http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

SOMOS TODOS CHAPECOENSES

sábado, 25 de junho de 2016

A CRUZ VERGADA - SÍMBOLO SATÂNICO USADO PELA IGREJA CATÓLICA?

Na realidade esta errado qualquer tipo de imagem, tanto cruz normal quanto essa cruz também, pois na bíblia está escrito e foi escrito pelo próprio dedo de Deus. 2º mandamento: Não faras para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra nem nas águas embaixo da terra, não te encurvaras a elas nem as serviras...O único que adora ver jesus em uma imagem dele na cruz é satanás... pode ter certeza que é a imagem que satanás mais gosta de lembrar e ele faz o povo fazer uma imagem desse momento e o povo carrega ate hoje que é JESUS na cruz, DEUS mandou não fazermos imagens para termos fé nele e não em um amuleto que o próprio homem criou... 
A cruz vergada, foi criada por satanistas no ano 666 afim de caricaturar o Crucifixo tradicional da Igreja Católica, mas rapidamente o adotaram como um de seus muitos símbolos para o Anticristo.

A Cruz Vergada na Religião Católica

Por outro lado, o cajado utilizado pelos papas, João paulo II e Paulo IV, que traz a cruz vergada, foi confeccionada pelo artista italiano Giacomo Manzoni (1908-1991) simbolizando o "peso" que o maior representante de Cristo e da Igreja Católica carrega, porém sem quebrar, o que de certa maneira representa a força do cristianismo.


Nessa cruz, era exibida uma figura repulsiva e distorcida de Cristo, que todos os praticantes de magia negra e feiticeiros da Idade Média usavam para representar o termo bíblico "Marca da Besta". 

De acordo com Piers Compton (1901-1986), em seu livro "The Broken Cross: Hidden Hand in the Vatican" (1981) a cruz vergada representa um símbolo satânico: "Um símbolo sinistro, usado pelos satanistas no século VI, que tinha sido restaurado no tempo do Vaticano II. 


A cruz vergada é, nas palavras do autor católico Piers Compton, no livro de sua autoria intitulado The Broken Cross: Hidden Hand in the Vatican (1981).

"Um símbolo sinistro, usado pelos satanistas no século VI, que tinha sido restaurado no tempo do Vaticano II. Era uma cruz vergada ou quebrada, na qual era exibida uma figura repulsiva e distorcida de Cristo, que os bruxos e feiticeiros praticantes de magia negra da Idade Média criaram para representar o termo bíblico da 'marca da besta'."


Piers Compton ( 1901 - de 1986 ) é um escritor de biografias e de livros históricos e teorias da conspiração. Ele era um religioso da Igreja Católica Romana e editor do semanário católico "The Universe" por 14 anos.

Em seu livro The Broken Cruz: A mão escondida no Vaticano , ele avança a tese de que o Vaticano foi infiltrada pela Illuminati (Sociedade Secreta), o símbolo de "o olho" tinha um significado Luciferiano e foi usado por funcionários católicos e jesuítas , por exemplo, o logotipo do Congresso Católica de Filadélfia Congresso eucarístico de 1976 , ou um selo do Vaticano em 1978 e a cruz pessoal do Papa João XXIII 2 . Para Compton, o Papa João XXIII foi o primeiro Papa Illuminati 1 . De acordo com Compton, em seguida, o livro foi retirado de venda e nunca reimpresso 3 .


Era uma cruz vergada ou quebrada, na qual era exibida uma figura repulsiva e distorcida de Cristo, que os bruxos e feiticeiros praticantes de magia negra da Idade Média criaram para representar o termo bíblico da 'marca da besta'. Porém, não somente Paulo VI, mas seus sucessores, os dois João Paulo, carregaram esse objeto e o mostraram para ser reverenciado pelas multidões, que não tinham a menor idéia de que aquilo representava o Anticristo."


Vejam bem: Eu poderia usar declarações de outros satanistas ou esotéricos para definir a cruz vergada... porém, decidi usar a declaração de um autor e escritor Católico, para mostrar a vocês que eles (a Cúria Católica) tem pleno conhecimento deste símbolo maligno e diabólico, usado insistentemente pelos Papas, desde o Papa Paulo VI, passando pelas mãos de João Paulo I e de João Paulo II, assim como, Bento XVI...


AGNUSDEI

A questão é polêmica porque a Igreja Católica simbolizada por alguns de suas sociedades como a AgnusDei, contestam a afirmativa de que a Cruz Vergada ou a Cruz Invertida é simbolo satânico, argumentando que a Cruz Invertida simboliza a morte de São Pedro que morreu em uma cruz de cabeça para baixo.

Dentro dessa perspectiva e levando-se em conta que vários papas usaram a cruz vergada, lançam a tese de que o fato de a cruz vergada ser considerada uma simbolo do ANTICRISTO é especulação ou "TEORIA DA CONSPIRAÇÃO" e para evitar mais especulações, o atual papa deixou de usar esse símbolo e passou a usar a cruz convencional.

A VERDADE
Os satanistas criaram a Cruz Vergada no ano 666 para caricaturar o Crucifixo tradicional da Igreja Católica, mas rapidamente o adotaram como um de seus muitos símbolos para o Anticristo. 

Os católicos fiéis ajoelham-se diante desse símbolo do Anticristo desde 1963, quando o papa Paulo VI começou a usá-lo nas cerimônias públicas. Naquele tempo, os adeptos ocultistas de todas as sociedades secretas perceberam que esse símbolo, que começara a ser usado pelo papa significava somente uma coisa: os Iluministas agora controlam o Vaticano! Finalmente, após mais de 200 anos de luta, as forças da Magia Negra dos Mestres dos Iluministas controlavam o Vaticano, tomando-o dos praticantes de Magia Branca que mantiveram o poder desde o tempo de Constantino.

padre jesuíta Malachi Martin
Quem entendia bem deste assunto era o padre jesuíta Malachi Martin. Durante o tempo em que trabalhou em Roma, ele sempre esteve próximo ao papa João XXIII, tendo sido iniciado nos mais recônditos segredos do Vaticano. Vamos dar a palavra ao Prof. Arthur Noble, no artigo “Satan´s Hold on the Vatican” EIPS, 24/08/99.

“Seus anos [de Malachi Martin] em Roma também coincidiram com a realização do Concílio Vaticano II (1961-1965). Completamente decepcionado com a Igreja de Roma e a Ordem Jesuíta à qual pertencia, em 1964 ele pediu dispensa de votos religiosos e abandonou Roma às pressas, em julho do mesmo ano, tendo ido para Nova York, onde trabalhou como lavador de pratos e motorista de táxi, tendo conseguido a nacionalidade americana em 1970.
Sua sucessão de livros sobre temas católicos tornou-se cada vez mais procurada por católicos desejosos de conhecer os bastidores da “Santa Madre”. No livro “The Pilgrim” (O Peregrino), publicado em 1964, ele divulgou os esforços feitos contra a intenção de João XXIII de revogar a doutrina que culpava os judeus pela morte de Cristo. Em “Hostage to the Devil” (Hospedagem ao Diabo), publicado em 1976, ele fala dos supostos espiões soviéticos vivendo dentro do Vaticano. No livro “The Keys of This Blood” (As Chaves Deste Sangue), publicado em 1990, ele denuncia o delírio do papa João Paulo 2º de controlar o mundo através da Nova Ordem Mundial (corroborando a afirmação de que o Vaticano é a força propulsora por trás da União Européia). Em “Windswept House”, (Casa Desarrumada) publicado em 1996, ele apresenta a versão fictícia de um verdadeiro assassino. Em todos os seus escritos “o declínio e queda” da Igreja de Roma são o tema principal.
Em 1981, Martin analisou bem a sua Igreja, afirmando que esta é “uma igreja de seminários vazios, bispos politiqueiros, freiras pintadas, usando maquilagem e mini-saias, laicato confuso, dentro de um Vaticano que hospeda traidores comunistas, prelados marxistas, um bordel sobrecarregado de exorcistas e burocratas hostis, com pouca gente boa e calma, centro de 37% de clérigos e pessoas que faturam para uma Igreja sufocada por Paulo VI…”

Martin é mais um exemplo do crescente número de sacerdotes que têm testemunhado a iniqüidade da Meretriz Babilônia, a partir do seu âmago, tendo resolvido clamar contra ela, de cima dos telhados. Que material ainda mais sinistro teria ele descoberto, se tivesse permanecido por mais tempo no Vaticano? O repórter Felix Corley falou: “O Vaticano deve ter ficado satisfeito, por ter ele saído no tempo certo”. (Até aqui falou o Prof. Arthur Noble).

Voltando à cruz vergada, em seu livro “The Keys of This Blood”, Martin nos esclarece que os papas atuais estão todos comprometidos com a Nova Ordem Mundial, quer sejam ortodoxos ou liberais. Como uma figura é mais contundente do que mil palavras, a cruz vergada apresenta um Jesus desfigurado, para sempre pregado na cruz, negando, portanto, a Sua Ressurreição e Ascensão aos céus. Nenhum padre ou bispo católico crê realmente na Divindade do Senhor Jesus Cristo. Por isso é que eles servem fielmente a sua Igreja, o que seria impossível, se realmente conhecessem a Palavra de Deus e cressem na Divindade do Senhor. Enquanto isso, os católicos são uns pobres coitados, iludidos pelos seus falsos mestres. E quando, depois de dez anos de pesquisa, eu tento mostrar-lhes a verdade, recebo e-mails de crítica, me chamando de “odiosa” e coisas desse naipe. Até ameaça de morte já recebi de um mineiro, em dezembro do ano 2000!



A batata do Vaticano está assando, enquanto ele vai caminhando a passo largos para a degradação final, quando colocará no trono de Roma, e depois em Jerusalém, o “homem do pecado”, ficando o papa (quem sabe o atual Bento XVI) (Artigo escrito antes do atual Papa) com o cargo de Falso Profeta, cargo esse já exercido por 264 antecessores dele, todos se apresentando como “Vigários de Cristo”. Na realidade esses 265 usurpadores não passam de tremendos blasfemadores contra o Espírito Santo, o único e legítimo Vigário do Senhor, conforme João 16:7-14: “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar”.

Durante quase duzentos anos, os Illuminati de magia negra buscaram tomar o controle do Vaticano a partir de dentro. Em junho de 1963, Paulo VI foi coroado e começou a exibir o sinistro crucifixo vergado. A Maçonaria Iluminista tinha se aliado com a Sociedade dos Jesuítas. O livro Vatican Assassins detalha o primeiro grande evento que ocorreu em seguida: o assassinato do presidente John F. Kennedy.

“A Entronização do Arcanjo Caído Lúcifer foi efetivada dentro da cidadela católico-romana em 29 de junho de 1963; uma data apropriada para a promessa histórica prestes a ser cumprida. Como os principais agentes do cerimonial bem sabem, a tradição satanista há muito tempo predizia que o Tempo do Príncipe seria iniciado no momento em que um papa adotasse o nome do apóstolo Paulo. Esse requisito, o sinal que o Tempo Propício tinha iniciado, tinha sido cumprido exatamente oito dias antes com a eleição do último sucessor de Pedro” [pg. 7; ênfase adicionada].

Esse papa que adotaria o nome do apóstolo Paulo não era ninguém menos que Paulo VI, que se tornou papa em 21 de junho de 1963. Poucas pessoas sabem que, naquele dia, ocorreu uma grande fusão das forças satânicas e que trouxe o Vaticano em total concordância com os Mestres dos Illuminati. Veja: os satanistas sabem que a Igreja Católica Romana tradicional sempre foi a mais poderosa praticante de feitiçaria de magia branca no mundo, embora os Mestres dos Illuminati sejam os maiores praticantes de magia negra no mundo, desde a fundação da ordem em 1º de maio de 1776.

Como resultado, o Vaticano e os Mestres dos Illuminati sempre foram inimigos mortais no cenário global. Seria o mundo unido sob um governo global controlado pelo Vaticano da magia branca, ou pelos Illuminati da magia negra? A intriga e subversão perpetrada pelo Vaticano nos governos de todo o mundo continuamente se chocava com a intriga similar realizada pelos Illuminati de magia negra. O conflito foi lendário, a CIA batalhando contra a KGB.

No início dos anos 1800, os Illuminati decidiram infiltrar o Vaticano a partir de dentro, começando com a infiltração de falsos sacerdotes nos seminários, que avançariam até controlar os seminários, depois passando para o controle do Colégio dos Cardeais e, então, finalmente, controlar o próprio papado. Desde o início, eles calcularam que precisariam de duzentos anos para conseguir esse objetivo. Entretanto, sabiam que precisariam controlar o papado com a magia negra, pois o Cristo deles, o bíblico Anticristo, não poderia surgir a não ser que o mundo ocultista estivesse unido sob o estandarte da magia negra. Em Daniel 8.23-25, a Bíblia prediz que o Anticristo praticará a feitiçaria de magia negra. Veja:

“Mas, no fim do seu reinado, quando acabarem os prevaricadores, se levantará um rei, feroz de semblante, e será entendido em adivinhações. E se fortalecerá o seu poder, mas não pela sua própria força; e destruirá maravilhosamente, e prosperará, e fará o que lhe aprouver; e destruirá os poderosos e o povo santo. E pelo seu entendimento também fará prosperar o engano na sua mão; e no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem em segurança; e se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas sem mão será quebrado” [ênfase adicionada].

As palavras em destaque são descrições perfeitas de um praticante de feitiçaria de magia negra. Uma breve explicação se faz necessária:

Feroz de semblante. Como os feiticeiros de magia negra voluntariamente se entregam ao Lado Tenebroso, às forças demoníacas, ficam repletos de uma fúria e um ódio quase sobrenaturais. Fisicamente, adquirem um aspecto feroz. Adolf Hitler é o exemplo mais famoso na história e existem inúmeros retratos dele mostrando essa feição tenebrosa. O mago Aleister Crowley é outro bom exemplo [Nota: Crowley também foi membro da Ordem dos Templários do Oriente e fundou uma religião chamada Thelema.].

Entendido em adivinhações. [A tradução inglesa Autorizada Pelo Rei Tiago diz “compreendendo as sentenças das trevas”]. Quando os ocultistas alcançam certo ponto no desenvolvimento de sua compreensão da feitiçaria, precisam fazer uma escolha: Se escolherem usar seu poder ocultista para o “bem”, diz-se que estão seguindo o Caminho da Direita e praticando a magia branca. Se escolherem usar o poder do ocultismo para o mal, diz-se que estão seguindo o Caminho da Esquerda, e praticando a feitiçaria de magia negra. Um feiticeiro ou mago de magia negra então pratica “sentenças das trevas” que causam o caos, a morte e a destruição. Um bom exemplo desse tipo de sentença tenebrosa é a “maldição de morte”, em que um demônio é conjurado a esta dimensão para o propósito expresso de matar um inimigo do conciliábulo; a Polícia está bem ciente desse tipo de “sentença das trevas” e chama esse tipo de incidente de “Homicídio Psíquico”. Esse tipo de homicídio é impossível de solucionar porque não é perpetrado por um ser humano; é um ser demoníaco que perpetra o homicídio e não deixa pistas que permitam à Polícia solucionar o crime.

Fará o engano prosperar em sua mão. A feitiçaria sempre é referida de forma abreviada como “a arte”. Além disso, todos os rituais são feitos pelo feiticeiro ou mago usando as mãos. O movimento cerimonial das mãos é crucial para o sucesso do ritual seja lá do tipo que for.

Assim, o Anticristo praticará a feitiçaria de magia negra. Essa profecia bíblica significa que a vitória final pertencerá aos Mestres dos Illuminati. Assim foi que essa captura final do Vaticano ocorreu oficialmente em 21 de junho de 1963, com a coroação do papa Paulo VI. Como os Illuminati gostam de produzir sinais simbólicos que somente os satanistas compreendem, não perderam tempo sinalizando simbolicamente que tinham finalmente conquistado o Vaticano de magia branca para sua causa. O papa Paulo VI começou a usar o símbolo satânico conhecido como Crucifixo Vergado, mostrado nesta gravura nas mãos do papa João Paulo II. Permitamos ao autor católico Piers Compton o privilégio da explicação, em seu livro The Broken Cross: Hidden Hand in the Vatican, Channel Island, Neville Spearman, 1981:

“O Crucifixo Vergado é um símbolo sinistro, usado pelos satanistas no século VI, que tinha sido reavivado no tempo do Concílio Vaticano 2. Era uma cruz vergada ou quebrada, na qual era exibida uma figura repulsiva e distorcida de Cristo, que os magos e bruxos de magia negra da Idade Média criaram para representar o termo bíblico da 'marca da besta'. Entretanto, não somente Paulo VI, mas seus sucessores, João Paulo I e João Paulo II, carregaram esse objeto e o exibiam para ser reverenciado pelas multidões, que não tinham a menor ideia de que ele representa o Anticristo” [pg 72].

