinheiro, além de você ter que pagar, ainda perde o trabalho; Nas estatais, além da negligência dos fatos geradores, ainda existem previlégios como: garantia de emprego; apadrinhamento, corporativismo que atrapalha em muito uma sociedade que quer crescer. Quanto aos abusivos pagamentos por telefone e outras multinacionais abusivas, é questão de interesse político em firmar por legislação, obrigações com penalidades até de perda da empresa se houver abuso contra a sociedade etc., no entanto, o Congresso nacional que deveria estar ligado ao interesse público, está ligado ao interesse particular de suas candidaturas e de suas barganhas políticas. Outro aspecto a ser observado também são os funcionários públicos da ANEL ANATEL OPORTUNITEL do Brasil, que pouco estão se lixando com as denúncias do povão; É muito complicado para o povo conseguir se expressar, o suposto sistema de garantia social, é moroso, é rigoroso para adesão, a própria justiça é lenta neste país, tudo favorece. Nós temos que ser justo em todos os aspectos para modernizar eswte torrão.

    ResponderExcluir
  9. Hoje 12.01.2010, aberto concurso para Estatal Petrobras. Estude, passe no concurso publico, faca exames praticos, medicos, piscologicos, ergonometricos, e venham TRABALHAR, tal como faco a 23 anos. Aqui nas areas operacionais da Petrobras, nao temos DOLAR NA CUECA tal como em BRASILIA. Aqui trabalhamos em area de risco explosao, incendio, acidentes devido a POLITCA ENTREGUISTA dos SRs. COLLOR e FHC, onde nossas instalacoes industriais foram abandonadas, sem VERBA para as MANUTENCOES. Aqui nao tem MARAJAS e, sim CHEFES DE FAMILIA que saem de seus LARES e nao tem a CERTEZA de que retornaram ao SEUS LARES. RESUMINDO, PASSEM NO CONCURSO E VENHAM TRABALHAR. rc.bibian@hotmail.com TEC.MANUTENCAO.

    ResponderExcluir
  10. Esta idéia de concurso é muito boa para quem realmente trabalha e produz para a nação; infelizmente o corporativismo existencial nas estatais é semelhantemente aos dos políticos acordando sempre vantagens, esquecendo-se que quem garante o sitema funcional é a iniciativa privada em quase toda nação. Esta estoria de lamentação de que trabalhamos etc., mais que na iniciativa privada não, até porque não tem nem garantia de trabalho, isto é oba-oba de corporativistas, taí o custo dos combustíveis para expor o que eu penso; as estatais estão custando muito caro para a nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  11. Hoje, 26/01/10, 16:15h acabo de receber a informação pela Portos & Navios, que a Petrobras confirmou a compra da fatia da Devon no Golfo do México.
    A Petrobras confirmou que exerceu seu direito de comprar a participação da Devon Energy num campo de petróleo no Golfo do México. A Petrobrás é a principal operadora do campo. No entanto, o preço da gasolina e do alccol que está sob a tutela da Petrobrás esta mais caro, ou seja, o dobro de qualquer outro país sulamericano, justamente para efetuar este tipo de operação. Bem atipico do Brasil, o povo que se dane e ainda vou dizer que a Petrobrás é minha porque eu pago mais alto o preço do combustíveis é ruim hein. Prefiro que a Petrobrás seja de qualquer outra empresa civil, mas não estatal para sermos explorados como estamos; Isto ocorria nos tempos da ditadura e agora também, e daí como fica...

    ResponderExcluir

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES