http://filotec.com.br

http://filosofiaetecnologia.blog.br
ECONOMIA TECNOLOGIA FILOSOFIA SAUDE POLÍTICA GENERALIDADES CIÊNCIA AUTOHEMOTERAPIA NOSSOS VÍDEOS FACEBOOK NOSSAS PÁGINAS

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O INFERNO NÃO É DEPOIS. ELE ESTÁ AQUI MESMO NO ROCK IN RIO.

EXPERIÊNCIAS HIPNÓTICAS DE FREUD
Existem várias formas de se hipnotizar. O Hipnotismo foi primeiramente utilizado pelo pai da psicanálise, Sigmund Freud. 


Durante o transe hipnótico o hipnotizado fica com o inconsciente plenamente ativo e se desliga do consciente. 


Tanto é que após o transe hipnótico o hipnotizado não se recorda do que aconteceu durante o transe. Com o inconsciente plenamente ativo, o hipnotizado recorda-se de tudo que lhe ocorreu durante a vida desde que estava no útero materno e era apenas um feto. 


Tudo que lhe ocorreu durante toda a sua vida pode ser recordado sem faltar nenhum detalhe. 


Dessa  forma o psicanlista pode conduzir o paciente até o momento do trauma que produz no paciente fobias, e reações as mais diversas manifestadas como consequência de uma reação do inconsciente a esse trauma que ele passou.

O hipnotismo dessa forma pode conduzir pessoas a comportamentos que seriam direcionados ao bem mas também ao mal. Um hábil hipnotizador pode hipnotizar pessoas, até em grupos e essas pessoas irão fazer o que ele quiser desde que não atentem contra a vontade do inconsciente que é o ser interior de cada indivíduo.

Melhor explicando. Uma pessoa hipnotizada não seria um escravo que estaria na mão de quem o conduzisse. Embora hipnotizado o ser continua tendo uma certa auto-determinação que o impediria de fazer sexo contra a vontade ou de matar uma pessoa se isso atentar contra seus valores morais, mas pode ser induzido por artifícios de má fé que viessem a enganar o hipnotizado, de forma que fosse mascarado o verdadeiro objetivo do hipnotizador.

Dessa forma há a possibilidade de se proceder a hipnotização coletiva de verdadeira massa de expectadores. 

Demônios não perdem portanto a chance de se aproveitar desses enclaves coletivos para levar multidões a um delírio e literalmente deixa-las hipnotizadas, com a visão do INFERNO sem que para isso tenham necessáriamente que ir para lá. Já podem visualiza-lo e vibrar na sua faixa infernal aqui mesmo no Rock in Rio.

Veja pelas fotos se não é verdade o que estou falando.
SE ESSA FOTO LEMBRA O AMBIENTE TREVOSO INFERNAL, NÃO É MERA COICIDENCIA. O OBJETIVO ERA ESSE MESMO. VEJA O SIMBOLO SATÂNICO ENVOLVIDO.



10 fatos macabros “comprovam”: METAL é coisa do capeta.



Publicado originalmente no Virgula

Desde o surgimento do rock, foi criada uma lendária ligação com o capeta, com o satanismo, e até hoje ainda encontramos pessoas que relacionam o Rock’n’Roll e o Blues com o demônio.


Principalmente quando estamos falando do blues, podemos nos lembrar de histórias das encruzilhadas no sul dos Estados Unidos, onde músicos “vendiam” suas almas e sua fé para o Diabo em troca de sucesso com os instrumentos musicais e fama.


A Igreja (católica) também costumava “atacar” o rock por se tratar de uma forma de se rebelar e instigar a violência, a agressão, o sexo, a luxúria e revoltas, além de acusar esse estilo musical venerado por muitos de ser contra a sociedade, a religião e também contra Deus.


O principal argumento da Igreja era o seguinte: o Rock’n’Roll ataca tudo que possa impedir a perseguição completamente desinibida do prazer, e essa busca desenfreada do prazer seria condenada pelos religiosos.


Aparentemente, este argumento e as acusações de satanismo não fizeram efeito nos roqueiros, que continuam por aí, fazendo o que sabem de melhor: o bom e velho ROCK!


Listamos dez fatos dessa lendária ligação do rock com Lúcifer. Veja se concorda com eles!
Para começar, nada melhor que a música Sympathy For The Devil (“Simpatia pelo Diabo”), dos Rolling Stones, que deve levar os religiosos à loucura. Os Rolling Stones ganharam várias acusações de satanismo e ligação com o Diabo por causa dessa música, uma composição de Mick Jagger inspirada no livro “O Mestre e Margarida”, de Mikhail Bulgakov.

SEMPRE VESTIDOS DE PRETO E COM ADORNOS QUE LEMBRAM CAVEIRAS E FOGO, ASSIM SÃO
NORMALMENTE AS BANDAS DE ROCK. SERÁ QUE SÓ PARA VARIAR NÃO PODIA SURGIR UMA
QUE SE VESTISSE DE BRANCO E FALASSE DE AMOR. DE PAZ, DE FLORES E DO CÉU?
MELHOR AINDA, FALASSE DE JESUS?


Os Roling Stones são muito famosos como seguidores de uma seita satanica. Veja abaixo.

A intenção de Mick Jagger e Keith Richards ao compor ‘Sympathy for the Devil’ era fazer dela um samba-rock (seja lá o que eles quiseram dizer com isso ). Entendendo pouco de samba e muito de rock, a música foi criada por eles logo após visitarem um terreiro de candomblé em uma excursão no Brasil. Era típico na época, e talvez ainda seja, levar turistas para conhecer esse tipo de coisa: carnaval, macumbeiros e vadias que colaboraram para fazer com que até hoje no exterior, todo mundo ache que mulher brasileira é prostituta por natureza.

Sympathy for the Devil foi lançada no disco Beggars Banquet de 1968 um dos álbuns mais políticos da banda, que contém outras pérolas como Street Fighting Man e Salt of the Earth. Este disco foi o responsável por dar aos Rollings Stones a imagem de seguidores do diabo, o que foi posteriormente reforçado com o lançamento na obra seguinte, o psicodélico, ''Their satanic majesties request''.

Antes de Sympathy for the Devil nunca uma música sobre o diabo havia tido tanta popularidade, sendo cantada coletivamente por grandes multidões nos shows dos Stones. Curiosamente, durante uma execução dela no festival de Altamont em dezembro de 1969, um espectador foi assassinado a facadas e as imagens registradas e publicadas no filme oficial do Show, levando o oportunista Jagger a comentar que algo estranho sempre acontecia quando tocavam a canção. Mais tarde, Jagger afirmou que Lavey foi uma das grandes inspirações para Sympathy for the Devil – pura balela – ele já deu um zilhão de versões para a origem da música.


Mas como aqui o que importa é a mensagem satanista. A melhor versão de hit é, entretanto, encontrada no álbum ao vivo, FlashPoint, gravado muitos anos depois em 1991, que tem a honra de trazer em sua lista outras músicas não menos satânicas como a imortal “Paint if Black”.




Tradução de Sympathy For The Devil(Simpatia pelo Diabo)



Por favor, deixe-me apresentar
Sou um homem rico e de bom gosto
Estive por aí por muitos anos
Roubei a alma e destino de muitos homens.
Estava lá quando Jesus Cristo
Teve seu momento de indecisão e dor.
Certifiquei me de que Pilatos
Lavasse suas mãos e selasse seu destino.
Prazer em conhecê-lo
Espero que adivinhe meu nome.
Mas o que está te intrigando
É a natureza de meu jogo.
Estava por perto em São Petersburgo
Quando vi que estava na hora de uma mudança.
Matei o Czar e seu ministros
Anastazia gritou em vão.
Montei em um tanque
Mantive a posição de General
Quando a guerra relâmpago enfureceu
E os corpos fediam.
Prazer em conhecê-lo
Espero que adivinhe meu nome.
Mas o que está te intrigando
É a natureza de meu jogo.
Assisti com alegria
Enquanto seus Reis e Rainhas
Lutaram por dez décadas
Pelos Deuses que criaram.
Gritei alto"Quem matou os Kennedys?"
Quando, no final das contas,
Fui eu e você.
Por favor, deixe-me apresentar
Sou um homem rico e de bom gosto.
Deixei armadilhas para os trovadores
Que acabaram mortos antes de alcançar Bombay.
Assim como todo policial é um criminoso
E todos os pecadores são santos
E cabeças são caudas.
Simplesmente me chame de Lúcifer
Porque preciso de algum nome.
Então se encontrar-me
Seja cortêz,Seja simpático e tenha bom gosto
Use de toda etiqueta que conhece
Ou então tomarei sua alma.
Prazer em conhecê-lo
Espero que adivinhe meu nome
Mas o que está o confundindo
É a natureza de meu jogo.

De fato os RolingStones não escarnecem da Fé. Eles tem a sua própria Fé. Eles adoram o Diabo e são por ele protegidos.

Mick Jagger, lider dos Roliong stones declarou o seguinte: "Um dia eu sei que vou ter que prestar contas com o Diabo, mas enquanto esse dia não chegar, eu não estou nem ai"

Isso demonstra claramente que essa banda a exemplo provavelmente de outras, tem pactos demoníacos, e por isso são protegidos pelas forças das trevas, que as protegem para que assim se obtenha mais adeptos. É o mesmo exemplo de bandas como BLACK SABBAT, IRON MADEN e outras que trazem entampados em suas camisetas figuras satânicas, com caveiras para todo lado.