O Crucifixo Vergado é um símbolo muito bem conhecido do Anticristo de magia negra para os satanistas em todo o mundo. Além disso, os satanistas conhecem bem o papel do papado na promoção desse plano da magia negra. Esse fato é a razão por que Malachi Martin mostra o crucifixo vergado na capa de seu livro Windswept House; o crucifixo vergado é mostrado de forma preeminente diante da figura em penumbra do papa ao fundo!

E assim elas ocorreram. As forças satânicas maciças da magia branca e negra cessaram de batalhar pela supremacia, juntando forças no “tempo do fim” para finalmente mover o mundo para o Reino do Anticristo, a Nova Ordem Mundial. A partir desse momento, as decisões finais foram tomadas pela liderança de alto nível dos Mestres dos Illuminati, não do Vaticano. A liderança de alto nível passou para a monarquia britânica, a Casa de Windsor. [Leia o livro Antichrist and a Cup of Tea, de Tim Cohen]; o Vaticano simplesmente passou a receber ordens, em vez de dá-las.

Essa grande fusão de todas as forças satânicas significou que os jesuítas estavam agora trabalhando para os Illuminati; não para o Vaticano. Todos os agentes dos jesuítas e todas suas organizações, agora recebem ordens dos Illuminati. Portanto, todos os eventos que ocorreram em nome da vindoura Nova Ordem Mundial após 29 de junho de 1963, ocorreram por que os Illuminati ordenaram que ocorressem. O Vaticano cessou de ser um quartel-general independente e começou a marchar em total sincronismo com a Casa de Windsor.

Posteriormente, no início de 1991, o papa foi escolhido para ser o líder religioso supremo. Como os Illuminati estão com o controle total do Vaticano agora e como planejam que o papa seja o Falso Profeta religioso de Apocalipse 13.11-18, não têm problemas em mostrar submissão publicamente, quando se encontram com ele. Assim, o papa veste-se de roupas brancas simbólicas da religião do zoroastrismo do deus-sol luciferiano, enquanto os Iluministas que se encontram com o papa vestem-se de preto, expressando subordinação.

Esse fato é o elemento-chave que o autor do livro Vatican Assassins simplesmente não compreende. Apesar disso, sua exposição sobre o Vaticano e os jesuítas é inestimável, pois documenta completamente as intrigas dos jesuítas nos longos corredores da história até o século XX. Ele também nos ajuda a compreender muitos eventos problemáticos na história mundial.

o papa Bento XVI papa não perdeu tempo em revelar suas credenciais iluministas e carregou o ocultista crucifixo vergado durante a cerimônia oficial de entronização. Além disso, ele vestia um manto adornado com conchas, um símbolo pagão que tem um vínculo direto com a deusa Vênus/Afrodite, que é uma expressão de Lúcifer.

O fato de o papa Bento XVI segurar o crucifixo vergado e vestir a mitra no formato de cabeça de peixe de Dagom demonstra sua contínua lealdade ao sistema religioso do Falso Profeta, a partir do qual o verdadeiro Falso Profeta emergirá.


MITRA DE DAGON
O deus nacional dos filisteus. Existiam templos consagrados ao deus Dagom nas cidades históricas de Gaza e Asdode (Juízes 16.21 a 30; I Samuel 5.5,6; I Crônicas 10.10). Dagom era o deus da agricultura. Tal é indicado pelo fato de terem sido mandados pelos filisteus, ao Deus de Israel, cinco ratos de ouro, semelhantes aos do campo, como sacrifício expiatório pelo pecado; o rato do campo simbolizava, talvez, aquele Deus que tinha castigado os adoradores de Dagom. Há, provavelmente, alguma ligação ao fato de que a praga era, na sua origem, uma doença transmitida pelos ratos. 
YHVH permitiu que a arca fosse tomada, para despertar e humilhar Israel e conduzi-la ao arrependimento. Mas a tomada da arca resultou em demonstração do poder de YHVH entre os filisteus. havendo recebido a Arca como presa da guerra, os filisteus depositaram-na diante do seu ídolo, Dagom, como tributo de agradecimento pela vitória. A imagem de Dagom ,por sua vez, compunha-se de metade de peixe e metade de homem, denotando a origem marítima desse povo, oriundo da ilha grega de Creta. No dia seguinte ao voltarem os sacerdotes filisteus ao templo de Dagom, descobriram que o seu ídolo estava caído de bruços no chão. Os sacerdotes recolocaram Dagom no lugar, mas, no dia seguinte, foi encontrado de novo caído diante da Arca, com as mãos e a cabeça cortadas (I Samuel 5.4). 
O Antigo Testamento se refere também a Dagom no episódio em que a Arca da Aliança foi colocada diante de Dagom (quando roubada pelos filisteus), que posteriormente, sob influência de Deus ali representada pela Arca a imagem de Dagom teve suas mão e cabeça amputadas, e posteriormente desencadeando uma "epidemia" no povo filisteu, que presume-se ser a peste bulbônica (I Samuel 5.5).

