http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

JORNAIS QUE TEM INFORMAÇÃO REAL.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

A CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA PERANTE O CAOS NACIONAL COM A TRAGÉDIA QUE É A GESTÃO DE PEDRO PARENTE NA PETROBRAS.


DEBATE ENTRE A MÍDIA SÉRIA E NÃO COMPROMETIDA COM AS PRINCIPAIS LIDERANÇAS DOS PETROLEIROS.


Na cidade de Joinville houve um concurso de redação na rede municipal de ensino. 

O título recomendado pela professora foi: 'Dai pão a quem tem fome'. 

Incrível, mas o primeiro lugar foi conquistado por uma menina de apenas 14 anos de idade. E ela se inspirou exatamente na letra de nosso Hino Nacional para redigir um texto, que demonstra que os brasileiros verde amarelos precisam perceber o verdadeiro sentido de patriotismo.

 Leiam, e se emocionem assim como eu, o que escreveu essa jovem. É uma demonstração pura de amor à Pátria e uma lição a tantos brasileiros que já não sabem mais o que é este sentimento cívico. 


Eis o que a garota escreveu:


 “Certa noite, ao entrar em minha sala de aula, vi num mapa-mundi, o nosso Brasil chorar: O que houve, meu Brasil brasileiro? Perguntei-lhe! E ele, espreguiçando-se em seu berço esplêndido, esparramado e verdejante sobre a América do Sul, respondeu chorando, com suas lágrimas amazônicas: 

- Estou sofrendo. Vejam o que estão fazendo comigo... Antes, os meus bosques tinham mais flores e meu seio mais amores. Meu povo era heróico e os seus brados, retumbantes. O sol da liberdade era mais fúlgido e brilhava no céu a todo instante. Onde anda a liberdade, onde estão os braços fortes? Eu era a Pátria amada, idolatrada. Havia paz no futuro e glórias no passado. Nenhum filho meu fugia à luta. Eu era a terra adorada e dos filhos deste solo era a mãe gentil. Eu era gigante pela própria natureza, que hoje devastam e queimam, sem nenhum homem de coragem que às margens plácidas de algum riachinho, tenha a coragem de gritar mais alto para libertar-me desses novos tiranos que ousam roubar o verde louro de minha flâmula. 
Eu, não suportando as chorosas queixas do Brasil, fui para o jardim. Era noite e pude ver a imagem do Cruzeiro que resplandece no lábaro que o nosso país ostenta estrelado. Pensei... Conseguiremos salvar esse país sem braços fortes?
Pensei mais.... Quem nos devolverá a grandeza que a Pátria nos traz? Voltei à sala, mas encontrei o mapa silencioso e mudo, como uma criança dormindo em seu berço esplêndido.”

👏👏👏👏👏👏👏 Vale a pena ler e compartilhar.👍

Quem não entende isso,  nasceu na pátria errada.😔


Repassando uma explicação de um colega do que acontece com a Petrobras e Governo Federal!

"Não costumo escrever sobre questões da Petrobras, por um motivo muito simples, trabalho nesta empresa e me torno parte suspeita de opinar, mas hoje vou fazer uma exceção.

Em primeiro lugar preciso esclarecer a diferença entre VALOR, PREÇO e CUSTO.

Quanto custa plantar legumes em casa, numa pequena horta familiar, por exemplo?

Se levarmos em conta o tempo despendido para oxigenar a terra, aduba-la, manter a irrigação durante semanas, esperar o alimento crescer e amadurecer, lutar contra as pragas e doenças específicas de cada hortaliça, não esquecendo que nosso tempo custa dinheiro e que a porção que iremos colher, nesta pequena plantação, não nos alimentará por muitos dias. 

Então chegaremos à conclusão de que seu CUSTO é muito alto, pois estaremos agregando ao alimento, um VALOR que não estamos dispostos a pagar, apesar de seu PREÇO final ser muito baixo.

Esta é uma rápida definição de CUSTO, PREÇO e VALOR das coisas. 

Às vezes o custo de produção não vale o preço praticado e vice versa.

Agora entendemos que: valor, custo e preço são coisas muito diferentes e que, por isso, determinam atitudes distintas, numa estratégia de mercado e de vida, mas que infelizmente nos são colocadas como coisas iguais, talvez para que aceitemos mais facilmente as imposições do Deus mercado.

Agora preciso explicar o que acontece, hoje, com a Petrobras, o governo, e as demais petroleiras presentes no país.

Primeiro é preciso entender que não é a Petrobras que determina o preço final do combustível, até porque a Shell, Ipiranga e todas as outras praticam mesmo preço, no mercado nacional.

Na verdade as empresas estrangeiras apenas revendem o combustível da Petrobrás, porque não se sujeitam a comercializar o seu próprio combustível a um preço tão baixo.

Isso mesmo! 

A Petrobras vende o seu combustível “para o governo” a um valor muito baixo. Então suas concorrentes se limitam a comprar o combustível da Petrobrás para revender em seus postos, e se manterem ativas no mercado nacional, enviando toda a sua produção de hidrocarbonetos, para o mercado exterior, onde podem praticar margens de lucro bem maiores.

O grosso do valor do combustível vem dos impostos exigidos pelo governo.

A Petrobrás tem um custo de produção, muito mais baixo que o de suas concorrentes, e baseado neste custo ela determina um valor mínimo para que não tome prejuízo, e depois o “libera” para o governo colocar seu valor final em cima.

E aonde cabe a desculpa de que “estamos apenas seguindo o mercado internacional”?

Bom, esta é uma desculpa que cai como uma luva para as pessoas que não conhecem o processo e o custo real da produção do petróleo e a sua relação com o seu preço final (lembram da diferença entre custo e preço?).

O custo médio de produção de óleo diesel, por exemplo, é de, no máximo, US$ 40 por barril. 

Fazendo um cálculo rápido, utilizando uma taxa de câmbio de R$ 3,70 por dólar, e sabendo que um barril tem 158,98 litros, o custo médio de produção do diesel é de apenas R$ 0,93 por litro!


Isso mesmo, o custo do diesel é de R$ 0,93 por litro!!!


Agora vejamos:

Antes das recentes negociações entre governo e grevistas, a Petrobras vinha praticando um preço médio, NAS REFINARIAS, de R$ 2,3335 por litro, o que representa uma margem de lucro de 150%!!!


Esta margem extorsiva é uma imposição do Governo Federal, que pretende elevar os preços praticados no mercado nacional (independente de seus custos reais) a um patamar que inviabilize a Petrobras diante de suas concorrentes, que então poderiam entrar e dominar o mercado nacional, praticando os preços que bem entenderem, pois as margens já estariam muito altas.


Lembram da desculpa para vender as TELES e a LIGHT?


O valor do serviço deveria despencar e ser melhor prestado, não era essa a promessa?


Pois é, hoje temos a telefonia mais cara do mundo, e um dos piores serviços de telefonia dentre os países democráticos.


Uma vergonha!


Antes da privatização da LIGHT, seguiu-se um alucinante e covarde aumento de tarifas de energia elétrica, para que se garantisse valores próximos aos lucros exigidos pelas empresas internacionais que comprariam a LIGTH, e assim pudessem agir livremente sem que o povo percebesse o gritante aumento nas tarifas, após a privatização.


É isso que querem fazer com a Petrobras, e tem muita gente boa que acredita no discurso de que esta empresa NACIONAL é a grande vilã das nossas mazelas.


Será que nunca se perguntaram por que a SHELL não vende sua valiosa gasolina, aqui no Brasil, a um preço mais justo?


Nunca pararam para se perguntar por que a gasolina que a Petrobras vende no exterior é tão mais barata que a vendida no Brasil?


Como explicar esta distinção, sabendo que o custo de produção é o mesmo???


Para piorar a situação, este governo vem desmobilizando as nossas refinarias, e com isso, aumentando a importação de combustíveis e nossa dependência do mercado externo. 

Quanto menos plantamos hortaliças, mais temos de comprar do supermercado, lembram da analogia do começo?


Somos autossuficientes em petróleo. Não é razoável que dependamos do mercado externo, e pior, que venhamos a praticar preços muito mais altos aos que se praticam no exterior.

Se todo o óleo diesel consumido no Brasil fosse produzido internamente a um custo de R$ 0,93 por litro, o preço nas refinarias, mesmo mantendo uma margem de 50% no lucro, seria de R$ 1,40 por litro(!), valor muito inferior ao praticado hoje.


Ainda que o governo não quisesse baixar a grande carga tributária que incide sobre os combustíveis, teríamos, desta forma, acrescidos os impostos (Cide, PIS/Cofins e ICMS), além da margem de distribuição e revenda, o preço por litro do diesel deveria chegar a cerca de R$ 2,68 por litro(!!!), muito abaixo do patamar atual, que é superior a R$ 4,00!

Estão entendendo como é absurdo querer fazer crer que migalhas de apenas 0,46 centavos por litro, trariam prejuízos de mais de 10 Bilhões aos cofres públicos?!

É mentira atrás de mentira. Tudo baseado na desinformação entre valor, custo e preço.

Mas a artimanha deste governo não para por aí.

A Quarta Rodada de Licitações do Pré-Sal garante baixíssimos percentuais de excedente em óleo para a União, que ficam entre 7% (Itaimbezinho) e 22,1% (Uibapuru). 

Esses percentuais são muito inferiores ao mínimo ofertado em Libra, no Edital da Primeira Rodada, que foi de 41,65%.

Agora prestem atenção.

Na grande maioria dos países exportadores de petróleo, a participação governamental é superior a 85%!

Isso mesmo. Não é 41% como foi feito antes ou 7% como determinou este governo, mas 85%!

Não há qualquer justificativa plausível para que os percentuais de excedente em óleo da União sejam tão baixos e tão lesivos ao patrimônio público, ou será que estamos tão ricos que não precisamos desta pequena fortuna?

Já não basta termos abdicado de mais de 1 Trilhão de reais, em impostos às petroleiras estrangeiras, através da medida provisória 795/2017, votada e aprovada em tempo recorde, na surdina, escondido do povo?!

Reparem que esta isenção de impostos só é válida para as empresas estrangeiras. Não vale para a nossa Petrobras!

Isto torna a sobrevivência da Petrobras ainda mais difícil.

Como competir num mercado onde somente ela é onerada com impostos tão altos, e ainda precisa vender seu combustível a um preço tão baixo, que nenhuma concorrente se submeteria?

Esta greve deve ter o apoio da sociedade, porque estamos lutando por TODOS.

Uma nação só consegue se erguer e ser respeitada, com soberania, e ninguém consegue ser soberano com dependência energética e tecnológica do exterior.

Estamos entregando tudo para as nações estrangeiras.

Estamos entregando o futuro de nossos filhos. 

Já não basta o que fizemos com o nosso futuro?

Reflitam a respeito. Pensar ainda é de graça.

Abraço a todos."


Neste contexto, teve início a greve nacional de petroleiros na quarta (30). Com a liminar do TST que decretou a greve abusiva e a presença de tropas do exército em refinarias e terminais, o movimento faz um recuo momentâneo. Os trabalhadores exigem a redução do preço do gás de cozinha e combustíveis, a demissão do presidente da companhia, Pedro Parente, e o fim do processo de privatização da estatal.

A luta dos petroleiros pode incidir positivamente sobre a conjuntura. Merece, assim, a mais ativa solidariedade para vencer.

Um governo nas cordas e o fortalecimento do Nacionalismo.


GLEISI HOFFMAN PRESIDENTE NACIONAL DO PARTIDO DOS TRABALHADORES DISCURSA NO SENADO ATUALIZANDO OS BRASILEIROS SOBRE OS DESDOBRAMENTOS DO GOLPE E A ENTREGA DA SOBERANIA BRASILEIRA NA MÃO DOS INTERESSES ESTRANGEIROS.





sexta-feira, 25 de maio de 2018

A DESTRUIÇÃO DA PETROBRAS E DO BRASIL

Dormia a nossa pátria mãe tão distraída,
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações


Seus filhos
Erravam cegos pelo continente
Levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais


Vós que lês essas linhas, provávelmente ireis se posicionar de um lado ou de outro, a favor do PT ou contra, e provávelmente se posiciona a favor já que esse blog é notóriamente a favor, mas os contrários provávelmente, mergulhados em seu ódio irracional contra a esquerda não conseguem perceber o quanto estão nos subtraindo. 

Não é pouca coisa. São os nossos sonhos, e no momento não temos unidade para lutar a favor do nosso país. A sociedade está dividida enquanto os inimigos da pátria vão minando nossas resistências, nossos empregos, nossas reservas, derrubando nossos aliados, prendendo nossos líderes sob armações e falsas acusações.

Veja por exemplo o que estão fazendo com a nossa PETROBRAS. A Petrobras é nosso patrimônio porque garante o nosso bem estar, já que produz o nosso Petróleo e os nossos derivados. Dessa forma não ficamos submetidos às manipulações do mercado internacional. 

A recente crise da greve dos caminhoneiros, deu-nos um choque de realidade. Isso pode ser só o começo. Esse traidor da pátria denominado PEDRO PARENTE que foi ministro de Fernando Henrique Cardoso, outro entreguista, entrou para a Petrobras para DESTRUIR a empresa e DESTRUIR o BRASIL. Para esse vendilhão da pátria sómente o PAREDÃO seria adequado. 

Quando ministro das Minas e Energia de FHC foi protagonista dos famosos APAGÕES que tanto transtorno nos causaram e agora trama contra a PETROBRAS de forma escandalosa ante as nossas barbas sem que nada façamos para frear o desmonte da Nação Brasileira e sua maior empresa, e protagoniza o seu segundo apagão. O Apagão da sociedade Brasileira causado pela greve nacional dos caminhoneiros.

O que tem feito esse Traidor da Pátria? Tem entregue todo o nosso Pré Sal que seria a nossa independência tanto em Petróleo como em programas sociais que estariam atrelados aos rendimentos que isso nos possibilitaria.

Esse vendilhão da Pátria tem diminuído a produção das refinarias Brasileiras, para que assim se cause desabastecimento, para que as importadoras possam colocar aqui o que a BR (Empresa vinculada a Petrobras para distribuição de derivados) não coloca por causa da redução da produção nas refinarias.

Faz isso para que possa atrelar os preços dos derivados ao mercado internacional, ficando assim refém das variações de preço internacionais. As importadoras internacionais por sua vez utilizam as instalações da Petrobras para comercializar os seus derivados, gratuitamente.

Alardeia que a Petrobras teve lucro. Lucro conseguido às custas da venda de ativos da empresa em um verdadeiro desmonte. 

Colocou no conselho da Petrobras uma quadrilha de concorrentes que tramam contra a empresa a todo momento.

A entrevista ao Presidente da FUP José Maria Rangel, dá claras evidências dos caminhos que a Petrobras está trilhando nesse momento comandado por esse traidor da Pátria denominado Pedro Parente, rumo à sua completa destruição.


OS MILITARES SE APROXIMAM DE NÓS.


A despeito de todos os desvios cometidos pelos militares no golpe militar de 1964, como os assassinatos e torturas que são universalmente condenados até os dias de hoje, os militares tem e tiveram algo de bom e por isso foram afastados pelos americanos com a volta a democracia. Eles tem uma forte tendência nacionalista. Eles gostam do Brasil e desejam uma pátria forte e independente, o que os aproxima dos nossos ideais também. 

Foi assim que desenvolveram e fortaleceram a Petrobras, criaram o BNDES entre outras iniciativas mais ou menos exitosas. Sabe-se hoje que na época existia um grande temor de que o comunismo de orientação soviética e cubana se expandisse na América Latina, e se o Brasil tendesse para o comunismo, seria a porta aberta para que toda a América Latina também adentrasse por esse caminho. Para evitar isso a CIA derrubou Salvador Allende no Chile, e derrubou também João Goulart, assassinou líderes políticos com a Operação Condor, e caçou até matar Ernesto Che Guevara com os Rangers Americanos. 

Também subornou militares com malas de dólares guardadas em malas de carros como ficou testemunhado, e comprou parlamentares, empresários, adquiriu os principais meios de comunicação, colocando em suas direções testas de ferro como Roberto Marinho de triste memória e exerce até os dias de hoje uma influência sobre várias esferas de poder. Empresários, Juízes, Políticos sãosubornados com prêmios, vantagens, promoções e óbviamente recursos que não aparecem, pois a CIA sabe muito bem escondê-los como nenhum paraízo fiscal seria capaz.

Entretanto essa capacidade de gostar da pátria e querer o seu bem os aproxima de nós e precisamos e queremos nos aproximar deles, pois eles são a saída para a  crise institucional que abala o Brasil com um Judiciario comprometido, venal, hipócrita, que jura defender a constituição mas a solapa nos seus alicerces. Com uma classe política que domina seus feudos obrigando por sabe-se lá quais meios a que a população local os eleja para que defendam interesses de latifundiários e escravocratas, e ao mesmo tempo com uma influência imperialista representada pelos interesses Norte Americanos que deseja tranaformar nosso país em uma gigante HAITI, ou ÁFRICA da miséria e da fome. Querem tomar conta da nossa Amazonia, do nosso Pré Sal, do nosso Nióbio e de resto, tudo que de alguma forma tenha valor para nós.

Tudo para servir ao mercado financeiro, porque lógicamente ninguém pode confrontar os Americanos nessa matéria. São eles que detem o dinheiro, pois são eles os únicos que podem fabricar aquele papael verde que chamam de dólar e que hoje é fabricado a rodo sem nenhum controle sendo que na verdade seu valor é apenas especulativo. Não vale realmente nada.

Esse Discurso do Chefe das Forças Armadas, mostra que eles tem uma tendência Nacionalista que os aproxima de nós. Precisam é reconhecer que Lula foi um Presidente que atuou exatamente nessa linha e que foi vítima de uma grande armação já que nada ficou comprovado contra ele. 

Se a corrupção existia em seu governo, é porque já vinha atuando a muito tempo antes dele e dentro do modelo de presidencialismo de coalizão ele não poderia confrontar-se com os políticos que se locupletavam de práticas que eram correntes a vários governos, sob a pena de tornar seus projetos impossiveis de serem aprovados. Mas fez o que poderia fazer. Deu autonomia a Polícia Federal e ao Ministério Publico que venalmente se venderam à influência da CIA que os cooptou para incriminar exatamente ele e exatamente o PT.

Apreciem as idéias do Chefe do Exército Generla Villas Boas e veja como suas idéias são muito parecidas com as nossas.





ATAQUE FRONTAL AO NEOLIBERALISMO

O general Eduardo Villas Boas, comandante do Exército, proferiu palestra no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em que defendeu projeto de desenvolvimento nacionalista com ênfase na indústria de defesa, verdadeira cadeia produtiva com poder de disseminar avanços científicos e tecnológicos de vanguarda para toda indústria nacional, proporcionando agregação de valor ao produto brasileiro e formação profissional de qualidade. No seminário intitulado "Brasil: Imperativo Renascer!", organizado pela Editora Insight e divulgado pelo site Conjur, o comandante defendeu papel ativo das Forças Armadas na América do Sul, demanda essa feita pelos próprios militares sul-americanos, em especial, os argentinos, dada a importância geoestratégica e geopolítica do território nacional.

A integração econômica continental, como mandamento constitucional, exige, por sua vez, atenção especial para a Amazônia. Faz-se, segundo ele, necessário um Ministério da Amazônia, visto que há, na América do Sul, nove regiões amazônicas, cujas características são complementares. Exige-se, portanto, coordenação político estratégica, em meio ao mundo globalizado, que alimenta interesses alienígenas na região, cujo ativo, só no território nacional, é estimado em 23 trilhões de dólares.


O general discorre sobre diversos temas em sua importante palestra. Sobretudo, seu pensamento contrasta, visivelmente, com a orientação econômica neoliberal comandada pelo governo ilegítimo Temer, sintonizada com o programa Ponte para o Futuro, cujas diretrizes, dadas pelo Consenso de Washington, são intrinsecamente antinacionalistas, pautadas na supressão de direitos econômicos e sociais dos trabalhadores, bem como acelerada desnacionalização de ativos nacionais, cujas consequências aumentam a insegurança nacional, bem como afeta de morte a soberania brasileira no cenário internacional. Veja abaixo o que disse o General, sem nenhuma repercussão na mídia oligopolizada golpista(CF).

IDEOLOGIAS ENGANOSAS
"Todo problema no país hoje tende a tornar-se uma ideologia. Quanto mais ambientalismo, mais problemas ambientais temos. Quanto mais indigenismo, coitados dos nossos índios, mais são relegados ao abandono. Quanto mais luta contra o preconceito racial, mais racialismo. Quanto mais luta ou quanto mais se discute as questões de gênero, mais preconceito. Surge, por incrível, a intolerância religiosa."

"Temos 80% da Amazônia preservada e admitimos levar lições de países que têm 0,3% das suas florestas originais. A média mundial de preservação das florestas mundiais é de 25%, aproximadamente. A instrumentalização da ideologia ambiental visa proteger o mercado agrícola dos países que, todos somados, não dispõem da área agricultável que o Brasil tem."

DEFESA NACIONAL


"Depois da queda do muro de Berlim, emblematicamente, marco do fim da Guerra Fria, passou a prevalecer nos países uma visão sistêmica de defesa. Ela deixou de ser preocupação exclusiva dos militares e passou a exigir a participação de toda a sociedade em seus mais variados segmentos."

"A estrutura de defesa de um país será tão mais robusta quanto mais forte for a participação da área econômica, das empresas, da área de ciência e tecnologia, da área acadêmica, do poder político e assim por diante."

"Aos militares foi exigido que eles não se restringissem apenas a se preparar para fazer face ao inimigo. Hoje, a visão consagrada no mundo é a de que as Forças Armadas devem estar em condições de atender qualquer demanda da sociedade. E não há países em que isso não se aplique."

"Falar de defesa no Brasil, da inserção da defesa de um projeto nacional, é difícil, tem pouco apelo, porque não há no país uma percepção de ameaças à soberania e à integridade, nem por partes da população nem por parte das elites dirigentes. Pessoas dos mais variados setores da sociedade não estão preocupadas com ameaça da integridade nacional."


"O tema da defesa sobrou, apenas, para os militares. Como consequência, tem-se dificuldade de alocação de recursos adequados para estrutura de defesa. Defesa não dá voto. Daí a dificuldade de o tema entrar no debate eleitoral para a Presidência da República."

"Temos, no Brasil, um passivo geo-histórico. Temos metade do nosso território não ocupado e não integrado à dinâmica do desenvolvimento nacional. As consequências disso vão além de aspectos concretos. O território é a base da nacionalidade.[Porém], não temos sentimento de nação totalmente consolidado."

"O general Heleno diz que o Brasil é como um superdotado num corpo de adolescente, não tem noção do seu território, não tem a percepção da importância e talvez daí decorra o fato de sermos tão voltados para dentro de nós mesmos."

LIDERANÇA SUL-AMERICANA


"A consequência disso é nossa dificuldade de assumir uma responsabilidade inexorável: exercer a liderança na América do Sul. Para exercer a liderança, é necessário primeiro demonstrar capacidade. Segundo, vontade; e terceiro, ser capaz de inspirar e de mostrar um caminho para o futuro. É impressionante quando vemos um militar argentino reclamar de nós, por não assumirmos a liderança na América do Sul."

" Os países sul-americanos sabem que a alternativa que eles têm é de se agregar a um grande projeto de desenvolvimento do Brasil. Caso contrário, estaremos sempre periféricos. Não há absolvição para isso. Nos falta esse sentimento de um projeto nacional."

"Quando vejo essas discussões, em relação à crise que nós vivemos e a busca de caminhos, a minha impressão é que elas são superficiais. Carecem de profundidade, de uma multidisciplinariedade necessária para a mudança da nossa realidade."

IDEOLOGIA DESENVOLVIMENTISTA

"Em relação a um projeto nacional, o Brasil, pela sua dimensão, pelas características que tem, não pode prescindir de uma ideologia que lhe dê um caminho. Não estou me referindo a ideologia política."

"O Brasil foi, da década de 1930 à década de 1950, o país do mundo, ou um dos países do mundo, que mais cresceu. Havia uma ideologia de desenvolvimento, um sentido de projeto, um ufanismo. Na década de 1960, vivemos o momento Juscelino, Brasília sendo construída, aterro do Flamengo, aterro de Copacabana, campeão do mundo de futebol, campeão do mundo de basquete, Maria Esther Bueno no tênis, Eder Jofre no boxe, enfim, havia um ufanismo e um otimismo muito grande. Éramos o país do futuro."


"Cometemos o erro de, durante a Guerra Fria, permitir que a linha de fratura passasse por dentro e dividisse nossa sociedade. Foi aí que perdemos o sentido de coesão, perdemos essa ideologia do desenvolvimento, sentido de projeto, ficamos um país à deriva."

