http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

SOMOS TODOS CHAPECOENSES

sábado, 21 de maio de 2016

GOLPES. QUADRILHAS ESPECIALIZADAS OFICIAIS OU NÃO TENTAM TOMAR SEU DINHEIRO.

O Disque-Denúncia divulgou cartaz com a foto de Anderson Reis Otero, de 35 anos. O estelionatário, que costuma usar CPFs falsos, já aplicou vários golpes no Espírito Santo e no Rio.

No último dia 13, policiais do Espírito do Santo apreenderam vários cheques falsos emitidos por Anderson, com valor total estimado em R$80 milhões. O estelionatário também comercializa veículos com preços em torno de R$100 mil, mas todos com numeração adulterada.
Anderson já foi preso em 2009, conseguiu um alvará de soltura e nunca mais retornou ao sistema prisional. Desde então está foragido. Ele foi indiciado por estelionato, falsificação de documento público, formação de quadrilha, receptação e fraude contra o sistema financeiro.

Qualquer informação sobre o paradeiro de Anderson Reis Otero pode ser passada à polícia, por meio do telefone do Disque-Denúncia 2253-1177. Uma recompensa de R$ 1mil é oferecida para quem fornecer informação que leve à prisão do estelionatário.

A modernização das centrais telefônicas chegou ao mundo do estelionato. Quadrilhas equipadas transformaram o roubo de dados por telefone num esquema profissional, que tem causado dor de cabeça aos brasileiros. Na nova modalidade do golpe envolvendo clientes do Banco do Brasil (BB)e do Itaú, no Rio, golpistas fazem contato telefônico, geralmente por celular, e se passam por atendentes das instituições. Durante a conversa, dizem que a conta ou o cartão foram bloqueados e solicitam confirmações de dados pessoais, tais como CPF, número da conta-corrente e data de nascimento.




Em seguida, transferem o cliente para um suposto atendimento eletrônico, o que faz o correntista pensar que realmente recebeu uma chamada do banco. Em alguns casos, criminosos já têm os dados da pessoa, e pedem apenas a confirmação, além da senha ou do código de segurança.


Atenção redobrada

As novas táticas dificultam o trabalho da polícia e exigem cuidado redobrado. Com a sofisticação dos golpes, alertam especialistas do ramo financeiro, os correntistas devem estar ainda mais atentos para não fornecerem dados como senha ou token por telefone ou e-mail.


Realmente, as fraudes estão cada vez mais sofisticadas. São quadrilhas especializadas que investem dinheiro no golpe e, muitas vezes, conseguem o que querem. É preciso estar sempre alerta a este tipo de ligação, mas também a contatos suspeitos por e-mail. A dica é sempre desconfiar de qualquer abordagem e jamais informar dados bancários. Os bancos não fazem este tipo de contato por telefone ou e-mail — alertou o advogado especialista em fraude eletrônica David Rechulski.

Caso receba uma dessas ligações, explica Rechulski, o cliente deve procurar imediatamente a instituição financeira à qual é vinculado.


Caso forneça algum dado numa destas ligações, é preciso informar o fato imediatamente ao banco e pedir o bloqueio do cartão (de débito ou de crédito). Caso contrário, o usuário pode sofrer graves danos financeiros. Criminosos podem fazer movimentações, saques e compras com os dados dos clientes — disse.

O Banco do Brasil informou que “já tem conhecimento do golpe e que sempre orienta os procedimentos seguros, baseados nas melhores práticas de mercado”.

Acredito seja importante observar que, hoje em dia, os estelionatários de sucesso fazem amplo uso da tecnologia disponível em quase todos os tipos de golpes. Existem inúmeros casos de estelionato envolvendo de alguma maneira novas tecnologias.

Isso vale para documentos, cheques ou dinheiro escaneados e depois impressos em alta qualidade através de computadores e impressoras, títulos falsificados ou montados no computador, programas desenvolvidos para invadir contas correntes, equipamentos para clonar cartões de crédito ou capturar senhas de terminais bancários, celulares para mandar mensagens falsas, e-mails de todos os tipos e para todos os fins, sites na internet para falsas lojas virtuais ou falsos bancos ou outras falsidades... etc.