Assim como os Rolling Stones, o AC/DC também foi acusado de satanismo. A banda australiana lançou o álbum Highway to Hell (Estrada para o Inferno) em 1979 e, em 1980 no álbum Back in Black, lançou mais uma música polêmica: Hell’s Bells (Sinos do Inferno). A situação dos roqueiros do AC/DC “piorou” quando um assassino psicopata disse que era influenciado pelo som dos caras quando matava as pessoas. Eu, hein?!

No show do Rock in Rio eu vi uma banda que mais parece a imagem do inferno praticando blasfêmias contra Deus. Devo lembrar a passagem de Galatas.


Galatas 6:7 - Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.


Um examplo do dito acima foi o que aconteceu com Bon Scott, autor da musica "ESTRADA PARA O INFERNO".



Morte

Sua morte até hoje não foi bem explicada, após a turnê de divulgaçao do álbum Highway to Hell pela Europa, Bon resolveu passar uns dias em Londres, para rever amigos. A tragédia teve início numa tradicional noite de bebedeira, coisa que Bon estava realmente acostumado. Bon e um amigo seu, chamado Alistar Kinnear, foram tomar alguns drinks no Music Machine, um clube noturno localizado em Camden Town. Depois de muitas rodadas, a dupla foi para Ashby Court, onde Bon vivia naquela época. No caminho, Bon "apagou" no banco de trás do veículo. Kinnear não deu muita bola e seguiu adiante. Quando chegou na casa do vocalista do AC/DC, Kinnear tentou acordar Bon e levá-lo para a cama, porém não conseguiu acordar seu companheiro, que estava num avançado estado de embriaguez. Kinnear desistiu da idéia e seguiu dirigindo para seu próprio apartamento. Chegando lá, nova tentativa frustrada de tirar o amigo bêbado do veículo. O jeito foi deixar Bon ‘dormindo’ no banco de trás do automóvel, um Renault 5. Quando Kinnear voltou na manhã seguinte para ver seu amigo, já era tarde demais. Bon estava morto, praticamente congelado dentro do pequeno automóvel. O sujeito ainda levou o amigo às pressas para o Kings College Hospital, de Londres, que declarou que o músico já chegou sem vida nas dependências do pronto socorro. O atestado de óbito informou que Bon Scott havia falecido em decorrência de envenenamento alcoólico agudo e ‘death by misadventure’ (morte por desventura, ou por desgraça). Nos jornais da época foi também noticiado que o músico teria se sufocado com o próprio vômito e que a baixa temperatura da madrugada e suas constantes crises de asma colaboraram para a tragédia daquela fria manhã de 19 de fevereiro de 1980, um dos dias mais tristes do rock n’ roll.



Iron Maiden, banda britânica de heavy metal que possui um morto-vivo como mascote (Eddie), passou por situação similar ao AC/DC quando lançou o álbum The Number of The Beast (O Número da Besta) em 1982. A música que dá nome ao álbum começa provocando com uma citação retirada da Bíblia, do Apocalipse (cap. XIII, vers. 18):
“Maldito seja, Ó Terra e Mar, O Demônio manda a besta com fúria, porque ele sabe que o tempo é curto… Deixe aquele que ousa tentar entender O número da besta… é um número humano, seu número é seiscentos e sessenta e seis.” (Tradução livre)
Para quem não sabe, essa música foi escrita por Steve Harris, baixista e líder do Iron Maiden, a partir de um pesadelo que o roqueiro teve após assistir “A Profecia 2”. Mesmo assim, os caras do Iron passaram a ser relacionados com o satanismo.


Muitas pessoas também afirmam que diversas músicas do Led Zeppelin possuem inúmeras mensagens satânicas subliminares escondias. O caso mais comentado é da música Stairway To Heaven (Escadaria para o Paraíso), que quando tocada de trás para a frente se transforma em várias frases “pró-Satã”. Alguns exemplos: “Your stairway lies on the whispering wind” escutada ao inverso faz surgir a mensagem “I will sing because I live with Satan” (eu vou cantar porque vivo com Satan) e “There’s still time..” quando ouvido ao inverso faz surgir a mensagem “oh it’s my sweet Satan” (oh, é o meu doce Satan). Será? Há muitos vídeos na internet tentando provar isso! Dizem também queJimmy Page, guitarrista da banda, era um estudioso fervoroso de Aleister Crowley, um bruxo inglês. O maior satanista de todos os tempos.


Apesar de não falar sobre satanismo ou ter letras de músicas desse cunho, a banda Kiss acabou sendo relacionada com o capeta devido o visual dos integrantes da banda, principalmente de Gene Simmons, que cospia fogo, “vomitava” sangue e ficava colocando aquela língua enorme para fora!