FRAGMENTAÇÃO GERAL

"Corremos perigo. Pela nossa dimensão, pela nossa estrutura, as forças centrífugas estão se fortalecendo e corremos o risco de fragmentação. Se não uma fragmentação territorial, já estamos a caminho de uma fragmentação social. "

"Permitimos incorporar ideologias. Aliás, dizem que, quando as ideologias ficam velhas, elas se mudam para a América do Sul. Incorporamos tanto ideologias políticas como ideologias sociais que estão nos desfigurando como nação e alterando a nossa identidade."

"Há tendência no nosso país de todos os problemas serem transformados em ideologias. Quando isso acontece, se perde a visão de resultado e o foco fica sendo na aplicação da ideologia e não no que se pretende buscar como solução."

PRISIONEIRO IDEOLÓGICO

"Isso gera um mais do mesmo. Quanto mais ambientalismo mais problemas ambientais temos. Quanto mais indigenismo, coitados dos nossos índios, mais são relegados ao abandono. Quanto mais luta contra o preconceito racial, mais racialismo. O ministro Aldo Rebelo diz que nós éramos um país de mestiço e estamos nos transformando em país de brancos e pretos."

"Quanto mais luta ou quanto mais se discute as questões de gênero, mais preconceito. Surge, agora, até, intolerância religiosa."

"Por trás disso tudo, está nossa falta de disciplina social, de limites que vêm das carências da nossa educação. Essa essência é a causa principal de tudo que tem acontecido. Perdemos, até mesmo, o ínsito[disseminado pela natureza] da presunção da autoridade, da autoridade presumida. Essa falta de limites mostra que a nossa sociedade vai se desagregando paulatinamente. Fico impressionado com a passividade com que assimilamos essas ideologias."

"Do ponto de vista político, o frei Leonardo Boff deu uma explicação, muito simples e clara. Ele disse que combater o capitalismo com base na luta de classe traz em si um problema, uma desvantagem porque coloca as classes em oposição, mas combater o capitalismo com base nessas ideologias, principalmente, no ambientalismo, faz com que todas as classes se coloquem do mesmo lado e entrem em consonância."

NOVO IMPERIALISMO

"A inteligência brasileira não tem percebido que, depois do processo de descolonização, as ideologias são instrumentalizadas pelos organismos internacionais, por organizações não governamentais. [Até] parcela mais à esquerda do nosso espectro político incorporou, totalmente, esse novo imperialismo. Imperialismo do final do século XX, do início do século XXI."

"Somos de uma passividade incrível. Temos 80% da Amazônia preservada e admitimos levar lições de países que têm 0,3% das suas florestas originais. A média mundial de preservação das florestas mundiais é de 25%, aproximadamente. O Brasil não pode, não precisa e não deve aceitar lições de quem quer que seja, como aquele episódio em que a primeira ministra da Noruega cobrou do nosso presidente, em razão de a Noruega ter doado R$ 1 bilhão para a preservação da Amazônia."

HAJA PACIÊNCIA

"Vou contar um episódio pitoresco. Eu era comandante militar da Amazônia e fui realizar uma grande operação de fronteira. Antes, determinei que se realizasse uma operação de inteligência. Me liga, muito afobado, um comandante do Batalhão de Selva de Barcelos, dizendo que estava na aldeia ianomâmi Demini e lá encontrou o rei da Noruega. Eu falei, 'ô, coronel, você está com algum problema'. Ainda brinquei com ele: 'o senhor fumou tóxico vencido. Por que é que o rei da Noruega está na aldeia Demini, área Ianomâmi?'. Ele insistiu: 'General, o rei da Noruega está aqui'. Fui ao ministro Celso Amorim, da Defesa. Ele questionou o Itamaraty. Realmente, a visita era decorrente de um acordo sigiloso entre Ministério da Justiça, Funai, Itamaraty. Sim, o rei da Noruega estava na área Ianomâmi. Então a nossa paciência..."

"Quando estava em votação, pelo STF, a demarcação da Raposa Terra do Sol, em Roraima, o príncipe Charles veio à Amazônia, ao Brasil, não é? Então, esse assunto, enfim, é um tema que se pode discorrer muito, mas estou apenas usando para exemplificar a nossa passividade."

AMAZÔNIA E SOBERANIA

"Permitimos acúmulo de déficit de soberania em relação ao nosso território. Recentemente, o governo quis regulamentar a exploração de reserva extrativista lá no Pará. Isso gerou, imediatamente, campanha internacional. O Brasil, hoje, não tem liberdade de ação para uso dos seus recursos naturais."

"A Amazônia tem três papéis a cumprir para o Brasil. O primeiro decorre dos seus recursos naturais. Levantamento mais abrangente que vi fala em 23 trilhões de dólares. O segundo diz respeito ao ponto de vista geopolítico. A Amazônia, a Pan-Amazônia, abrange nove países. São extremamente semelhantes tanto do que diz respeito ao potencial, quanto no se refere aos problemas que ela apresenta. Trata-se de enorme oportunidade de promovermos a integração e assumirmos a liderança da América do Sul. E terceiro é o grande apelo internacional que a Amazônia apresenta, água, energia renovável, produção de alimentos, mudança climática, biodiversidade."

"A Amazônia, em relação ao Brasil, é vista, mais ou menos, como o Tibet, em relação a Índia. É tarefa urgente que Brasil tem que realizar. Não temos política para Amazônia, não temos um órgão de qualquer natureza, um ministério, uma agencia reguladora, seja lá o que for para coordenar as ações na Amazônia."

" O que se faz na Amazônia é muito mais baseado no caráter repressivo do que apoio a sociedade e promoção do desenvolvimento com proteção ambiental. Qualquer ação da Amazônia tem que ser multidisciplinar, tem que conter vetores sociais, ambientais, de conhecimento, de ciência e tecnologia, econômicos e logicamente de defesa e de segurança. São os papéis que a Amazônia tem para desempenhar."

ESTRATÉGIA GEOPOLÍTICA

"Geopoliticamente, é difícil tratar de defesa no Brasil e fazer com que o tema tenha o reconhecimento merecido. Tivemos sempre verbas orçamentárias muito baixas e, mais grave do que isso, imprevisibilidade dos orçamentos. É muito mais importante a regularidade e a previsibilidade do que o montante de recursos, propriamente dito."

"Falta percepção da importância da defesa. Questiona-se, até mesmo, necessidade das Forças Armadas. Forças Armadas são instituições nacionais permanentes, conforme consagra o artigo 142 da Constituição. Trata-se da construção da nacionalidade. Quando se consolida o sentimento de nação, já há ali um embrião da força armada. Quando se adquire independência, a força armada já está presente."