Além disso é de se observar um certo aumento no nível escolar médio dos golpistas profissionais.
É bastante comum, hoje em dia, encontrar estelionatários com instrução superior e até com boas experiências profissionais (na economia legal), que aproveitam seus conhecimentos para estruturar estelionatos articulados, engenhosos, complexos e refinados.

Temos registros de advogados, engenheiros, administradores, contadores, bancários, securitários, economistas, médicos, jornalistas, publicitários e muitos outros profissionais com formação superior, envolvidos de alguma maneira na condução de grandes fraudes.

Isso deve servir de alerta para evitar a influência de alguns preconceitos e crenças, que tendem a imaginar e pintar o golpista típico como um "pícaro" romântico, esperto mas inculto, ou como uma espécie de artista que desfruta de boa lábia e arte cênica, mas não tem instrução ou formação de bom nível e portanto pode, em tese, ser facilmente desmascarado por alguém com formação superior.

Este conceito já não era verdadeiro anos atrás e agora é absolutamente falso e até perigoso, por abrir a porta a descuidos e simplificações extremamente arriscadas.

Temos registros de inúmeros casos de golpes onde as vítimas eram profissionais com formação superior, e mesmo assim foram enganados e não perceberam nada até fim do golpe.

Há golpistas muito qualificados em circulação, e não são poucos !

ALGUNS TIPOS DE GOLPES

O FALSO EMPRÉSTIMO

Este golpe está na moda há um bom tempo e foi relatado até por alguns jornais. A mecânica é simples mas não por isso menos engenhosa.

Alguém se aproxima da vítima, que pode ser pessoa física ou pequena empresa, normalmente com dificuldades econômicas e/ou restrições de crédito. Explica que através de algum esquema "eles" têm como liberar um empréstimo a condições aceitáveis (sobretudo em vista da situação da vítima) e prazos razoáveis.


As quantias normalmente não são muito altas mas em alguns casos podem chegar a mais de R$ 10.000. A condição para liberação deste dinheiro é o pagamento, supostamente NO ÊXITO, de uma comissão de X% (normalmente algo na casa de 10%). Ás vezes o X% que deve ser pago não é apresentado como uma comissão mas como um taxa, um seguro ou algum outro tipo de custo.



As explicações sobre a origem do dinheiro emprestado são as mais variadas, foram relatados esquemas fictícios de reciclagem de caixa dois, suposto dinheiro escondido de bancos, fundos estrangeiros, dólares convertidos no mercado paralelo, supostos funcionários de bancos públicos corruptos que liberam financiamentos indevidamente, programas de financiamento populares apoiados pelo governo etc... Obviamente tem também normais "novas" linhas de financiamento de bancos ou financeiras.


Até aí nenhum problema, a vítima vai assinar uma papelada que parece um contrato de empréstimo ou algo do tipo, depois disso (algumas horas depois) é informada que o dinheiro já foi depositado na sua conta, e que portanto já é devida a comissão, ou taxa, seguro, custo...

A vítima verifica no caixa eletrônico ou no computador e realmente aparece um depósito, não ainda liberado para saque, pelo valor contratado. Portanto ele, também apressado pelas cobranças e eventuais ameaças de anulação do empréstimo, paga imediatamente a comissão concordada.


O problema é justamente no depósito que, no dia seguinte, é cancelado sendo que tinha sido feito no caixa automático, depositando um envelope VAZIO mas indicando que continha o valor supostamente emprestado. Por esta razão o depósito aparecia na conta da vítima, mas ainda bloqueado (ou "sujeito a conferência"). O banco, obviamente, após verificar que o envelope era vazio, anula o depósito, estorna o valor da conta e a vítima fica com o prejuízo da comissão paga. Os golpistas, nem precisa dizer, desaparecem.


Recebi muitos relatos de golpes deste tipo partindo também de pequenos anúncios (classificados) em jornais e até de anúncios em rádios, sobretudo do interior.

CONSÓRCIO

Os golpistas, através de anúncios ou contatos pessoais, oferecem a venda de consórcios sorteados (ou contemplados) com condições muito atraentes.

Ou seja, a vítima, através do pagamento de uma comissão ou taxa, teria direito a entrar num consórcio tendo já sido sorteado para o financiamento do bem de interesse (freqüentemente um veículo, às vezes um imóvel).

Em alguns casos o consórcio liberaria o veículo em vez do dinheiro, ou seja os golpistas propõem a venda de um veículo vindo de um consórcio supostamente já contemplado.

Isso equivale, obviamente, a um financiamento imediato em condições totalmente fora do mercado comum para financiamentos à vista.

As histórias contadas para justificar a existência desta possibilidade são as mais variadas. Desde a participação no esquema de funcionários ou administradores corruptos, até a renúncia espontânea de consorciados sorteados / contemplados.

São solicitados os dados pessoais necessários para o contrato e o pagamento de uma taxa de transferência da titularidade do consórcio e/ou de uma comissão.

A vítima recebe por fax todos os documentos e notas que comprovam que o sorteio aconteceu e que o dinheiro está disponível ou o veículo será entregue pela fábrica.

No caso de consórcio imobiliário, os documentos comprovam o sorteio e a disponibilidade do valor liberado junto à algum banco.

A vítima, nesta altura, paga a taxa de transferência (normalmente para uma conta aberta com documentos falsos) ... e nunca mais ouve falar do assunto e nem do valor pago.

Na melhor das hipóteses terá entrado num consórcio a condições normais e deverá esperar ser sorteado, em boa parte dos casos, porém, terá simplesmente perdido o dinheiro entregue aos intermediários sendo estes não tinham autorização para negociar novas adesões ao consórcio.

EMPRÉSTIMO COM CADASTRO OU SEGURO

Existem muitas variantes deste golpe. Na mais clássica os golpistas, sempre através de anúncios e classificados, oferecem empréstimos fáceis e sem avalista, apresentando-se como empresas financeiras ou como representantes/agentes de instituições financeiras reconhecidas.


Eles pedem todos os dados para o cadastro e, logo em seguida, informam que o empréstimo foi aprovado. Neste momento dizem que para a liberação é preciso finalizar o cadastro ou processo através do pagamento de uma "pequena" taxa de adesão ou de cadastro. A vítima paga e ... simplesmente eles somem com o dinheiro da taxa !!


Foram registrados vários casos nos quais os golpistas anunciam em jornais e até em rádios regionais, além de sites de anúncios na internet, usando (sempre de forma abusiva e sem qualquer autorização) o nome de bancos ou financeiras conhecidas. Ligando no número do anúncio, quase sempre um celular, eles atendem se apresentando com o nome do banco/financeira e depois se identificam ou como funcionários do mesmo ou, mais freqüentemente, como agentes, representantes ou intermediários autorizados.


Bastate comum, ultimamente, o aparecimento de falsos sites institucionais na internet apresentando supostas financeiras com nomes parecidos (quando não iguais) aos de renomadas instituições financeiras, sempre para dar credibilidade. Nestes casos até existem formulários on-line a serem preenchidos para depois receber contato. O resto do esquema é igual...

Em alguns casos ligando atenderá um sistema automático dizendo que todos os operadores são ocupados e solicitando para deixar um telefone de contato para receber retorno em breve. Na realidade se trata de uma normal secretária eletrônica, assim programada. Um golpista ligará em seguida de um outro número, sempre celular.


No contato informarão que o valor a depositar adiantado é uma parcela do próprio financiamento (ou seja, seria descontada dos pagamentos futuros), ou uma taxa de cadastro ou ainda uma taxa para cobrir custos de registro em cartório, o valor de impostos devidos (IOF ou similares), taxas bancárias, um depósito fiança/garantia ou outras desculpas do tipo. Em muitos casos alegam que, depois da liberação do empréstimo, vai ter também uma comissão a ser paga (mas isso é fumaça e não vai acontecer, pois não haverá liberação). 

Em outros casos, para tranquilizar a vítima, dizem que estes valores, ou parte deles, serão reembolsados na hora da liberação do financiamento ou do pagamento das primeiras parcelas.

Eventuais restrições de cadastro nunca são um problema e chegam a dizer que tudo pode ser resolvido com uma cartinha na qual o tomador se compromete a regularizar sua posição "o mais rápido possível". Idem para os comprovantes de renda, muitas vezes se contentam de uma simples declaração do interessado dizendo que tem capacidade para pagar as parcelas do empréstimo.

Em todos os casos, a conta onde solicitam que seja feito o depósito "adiantado" sempre é de pessoas físicas ou, mais raramente, de empresas (que apresentam como "procuradores autorizados" ou agentes), nunca do próprio banco ou financeira.

Numa variante comum eles dizem que para liberação do empréstimo é necessário o pagamento do prêmio de um suposto seguro de garantia (mesmo conceito usado em outros golpes de maior porte), às vezes mostram um depósito vinculado (veja golpe do falso depósito em conta) que será supostamente liberado somente após pagamento do prêmio de seguro.

Obviamente o objetivo é, como sempre, pegar o dinheiro adiantado para o "seguro" e desaparecer. 

Não temos notícia de qualquer seguradora no Brasil ou em outros países que faça um seguro deste tipo, ou seja que garanta um empréstimo de pessoa física contra o simples pagamento de um prêmio qualquer (se existisse algo assim seria uma loucura por parte deles).

Vale ressaltar, mais uma vez, que os bancos ou financeiras cujo nome é envolvido nestes golpes nada tem a ver com o esquema e são vítimas assim como quem perdeu dinheiro.

ALGUMAS LEIS PARA NÃO SER ENGANADO

1 - Jamais forneça informações por telefone a respeito de senhas de cartões seja de crédito, ou conta bancária ou iToken ou cartão de débito. Os bancos jamais as pedem por telefone, ou Email.

2 - Jamais pague comissões, taxas ou qualquer tipo de valor em dinheiro ou depósito sem antes ter recebido o bem e verificado que está dentro daquilo que foi combinado. Exceção para os sites tradicionais de Ecommerce como o Mercado Livre. Nesse caso só libere o pagamento depois de ter recebido a mercadoria e verificado que está dentro daquilo que foi combinado. Não pague nada por fora. Sempre dentro da garantia do agente garantidor (Mercado Pago, PAY PAL, etc...)

3 - Desconfie de ofertas que oferecem vantagens fora do comum. Por certo ali está uma armadilha. Aqui vale o dito popular. "Quando a esmola é muita o santo desconfia."

4 - Instale uma secretária eletrônica em sua linha e evite estar atendendo ligações diretamente. Grave uma mensagem informando que irá retornar a ligação. Quando receber uma ligação, a secretária irá atender. Se a mensagem for de alguém que você está esperando, sempre poderá interromper a secretária e atender. Dessa forma estará livre de assédios de vendedores e estelionatários, e também cobradores inconvenientes, bem como de golpes do chamado "FALSO SEQUESTRO". Se alguém informar um falso sequestro por telefone quando uma secretária atender, antes de retornar, busque ligar para quem se informou que foi sequestrado.

5 - Quando alugar imóveis, faça-o com alguém que conhece ou confia, ou com corretores de imóveis, pois alguém pode recolher algum tipo de depósito e depois desaparecer e V.S. irá verificar que aquele bem não pertencia a quem o alugou.

6 - Busque obter informações sobre imóveis ou carros, por si próprio. Não confie em documentos apresentados. Se for imóveis, tire uma certidão de ônus reais para verificar a situação do imóvel, e se for automóvel, procure no detran levantar as multas e outras pendências e a procedência do veículo. Verifique se existem pendências em relação ao veículo.