Na Bíblia, Dagon remonta ao redor do terceiro milênio, BC, muito antes do nascimento de Jesus Cristo e foi mencionado pela primeira vez em Juízes 16:23, onde os filisteus oferecidam a Dagon um grande sacrifício após seu ídolo supostamente lhes ter entregue Sansão.

Então os chefes dos filisteus se ajuntaram para oferecer um grande sacrifício ao seu deus Dagom, e para se regozijar; pois diziam: Nosso deus nos entregou o nosso inimigo Sansão em nossas mãos.
Juízes 16:23
Este é apenas um dos muitos sacrifícios rituais que vemos na Bíblia.

mitra (do grego μίτρα: cinta, faixa para a cabeça, diadema) é uma insígnia pontifical utilizada pelos prelados da Igreja Católica, da Igreja Ortodoxa e da Igreja Anglicana, sejam eles: abades, bispos, arcebispos, cardeais ou mesmo o Papa. A mitra é a cobertura de cabeça prelatícia de cerimônia.
De acordo com o livro de Joseph Ruben direito, por que os jovens que abandonam a Igreja ", A mitra é derivada diretamente das mitras do pagão antigo deus-peixe Dagon e da deusa Cibele. A mitra papal representa a cabeça de Dagon com a boca aberta, que é a razão para a forma pontiaguda e dividida ao alto". 
A Igreja tenta explicar argumentando que a forma da mitra representa as línguas de fogo que repousava sobre as cabeças dos discípulos reunidos no cenáculo, no Dia de Pentecostes, quando Deus enviou o Espírito Santo à Igreja. 
Mas a explicação da igreja não consegue descrever o olho de peixe real no lado da mitra. Talvez esta seja uma brasa de carvão vegetal a partir das línguas de fogo?
Tamuz e a Grande Babilônia

A origem da Grande Babilônia e seu sistema religioso.
















Osíris (Ninrode), Ísis (Semíramis) e Hórus (Tamuz)


A Bíblia nos conta que a origem da Grande Babilônia começa por um homem chamado Ninrode ( vem do hebraico, Marad que significa "rebelar-se". A tradução literal do seu nome poderia ser: "vamos nos revoltar").

(Gênesis 10:1ª12) Estas são as gerações dos filhos de Noé: Sem,Cam, e Jafé.......E os filhos de Cam são: Cuxe, e Mizraim, e Pute, e Canaã.....
E Cuxe gerou a Ninrode Este começou a ser poderoso na terra.....
E o principio de seu reino foi Babel, e Ereque, e Acade, e Calné, na terra de Sinar.
Desta mesma terra saiu Assíria e edificou a Nínive, e Reobote-Ir e Calá. E Resém, entre Nínive e Calá (Esta é a grande cidade). Ou seja, o principio de seu imperio já se constituía por nove reinos. Nesse tempo era toda a terra duma mesma língua, e duma mesma fala (Gênesis 11:1) Com isso sabemos que aquele antigo império era bem unificado.
Ninrode decidiu fundar esse império em desobediência à ordem que fora dada pelo Senhor em (Gênesis 9:7) Mas vós frutificai e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela.






Durante todo o pontificado de Paulo VI e de João Paulo II, o satânico crucifixo vergado foi continuamente apresentado diante das massas de fiéis católicos, que não tinham o menor conhecimento que estavam diante de um símbolo do Anticristo. Essa cena era estranhamente similar às palavras do Apocalipse 13, o capítulo que trata da Primeira Besta (o Anticristo) e a Segunda Besta (o Falso Profeta).

O Falso Profeta religioso trabalhará em favor do Anticristo, possuirá o mesmo poder ocultista que o Anticristo, e forçará todos a aceitarem o sinal da besta, ou então serem decapitados. Todas essas atividades serão realizadas em nome da Primeira Besta, o Anticristo.

Um dos versos mais importantes é aquele que mostra a imensa popularidade das duas bestas. Veja como o texto sugere que as pessoas estarão sob algum tipo de encantamento sobrenatural que as fará amarem imensamente esses dois líderes mundiais:

“E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta. E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?” (Apocalipse 13.3-4).

Embora o evento específico que disparará essa demonstração de amor e admiração pelas duas bestas será a tentativa de assassinato do Anticristo, acredito que esse verso revela a profundidade do amor que as pessoas demonstrarão pelo Anticristo e pelo Falso Profeta antes de o Anticristo quase ser assassinado. As pessoas realmente amarão esses dois homens!
Acredito que elas terão sido pré-condicionadas por um poder sobrenatural como o produzido pelo uso de um símbolo poderoso, como o crucifixo vergado. O que é esse crucifixo vergado, quando foi introduzido na adoração luciferiana e por quem?

Para obtermos a resposta para essas perguntas, vamos ver o que diz um autor católico, Piers Compton, em seu livro The Broken Cross: Hidden Hand in the Vatican, Channel Island, Neville Spearm, 1981.

Na página 56, Compton mostra uma gravura do papa João Paulo II, segurando essa cruz vergada ou quebrada, exatamente como na fotografia que mostra Bento XVI.

Portanto, ambos os papas, João Paulo II e Bento XVI estão dizendo a todos os ocultistas no mundo inteiro que não são papas tradicionais, mas estão compromissados em executar o papel de 'Líder Religioso Global', conforme previsto no plano da Nova Ordem Mundial. Outro autor católico romano, Malachi Martin, faz essa mesma asserção em seu livro The Keys to This Blood — que o papa João Paulo II está compromissado com o plano da Nova Ordem Mundial.