"Esse processo é universal, quase todos os países do mundo têm, como os grandes líderes Wolts, pais da pátria, figuras de generais, aqui na América do Sul é típico, né? Temos aí San Martín, Bernardo O'Higgins, Bolívar, Artigas e outros. Nós não temos porque nosso processo de independência é realmente muito peculiar."

"É importante que a defesa seja entendida pelo que podemos chamar de funções da defesa. Não é uma condição acadêmica, mas decorre da percepção da realidade. Ela implica quatro funções: primeira função primordial da defesa é dissuasão. A dissuasão não é um fim em si mesmo. Ela se insere com outros fatores: poder econômico, vontade política, diplomacia, para que se obtenha a liberdade de ação necessária ao país agir de acordo com os seus interesses, e exercício de liderança."

EXEMPLO RUSSO

"Temos exemplo contemporâneo: as consequências da perda de capacidade de dissuasão da Otan em relação à Rússia. Isso fez com que a Rússia tivesse liberdade de ação, para agir e fazer o que fez na Ucrânia, na Síria. Resultado: a Otan recomendou aos países membros que elevem de 1,5% para 2% do PIB gastos com defesa. A história é repleta de exemplos de países que viveram situações extremamente graves, catastróficas por perder capacidade de dissuasão."

"Temos capacidade dissuasória assegurada na América do Sul, mas não ainda internacional. Precisamos, por isso, construir submarino nuclear da Marinha, os caças, os gripen da Força Aérea, a força de blindados do Exército, a força de mísseis e foguetes, enfim. Tão logo consolidamos esses projetos teremos adquirido essa capacidade de dissuasão, que nos permitirá voltarmos com mais liberdade de ação para dentro de nós mesmos e para a América do Sul."

IDENTIDADE NACIONAL

"A segunda função da defesa é ser guardiã da identidade nacional, com as Forças Armadas e, especialmente, o Exército, graças a sua capilaridade. O processo que vivemos pode levar a uma perda dessa identidade. Perdemos nossa essência. Isso tem se refletido em setores que demandam intervenção militar. Pesquisa indica que 43% da população brasileira pede intervenção militar. Isso, na minha opinião, é um termômetro da gravidade do problema que estamos vivendo no país."

"Uma intervenção militar seria um enorme retrocesso hoje, mas, na verdade, interpreto também aí como uma identificação da sociedade com os valores que as Forças Armadas expressam, manifestam e representam. Invariavelmente, diz a pesquisa, as Forças Armadas estão em primeiro lugar no índice de credibilidade perante a sociedade."

NACIONALISMO ECONÔMICO

"O terceiro papel da defesa e das Forças Armadas é contribuir para o desenvolvimento nacional. Elas induzem o desenvolvimento. Nossa indústria de defesa movimenta 3,7 % do PIB, gera 60 mil empregos diretos, 240 mil empregos indiretos e movimenta, mais ou menos, R$ 200 bilhões por ano. Nenhum país chegou ao primeiro mundo importando produtos de defesa. Todos eles têm a estrutura de defesa como forte componente de indução do seu desenvolvimento econômico, científico e tecnológico. As tecnologias são duais. A defesa assiste a outras áreas. Segundo a Fipe, cada real investido em programas de defesa gera um multiplicador de 9,8 em relação ao PIB. Trata-se de grande investimento a indústria de defesa."

"Por último, a função da defesa, por meio das Forças Armadas, visa atender demandas da população. Elas não devem se limitar apenas a se preparar para fazer face ao inimigo. Têm que atender a qualquer necessidade. Hoje, o Exército participa de 58 operações de natureza variada no território. Temos 3.100 militares operando nesse momento. Apoiamos a área ambiental, área indígena, área de saúde, programas de combate a proliferação dos mosquitos, da zika, chikungunya etc."

"Temos operações de fronteira permanente, operações de garantia da lei e da ordem, como está em andamento no Rio de Janeiro e a que realizamos recentemente no Rio Grande do Norte. Em um ano e meio, fomos empregados três vezes no Rio Grande do Norte. Nesse espaço de tempo, não houve nenhuma modificação estrutural no sistema de segurança pública naquele estado, e nós sabemos que logo seremos chamados a intervir novamente."

"Temos operações de defesa civil: distribuímos água a 4 milhões de habitantes do polígono da seca no Nordeste. Fazemos isso, senhoras e senhores, há 14 anos! O governo despende, mais ou menos, R$ 1 bilhão por ano nesse programa emergencial, ou seja, R$ 14 bilhões em 14 anos. Poderiam ter sido empregados em obras estruturais para modificar aquela realidade. Em 2017, tivemos 507 operações, com mais de 130 mil militares sendo empregados."

"As Forças Armadas exigem sistemas de proteção social particulares, peculiares, para que se tenha sempre uma instituição para ser empregada a qualquer momento, em qualquer local, e por um tempo indefinido."

"Essas quatro funções da defesa precisam ser inseridas nesse sentido de projeto que nós urgentemente temos que desenvolver. Espero que, na campanha eleitoral, consigamos colocar esses temas em discussão junto com outros temas de Estado. Confesso que trabalhamos nesse sentido, fazendo contato com os candidatos, já, mais ou menos, consolidados. Oferecemos até consultoria e ajuda para que eles trabalhem nessa linha."

quinta-feira, 17 de maio de 2018

EXEMPLO DE SOCIALISMO DEMOCRÁTICO. O REGIME QUE LULA E O PT COMEÇARAM. IDEAL DE LEONEL BRIZOLA.

O Sucesso do governo do PT não é uma simples questão de sorte. É na verdade a aplicação das leis do mercado. Para que um país cresça, para que tenham sucesso nas políticas sociais é preciso que a população tenha recursos. 

É preciso fazer distribuição de renda porque quando se faz isso se cria mercado. Se as pessoas tem em mãos recursos elas irão as compras e irão investir em negócios  e isso irá aquecer o mercado, produzir mais empregos, porque será preciso fabricar mais, contratar mais vendedores, e criar mais empresas que dêem conta de atender as demandas das novas empresas criadas. 


Com isso o governo arrecada mais pois mais pessoas passam a contribuir com impostos sobre cada produto vendido, sobre sua renda que irá crescer porque o aumento de oportunidades irá diminuir a oferta de empregados que passarão a ser mais disputados. Isso cria uma tendência a que os salários venham a aumentar de valor.