GOLPES MAIS COMUNS

01) Golpe do Bilhete Premiado: Caso apareça alguém com um Bilhete de Loteria premiado, desconfie. É um golpe. O golpista diz que está precisando de dinheiro de maneira rápida, e, com a ajuda de outras pessoas (também estelionatários), enganam a vítima. A vítima dá uma quantia em dinheiro e fica com o suposto Bilhete, que de premiado não tem nada.

02) Torpedo Premiado: a vítima recebe torpedos sms (mensagens via celular) informando a pessoa que ganhou um prêmio. Ela entra em contato com o número e acaba colocando crédito para algum número de celular ou mesmo depositando dinheiro em determinada conta. Os Estelionatários também usam nomes de Programas de Televisão para enganar as vítimas. 

03) Falso Sequestro: a vítima recebe uma ligação no seu celular. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho(a) e exige dinheiro para libertá-lo(a). A pessoa não pode se apavorar, devendo fazer contato com a suposta vítima do sequestro. Outra dica: peça para o "sequestrador" perguntar ao "sequestrado" algo que só ele saiba, como o nome do seu cachorro, o número do seu celular, time de futebol preferido.

04) Carro Quebrado: O Estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora.

05) Envelope Vazio: típico golpe realizado em transações comerciais, como na compra e venda de produtos. Ex: carros, celulares. O Estelionatário faz a compra de determinado produto, realizando o pagamento via depósito em um envelope sem o dinheiro. Ele apresenta o comprovante de pagamento, a vítima entrega o produto, descobrindo mais tarde que sofreu um golpe, pois o envelope estava vazio. Dica para não cair neste Golpe: confirme junto ao Banco se o valor depositado foi devidamente descontado ou se está bloqueado. Se estiver bloqueado, trata-se de Golpe.

06) Confirmação de Dados: o Estelionatário liga para a vítima se passando por funcionário de determinada empresa, dizendo que precisa que a vítima confirme alguns dados para fins de atualização do sistema. A vítima passa os dados e o Estelionatário os utiliza para transações comerciais em nome da vítima. Dica para não cair neste Golpe: nunca passe seus dados por telefone. Nunca. 

07) Falsa Casa da Praia: típico Golpe realizado no final de ano. O Estelionatário coloca um anúncio em algum site, ofertando uma Casa para alugar na praia, colocando as fotos e um preço atrativo. A vítima entra em contato com o Estelionatário, dá uma entrada (sinal) e depois o Estelionatário some. Dica para não cair neste Golpe: não alugue um imóvel de uma pessoa que não é profissional na área (Corretor de Imóveis).

Se você vai realizar um negócio (ex: comprar um imóvel), procure alguma pessoa que tenha conhecimento sobre o assunto, ex: um Advogado ou Corretor de Imóveis.
A maioria das vítimas de Estelionato possui 02 (duas) características em comum: a Ambição (ex: Golpe do Bilhete Premiado) ou a Ingenuidade (ex: Golpe do Falso Sequestro, Envelope Vazio, Carro Quebrado). 

De acordo com o Delegado MATHEUS LAIOLA, "Quando a oferta é demais, desconfie, ninguém está tão disposto a agradar uma pessoa desconhecida, ninguém é tão bom com quem não conhece. Desconfie se a pessoa é tão boa, do motivo dela estar fazendo de tudo para lhe agradar. Ninguém vai sair pela rua oferecendo dizendo à troco de nada (ou quase nada). Tudo o que for muito vantajoso, não aceite, evitando assim ser vítima de um Golpe. Antes de tudo tenha muito atenção no que esteja fazendo e busque informações sobre a situação que está acontecendo".

O Delegado ainda informa que muitos casos não chegam ao conhecimento da Polícia por própria vergonha da vítima, como, por exemplo, no Golpe do Bilhete Premiado, em que a vítima tinha a intenção de ganhar dinheiro em cima do desespero dos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.