Como você pode ver, o crucifixo que o papa está segurando diante da multidão não é o crucifixo tradicional, mas a cruz vergada, ou quebrada! Esse crucifixo vergado foi criado por satanistas para representar o Anticristo e sua marca da besta! O crucifixo tradicional mostra uma figura completa de Jesus Cristo pendurado na cruz, o que é um anátema para um cristão bíblico; mas, esse crucifixo mostra um Jesus Cristo muito magro e debilitado, parecendo uma vítima da fome, pendurado pateticamente na cruz, com seus braços e pernas terrivelmente finos e fracos. Além disso, observe que os braços horizontais da cruz encurvam-se acentuadamente para baixo.

Esse crucifixo vergado foi criado por satanistas — feiticeiros e magos — na Idade Média, foi adotado pelos Mestres dos Illuminati algum tempo após 1776 e exibido pela primeira vez pelo papa Paulo VI em 1963. O simbolismo era muito claro: Os Illuminati tinham tomado o controle do Vaticano e a feitiçaria de magia negra era agora a religião oficial do Vaticano! A partir desse momento, o Vaticano estava verdadeiramente fazendo jus ao significado original do seu nome: vaticinar, adivinhar o futuro, profetizar.

Muito em breve, você verá o aparecimento de um líder global, afirmando ser o Cristo, que afirmará ser Jesus Cristo que retornou, o Messias judaico, a figura Avatar que todas as principais religiões estão aguardando, tudo em um único homem. Esse será o Anticristo. Logo em seguida, um líder religioso global se apresentará para ajudar o Anticristo; esse líder religioso possuirá os mesmos poderes milagrosos do Anticristo. Nesse momento, a profecia de Apocalipse 13:11-14 será cumprida; esse líder religioso global será o bíblico Falso Profeta.

O plano da Nova Ordem Internacional propõe que esse líder religioso global (o Falso Profeta) seja o papa católico romano e, certamente, o uso que João Paulo II fez do satânico crucifixo vergado é coerente com essa parte do plano.

O fato de o papa Bento XVI segurar o crucifixo vergado e vestir a mitra no formato de cabeça de peixe de Dagom demonstra sua contínua lealdade ao sistema religioso do Falso Profeta, a partir do qual o verdadeiro Falso Profeta emergirá.

O único fato que desejo indicar são as duas grandes conchas mostradas de forma proeminente na frente do manto dourado do papa. Normalmente, as pessoas não dariam maior importância às conchas, pois elas são uma peça de decoração comum em muitos lares em todo o mundo. Sem dúvida, muitos de vocês têm algum objeto de decoração com conchas em sua casa ou no escritório.

Entretanto, como esse manto adornado de forma tão proeminente para um líder religioso vestir durante uma missa de coroação — está sendo usado em uma cerimônia religiosa pagã, é dentro do sistema religioso pagão que precisamos procurar uma interpretação.

Quando vamos ao mundo religioso pagão para ver o significado oculto e esotérico das conchas, uma revelação muito chocante é descoberta! Que significado os pagãos atribuem às conchas? Eles acreditam que representamLúcifer!!

A concha é igual ao lótus oriental e, como tal, representa Vênus e Afrodite, com o mais profundo significado apontando diretamente para Lúcifer! De acordo com a tradição ocultista, “Buda nasceu da pedme (lótus), enquanto Afrodite nasceu da concha marinha” [Universe in Chinese — Japanese — Budism].

A autora cristã Cathy Burns também vincula firmemente Afrodite com Vênus — elas são o mesmo tipo de deusas.

“Como acaba de ser mencionado, Cupido (Eros) era o filho de Vênus (Afrodite). A partir de Eros, temos a palavra 'erótico' e Vênus também era considerada pelos romanos a deusa do amor erótico” [Dra. Cathy Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated, pg 168].

A Dra. Cathy Burn agora capta a essência dessa crença que Vênus é Lúcifer, mantida pelos antigos e modernos praticantes do ocultismo.

“'Lúcifer prepara o homem em todos os modos para a experiência crística e o Cristo prepara o homem para a experiência de Deus. Mas a luz que revela para nós a presença do Cristo vem de Lúcifer. Ele é aquele que dá a luz. Ele é apropriadamente chamado de Estrela da Manhã porque é sua luz que anuncia para o homem a alvorada de uma maior consciência. Ele está presente quando essa alvorada é realizada... Cristo é a mesma força que Lúcifer, mas movendo-se aparentemente na direção oposta'” [Dra. Burns, citando David Spangler, "Finding Heaven On Earth", New Age Journal, jan/fev 1988, vol. 4, Issue 1, reimpresso emMasonic and Occult Symbols Illustrated, pg 188].

A Dra. Burns então conclui: “Logicamente, citações como esta não são realmente surpreendentes, pois os próprios maçons... nos dizem que Lúcifer (ou Vênus) é o portador da luz e a Estrela da Manhã. Helena Petrovna Blavatsky escreve sobre os druidas, magos e zoroastristas saudando a Estrela da Manhã — a bela Vênus/Lúcifer” [Ibidem].

Portanto, o simbolismo da concha na tradição ocultista é bem claro:
Concha = Afrodite = Vênus = Lúcifer.

Agora sabemos a chocante verdade sobre essas conchas no manto usado pelo papa Bento XVI em 24 de abril de 2005, durante a Missa de Entronização: ele estava vestido com o manto de Lúcifer.