O pontapé inicial nesse ciclo de desenvolvimento deve ser dado pelo governo com o investimento em obras de infra estrutura que não tem fim lucrativo, como aumento da demanda energética, aumento da capacidade de produção de petróleo etc... Produz-se assim mais empregos e aumenta-se a demanda por mais empresas que teriam que atender as demandas dessas frentes de trabalho.
Outras políticas acessórias como financiamento do BNDES para empresas médias e pequenas que são as que mais empregam, responsáveis por mais de 70% da mão de obra do mercado, etc...

Existem países, mais específicamente os países NÓRDICOS, como DINAMARCA, NORUEGA, FINLANDIA, SUIÇA, SUÉCIA, PORTUGAL agora mais recentemente, que adotaram o SOCIALISMO DEMOCRÁTICO. São paraísos na terra. Países que resolveram suas demandas sociais e que tem elevados níveis de bem estar social. Caminho que iniciou a ser traçado pelo PT mas que foi abruptamente interrompido pelo GOLPE parlamentar. Agora está em nossas mãos retoma-lo, elegendo LULA nas próximas eleições porque ele vai concorrer.


quarta-feira, 16 de maio de 2018

BRASIL VOLTOU 20 ANOS EM 2. DE BRIC A HAITI.




Antes do Golpe alguns diziam que o PT estava acabando com um país. Pois agora TEMER faz uma comemoração. O BRASIL VOLTOU VINTE anos em DOIS. Que maravilha de país vocês coxinhas construíram.

A polícia está com medo dos bandidos. Morrem policiais todos os dias. Hoje foram dois. Tem que esconder a identidade.

600 mortos em 5 meses. 60 mil mortos em cinco anos. Isso é mais do que qualquer guerra do mundo.

Certo dia tinham 18 tiroteios ocorrendo ao mesmo tempo na  cidade do Rio de Janeiro. Existem 14 milhões de desempregados.

O correio não funciona. Os hospitais não funcionam, As escolas públicas só servem para servir merenda e é isso que os pais querem.

Pensei que ainda faltava para chegarmos a ser Haiti, mas acho que já chegamos lá.

Pobre Brasil que vive enganado pela rede Bobo.

terça-feira, 15 de maio de 2018

A REALIDADE DE LULA HOJE.


Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;

Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

Mateus 5:11-16

E aqui eu pergunto. Quem tira 40 milhões da fome e da miséria está fazendo a obra de Jesus?

Jornal GGN - "O que acontece hoje com Lula é uma violência contra o ex-presidente e contra todos os brasileiros, principalmente contra os 36 milhões de brasileiros que saíram da pobreza", afirmou a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Em nota oficial, a ministra saiu em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  Para Tereza Campello, Lula está sendo "julgado por colocar o nosso país em pé de igualdade com as nações mais desenvolvidas do mundo". "Lula está sendo julgado por estar ao lado dos pobres, por fazer com que o sonho distante de cursar a universidade fosse trazido para a realidade do filho da empregada, do pedreiro", afirmou. "Ele está sendo julgado por ter levado comida à mesa do povo brasileiro e por ter tirado o Brasil do Mapa da Fome", completou, na nota oficial.

movimento-tenda-da-fe-defende-lula-e-diz-que-todo-cristao-se-assemelha a jesus

Desde que a justiça liberou visitas religiosas, fui o segundo a ter graça de visitar o presidente Lula em sua prisão. (Quem abriu a fila foi Leonardo Boff na segunda-feira passada).


Eram exatamente 16 horas quando cheguei na dependência da Polícia Federal onde o presidente está aprisionado. Encontrei-o sentado na mesa devorando alguns livros, entre os quais vários de espiritualidade, levados por Leonardo.

Cumprimentou-me. Entreguei as muitas cartas e mensagens que levei, algumas com fotografias. Mensagem do Seminário Fé e Política, de um núcleo do Congresso do Povo na periferia do Recife, da ASA (Articulação do Semi-árido de Pernambuco) e de muitos amigos e amigas que mandaram mensagens.

Ele olhou uma a uma com atenção e curiosidade. E depois concluiu:

– “De saúde, estou bem, sereno e firme no que é meu projeto de vida que é servir ao povo brasileiro como atualmente tenho consciência de que eu posso e devo. Você veio me trazer um apoio espiritual. E o que eu preciso é como lidar cada dia com uma indignação imensa contra os bandidos responsáveis por essa armação política da qual sou vítima e ao mesmo tempo sem dar lugar ao ódio”.

Etty Hillesum
Respondi que, nos tempos do Nazismo, Etty Hillesum, jovem judia, condenada à morte, esperava a hora da execução em um campo de concentração. E, naquela situação, ela escreveu em seu diário:

Eles podem roubar tudo de nós, menos nossa humanidade. Nunca poderemos permitir que eles façam de nós cópias de si mesmos, prisioneiros do ódio e da intolerância”.

DONA LINDU
Vi que ele me escutava com atenção e acolhida. E ele começou a me contar a história de sua infância. Contou como, depois de se separar do marido, dona Lindu saiu do sertão de Pernambuco em um pau de arara com todos os filhos, dos quais ele (Lula) com cinco anos e uma menina com dois.

Lembrou que quando era menino, por um tempo, ajudava o tio em uma venda. E queria provar um chiclete americano que tinha aparecido naqueles anos. Assim como na feira, queria experimentar uma maçã argentina que nunca havia provado. No entanto, nunca provou nem uma coisa nem outra para não envergonhar a mãe.

E aí ele prosseguia com lágrimas nos olhos: “Agora esses moleques vêm me chamar de ladrão. Eu passei oito anos na presidência. Nunca me permiti ir com Marisa a um restaurante de luxo, nunca fiz visitas de diplomacia na casa de ninguém… Fiquei ali trabalhando sem parar quase noite e dia… E agora, os caras me tratam dessa maneira”.

Eu também estava emocionado. O que pude responder foi:


“O senhor sabe que as pessoas conscientes, o povo organizado em movimentos sociais no Brasil inteiro acreditam na sua inocência e sofrem com a injustiça que lhe fizeram. Na Bíblia, há uma figura que se chama o Servo Sofredor de Deus que se torna instrumento de libertação de todos a partir do seu sofrimento pessoal. Penso que o senhor encarna hoje, no Brasil essa missão”.

Comecei a falar da situação da região onde ele nasceu e lhe dei a notícia de que a ASA (Articulação do Semi-árido) e outros organismos sociais estão planejando um grande evento para o dia 13 de junho em Caetés, a cidadezinha natal dele. Chamar-se-á _”Caravana do Semi-árido pela Vida e pela Democracia” (contra a Fome – atualmente de novo presente na região – e por Lula livre).

A partir daquela manifestação, três ônibus sairão em uma caravana de Caetés a Curitiba para ir conversando com a população por cada dia por onde passará até chegar em Curitiba e fazer uma festa de São João Nordestino em frente à Polícia Federal.

Ele riu, se interessou e me pediu que gravasse um pen-drive com músicas de cantores de Pernambuco, dos quais ele gosta. Música de qualidade e que não estão no circuito comercial.

Vergonha. Nunca tinha ouvido falar de nenhum e nem onde encontrar. Ele me disse que me mandaria os nomes pelo advogado e eu prometi que gravaria.

Distenção feita, ele quis me mostrar uma fotografia na parede na qual ele juntou os netos. Explicou quem é cada um/uma e a sua bisneta de dois anos (como parece com dona Marisa, meu Deus!).


Começou a falar mais da família e especialmente lembrou um irmão que está com câncer. Isso o fez lembrar que quando Dona Lindu faleceu, ele estava na prisão e o Coronel Tuma permitiu que ele saísse da prisão e com dois guardas fosse ao sepultamento da mãe. No cemitério, havia uma pequena multidão de companheiros que não queriam deixar que ele voltasse preso. Ele teve de sair do carro da polícia e falar com eles pedindo para que deixassem que ele cumprisse o que tinha sido acertado. E assim voltou à prisão.

A hora da visita se passou rápido. Perguntei que recado ele queria mandar para a Vigília do Acampamento e para as pessoas às quais estou ligado.

Ele respondeu:

Diga que estou sereno, embora indignado com a injustiça sofrida. Mas, se eu desistir da campanha, de certa forma estou reconhecendo que tenho culpa. Nunca farei isso. Vou até o fim. Creio que na realidade atual brasileira, tenho condições de ajudar o Brasil a voltar a ser um país mais justo e a lutar para que, juntos, construamos um mundo no qual todos tenham direitos iguais”.

Para concluir a visita, propus ler um texto do evangelho e ele aceitou.

Li o evangelho do próximo domingo – festa de Pentecostes e apliquei a ele – os discípulos que estão em uma sala fechada, Jesus que se deixa ver, mesmo para além das paredes que fechavam a sala. E deu aos seus a paz, a alegria e a capacidade de perdoar no sentido de discernir o julgamento de Deus sobre o mundo. E soprando sobre eles lhes deu a vida nova do Espírito.

Segurei em suas mãos e disse: “Creio profundamente que isso se renova hoje com você”.

Vi que ele estava emocionado. Eu também fiquei. Abri o pequeno estojo e lhe mostrei a hóstia consagrada que lhe tinha trazido da eucaristia celebrada na véspera. Oramos juntos e de mãos dadas o Pai Nosso.

Eu tinha trazido duas hóstias. Eu lhe dei a comunhão e ele me deu também para ser verdadeiramente comunhão.

Em um instante, eram vocês todos/as que estavam ali naquele momento celebrativo e eu disse a ele:

“Como uma alma só, uma espécie de espírito coletivo, muita gente – muitos companheiros e companheiras estão aqui conosco e estão em comunhão e essa comunhão eucarística representa isso”.

Eu lhe dei a bênção e pedi a bênção dele para todos vocês.

Foi isso.

Quando o policial que me foi buscar me levou para fora e a porta se fechou atrás de mim, me deu a sensação profunda de algo diferente.

Senti como se eu tivesse saído de um espaço de liberdade espiritual e tivesse entrando na cela engradeada do mundo que queremos transformar.

Que o Espírito de Deus que a celebração desses dias invoca sobre nós e sobre o mundo nos mergulhe no amor e nos dê a liberdade interior para irmos além de todas essas grades que aprisionam o mundo.

Leia também:



André Falcão*


Estou muito preocupado.

Não é justo. Explico e justifico.

Analise, de cara, a evolução do valor do salário mínimo. Quando Lula foi eleito para o 1º mandato (2002), valia R$ 200,00; hoje, passados apenas doze anos, vale, vocês sabem, R$ 724,00: um aumento de 362%. Agora vá dar uma olhada na enxurrada de políticas públicas do governo federal: BOLSA FAMÍLIA, MINHA CASA MINHA VIDA, BRASIL SEM MISÉRIA, LUZ PARA TODOS, PRONATEC, PROUNI, ENEM, FIES, PAC, MAIS MÉDICOS, a LEI DE COTAS… Mais: Conseguiu aprovar que 10% do PIB e que 75% dos recursos do PRÉ-SAL fossem para a educação, criou o PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, a POLÍTICA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL, aprovou o MARCO CIVIL DA INTERNET, e a última: segundo a ONU(!), o Brasil, pela primeira vez em sua história de 514 anos, saiu do Mapa Internacional da Fome!


Mais um tanto: E se eu disser que há apenas 4,9% de desempregados? A Europa rica está com 20%! Pra terminar por aqui: Dilma inventou agora de criar um banco. Um banco! Quer dizer: o Lula paga o FMI. É pouco. Dilma funda um banco com o tal do BRICS.


Leia aqui todos os textos de André Falcão
Ora, isto só poderia dar em empregada doméstica metida (tem direito até a hora extra, vê se pode, e a gente a considerando como se fosse da família… Não, não herda, mas é como se fosse, ora!), pobre em restaurante, shopping, cinema e até teatro!


Outro dia o vigilante do vizinho chegou para o trabalho de carro! E semi-novo! Isto sem falar nos aeroportos, que hoje mais parecem rodoviárias, de tanto pobre. Até minha família já sente na pele os absurdos de hoje. Imagina que ontem meu filho chegou em casa da faculdade todo acabrunhado. “O que foi, filho?” ― perguntei-lhe. “O que foi?” ― devolveu-me, irritado. “Sabe quem está estudando na minha sala? Em plena Faculdade de Medicina? ― disse, quase gritando. “A filha da lavadeira da minha tia! Sim, da sua irmã!” Silêncio. Engoli em seco, respirei fundo, mas nada falei. Dizer o quê? Estava coberto de razão… Trauma da gota. Telefonar pro psicólogo…


*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político