Mas, por que deveríamos nos surpreender? Ele está carregando o repugnante crucifixo vergado de Lúcifer e está usando a terrível mitra do deus-peixe Dagom. Além disso, ao mesmo tempo em que está anunciando para o mundo a realidade simbólica que está servindo a Lúcifer, as massas sem discernimento de fiéis católicos o saudarão daqui para frente, "maravilhando-se após a besta".

Você foi advertido de antemão. Uma gravura vale mais do que mil palavras e essas fotos do crucifixo vergado rotulam o papa Bento XVI (o cardeal Joseph Ratzinger) como outro papa que está a serviço dos Illuminati, na mesma linha de Paulo VI e João Paulo II.

Com esses chocantes e claros simbolismos do Anticristo e do Falso Profeta, o cristão com discernimento pode saber com certeza que o plano para o aparecimento do Anticristo está nos trilhos e chegando perto de sua conclusão. Lembre-se que de acordo com as profecias de São Malaquias referentes aos 112 papas, Bento XVI é o penúltimo papa.

OS PLANOS GLOBAIS DO VATICANO

Séculos de paciente aspiração, trama, planejamento e subterfúgio político finalmente produziram frutos, pois a União Européia (UE) parece ser o protótipo dos planos do Vaticano para um governo mundial. Quem estuda as palavras oficiais de um papa anterior sobre a “Autoridade Mundial Efetiva” e está plenamente ciente do que já foi feito na UE, pode imaginar o quão perto estamos de um Código Penal Internacional, de um Promotor Mundial e da rotulação progressiva das igrejas bíblicas como "seitas". O que está acontecendo na Europa foi destacado pelo jornal britânico The Sunday Telegraph, de 20/10/2000:

“O governo Blair está se preparando para transferir importantes rédeas de poder a Bruxelas, na reunião de cúpula em Nice, em dezembro. Já sinalizou sua intenção de renunciar ao veto em muitas áreas existentes; de aceitar uma Constituição escrita para a União Européia (conhecida como Carta dos Direitos Fundamentais); de aprovar medidas adicionais para permitir a formação de um exército e de uma polícia européia; e até mesmo permitir que a União Européia crie seu próprio Código Penal, com um Promotor Europeu”.

“É intenção expressa da Comissão da UE e do presidente do Parlamento Europeu, Don Gil Robles, que esse sistema seja o 'embrião de um Código Penal Europeu' que será posteriormente estendido a todos os tipos de crime. Nos dias 8 e 9 de novembro de 1998, houve uma Conferência Interparlamentar em Estrasburgo em que o projeto do Corpus Juris foi apresentado para consideração informal. Os representantes de quatorze estados-membros expressaram concordância total com a ideia”.

É desconcertante perceber que a UE esteja considerando uma legislação parecida com a prática judicial histórica da Igreja Católica Romana. Não existem os princípios básicos do Direito, como a pressuposição da inocência do réu e os trâmites judiciais necessários para salvaguardar a liberdade e a honra do acusado; o preso não tem o direito de ficar calado, de solicitar um advogado, etc. Seria coincidência? Ou será a repetição da história? Por séculos no passado, a Igreja de Roma empregou governos títeres para manter seu povo submisso e unido. Durante vários séculos, manteve promotores seculares e um sistema inquisitorial para aplicar penas contra aquilo que considerava heresia. As pessoas precisam perguntar qual será o derradeiro propósito do papado ao interferir nos assuntos europeus e internacionais e qual é a estrutura do papado que lhe daria poder político internacional para alcançar esses objetivos.

Parece que o objetivo da hierarquia da Igreja Católica de restaurar o Santo Império Romano está sendo realizado em escala mundial. Pondo de lado a simples estrutura organizacional bíblica da noiva de Cristo, a Igreja Católica expõe nitidamente a estrutura por meio da qual controla sua própria casa. Sua estrutura de poder é centralizada e totalmente ditatorial. A Igreja Católica Romana é um sistema de homens cuidadosamente estabelecidos em ordens de comando, trajando vestimentas que representam os postos hierárquicos. O papa detém a autoridade absoluta em seu Império: “Em virtude do seu ofício, o Supremo Pontífice possui infalibilidade em seus ensinos quando, como supremo pastor e mestre de todos os fiéis cristãos... proclama por meio de um ato definitivo que uma doutrina de fé ou de moral deve ser seguida". "Não existe apelo ou recurso contra uma sentença ou um decreto do Pontífice Romano”. É, então, nesse momento que a “dignidade os direitos fundamentais dos indivíduos e das comunidades” deixa de existir.

Agora você pode entender por que o papa João Paulo II restabeleceu o Tribunal de Inquisição (chamado de Congregação para a Doutrina da Fé), com o ex-cardeal Ratzinger no comando. Juntando-se todos os demais sinais de que estamos no fim dos tempos, essas notícias devem ser recebidas com extrema cautela e com muita oração intercessória, pois a época da “aniquilação dos santos” pode estar bem próxima.





1. A Imposição do Poder.

A Igreja Católica Romana impõe suas rigorosas regras religiosas aos homens e às suas consciências. Quanto a isso, ela afirma que o papa é infalível e ninguém pode julgá-lo. O católico batizado deve assumir uma submissão fiel de vontade e de intelecto aos seus ensinos, mesmo quando esses não estejam definidos como infalíveis. Ela declara: “Essa submissão fiel da vontade e do intelecto deve ser feita, de forma especial, à autoridade esclarecedora autêntica do Pontífice Romano, mesmo quando ele não fala ex cathedra...” A Igreja Católica exerce autoridade sobre cerca de 814.779 mulheres que são freiras, 57.813 homens que ela chama de irmãos religiosos e 404.626 homens que chama de seus sacerdotes. Para as freiras, um voto de obediência, estranho ao pensamento bíblico, impõe a submissão. Sua Lei Canônica #601 ensina que “o conselho evangélico de obediência, realizado num espírito de fé e amor na obediência a Cristo, que foi obediente até a morte, requer uma submissão da vontade aos superiores legítimos, que ocupam o lugar de Deus quando comandam segundo as constituições adequadas”.

A obediência ao Senhor Jesus Cristo, da forma como é ordenada na Bíblia, é pervertida no mundo católico à obediência a um superior local que “atua no lugar de Deus”. Cada superior local presta contas ao seu supervisor imediato na rede de comando, uma progressão crescente que culmina no papa. A Igreja Romana chega ao ponto de declarar: “Os religiosos podem ser coagidos, por meio de penalidades, pelo responsável local (o bispo) de todas as maneiras às quais estão sujeitos a ele” (Cânon 1320; ênfase adicionada).

Ordens como essa estão em desacordo com os mandamentos bíblicos do Senhor aos seus servos:
“Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos” (Mateus 23.8).

“... sede todos sujeitos uns aos outros ...” (1ª Pedro 5.5).

“Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão” (Gálatas 5.1).

Na verdade, o papado não pode apontar um modelo no Novo Testamento que justifique sua estrutura hierárquica. E também vai de encontro à lei federal e estadual que não permite que um poder estrangeiro coaja um cidadão norte-americano.

2. O Soberano Poder Pontifício e os Evangélicos Ingênuos.

Alguns evangélicos que costumavam alertar sobre o “governo mundial” agora parecem estar correndo para os braços dessa “autoridade central”. Eles se recusam a reconhecer o que a Igreja Católica é e a forma como opera - não como uma igreja, mas como um império sócio-político. Por exemplo, Charles Colson, Timothy George, Os Guinness, Richard Land, Max Lucado, T. M. Moore, Mark A. Noll e J. I. Packer endossaram “O Dom da Salvação”, um documento que começa com a seguinte declaração: “Damos graças a Deus porque nos últimos anos muitos evangélicos e católicos têm sido capazes de expressar uma fé comum em Cristo e de reconhecer uns aos outros como irmãos e irmãs em Cristo, inclusive nós mesmos”.

Se Cristo fosse o único Senhor e Mestre deles, não se uniriam ao sistema do “Soberano Pontífice João Paulo II”. Essa lamentável ocorrência dentro de círculos cristãos evangélicos nos dias atuais serve como prova de que a apostasia profetizada está em plena marcha aqui e agora e com esses líderes. Não podemos saber, mas é bem provável que esses líderes evangélicos, que cometeram a besteira de assinar esse documento e que levaram seus rebanhos a crer nesses princípios, vivam o suficiente para ver o leão romano “bramando e buscando a quem possa tragar”.


Finalmente, o fato de tantas igrejas liberais e apóstatas, junto com suas organizações, estarem se aliando com o papa, também as credencia como sendo forças do Anticristo. Por quê? Porque o papa já foi selecionado com o líder religioso da Religião da Nova Ordem Mundial, um posto que o coloca como o Falso Profeta de Apocalipse 13.11-18.


Os líderes evangélicos maçons estão cooperando mais de perto com esse futuro Falso Profeta! A luta contra o aborto provavelmente contribuiu para essa união entre evangélicos e os católicos romanos, pois membros sinceros de ambas as igrejas uniram seus esforços para lutar contra o aborto. É triste, mas é a verdade. O movimento Promise Keepers é outro exemplo de união entre católicos e evangélicos. Logo estaremos todos adorando na mesma “igreja”, a igreja do Anticristo. Uma igreja global oficial já foi formada, e está no processo de definição. Por isso informamos que uma igreja global, chamada Religiões Unidas, foi formada em junho de 1997. Eles dizem ser o “equivalente espiritual das Nações Unidas” e planejam estar totalmente formados por volta de junho de 2000. Este é o mesmo ano que todos os outros aspectos do plano da Nova Ordem Mundial estarão totalmente funcionais, para terem seus planos ambiciosos totalmente implementados!!

Sr. pastor e líder da igreja, caia de joelhos agora, e arrependa-se desse pecado. Embora seja grande, você sabe que ele pode ser perdoado. Converta-se antes que o Julgamento de Deus caia sobre você.

A todos os outros cristãos que têm depositado fé cega em seus pastores e líderes, pedimos que compreendam a verdade, embora possam achar muito difícil fazer isso. Neste período do fim dos tempos, de engano espiritual sem precedentes, você não deve seguir cegamente a homem algum, nem a organizações humanas; é necessário examinar as Escrituras e “provar os espíritos”, para ver se são de Deus ou do Diabo. Sua vida eterna está em jogo!!

O simples fato de tantos líderes cristãos poderem ser falsos profetas, lobos em pele de ovelha, é um sinal seguro que o fim dos tempos está muito próximo! O apóstolo Paulo disse em 2ª Tessalonicenses 2.1-12, que o Anticristo não poderá aparecer até que a apostasia da igreja esteja completa e até que o Espírito Santo, que restringe o mal, seja tirado do caminho.

Verdadeiramente, você não pode encontrar um exemplo mais completo de apostasia da igreja que o fato de muitos dos nossos pastores e líderes serem maçons.

Neste fim dos tempos, quando o engano sem paralelos é a ordem do dia, precisamos depender das Escrituras, não de líderes humanos! Se você estiver lendo as Escrituras quando o Anticristo aparecer, não será enganado e convencido a segui-lo.

O fim está muito próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.