Ozzy Osbourne, ex-vocalista do Black Sabbath, é conhecido como “Príncipe das Trevas”, por morder morcegos em shows e desenvolver um visual demoníaco, usando uma maquiagem pesada, chegando a colocar até lentes de contato vermelhas. Chegaram até a chamar Ozzy de “Anticristo”! Mas é só aparência mesmo… “Não sou o tipo de pessoa que você pensa que sou, Não sou o anti-cristo, ou o homem de ferro”.


Dizem por aí que o codinome de Vincent Damon Furnier, Alice Cooper, foi sugerido por um espírito, em um Tabuleiro de Ouija (uma espécie de “jogo do copo” que conhecemos no Brasil). Segundo o próprio Alice Cooper, o visual com toda aquela maquiagem também seria uma sugestão do “amigo do além”.


Robert Johnson, um músico do Blues da década de 1930, afirmou ter realizado um pacto com o demônio em uma encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississippi (Estados Unidos)!


Até mesmo os Beatles foram acusados de satanismo, acredite ou não! John Lennon, assim comoJimmy Page, era estudioso do bruxo Aleister Crowley e colocou suas influências no álbum Sgt. Pepper.


A banda Twisted Sisters causou muita polêmica com a música Burn in Hell, que “convidava” as pessoas a queimar no inferno.



4 comentários:

  1. Isso só pode ser uma piada. Lendo alguns textos imagino que vc tenha entre 12 e 15 anos tamanha idiotice e infantilidade.
    Vou até divulgrar pra servir de exemplo de como o radicalismo religioso deixa uma pessoa transtornada e debil mentalmente. Patético e constrangedor.

    ResponderExcluir
  2. Prezado
    Não é uma questão de opinião. As evidencias estão ai para quem quiser ver. As bandas de rock não escondem o seu ideologismo macabro. Se isso é apenas uma brincadeira tipo Halloween, tudo bem, mas querer dizer que eles falam de amor é imaginar-nos cegos. Nós atraimos aquilo que cultivamos. Se queres cultivar as trevas, é um direito seu. Terás depois muitos séculos após sua morte para lamentar isso. Quanto a mim prefiro cultivar o amor e a paz. É melhor e faz crescer.

    ResponderExcluir
  3. Bem, em nenhum momento eu disse que o rock fala de amor. Na verdade o grande erro do seu texto é generalizar. O rock não fala só de amor, como também não é so satanista ou algo parecido. O rock é muito mais do que isso. O rock antes de mais nada é música.
    Acredito que vc deva ser uma pessoa inteligente e uma pessoa de bom carater, mas em que momento do texto eu escrevi que quero cultivar trevas???
    É essa maneira binária de ver as coisas que não faz sentido, se não é de Deus é do Capeta. O fato de eu discordar do seu texto é o suficiente pra vc me qualificar como um semeador do mal !!! Como assim?? Vc prefere cultivar o amor, se auto proclamando a voz de Deus??? Quem te disse que vc vai ser salvo ou algo parecido???
    Cada um de nós é um universo de opiniões e devemos aceita-las.
    Eu por exemplo acho alguns cultos evangélicos muito mais demoniacos do que um show de rock. Multidões histéricas, gente se debatendo, lavagem cerebral, gritaria, humilhações, e principalmente exploração financeira através da fé. Nesses cultos se fala muito mais no diabo do que em qualquer outro lugar e o pior é que ele é apresentado muito mais poderoso do que deveria ser, já que tudo de ruim que acontece é culpa do Demo. Deu uma topada? foi o dito cujo. Foi chifrado? O chifre que levou é culpa do chifrudo do mal?? É pinguço? culpa do cramulhão. Ser pobre, feio, gordo, solitário, mal amado, tem hemorróidas? Tudo é culpa do Sr das trevas...
    Por favor, menos...

    ResponderExcluir
  4. Prezado Danilo Sérgio.
    Você tem razão em muitas coisas. Realmente o Rock é apenas um Gênero Musical que eu inclusive aprecio. Gosto muito dos "Paralamas" por exemplo. Gosto dos Beatles, sou seu fã e eles falam muito de Amor. Não de sexo, porque uma coisa é diferente da outra. Realmente certas religiões são pra lá de suspeitas. Não as endosso, e nem falo aqui como um evangélico, embora tenha minha religião, mas entendo perfeitamente o seu ponto de vista, entretanto por estudos que já fiz e investigações também, algumas bandas e até cantores, fizeram acertos para conseguir sucesso e isso teve e tem um preço. Não que todos os artistas possam ser colocados no mesmo saco. Não absolutamente e nem que tenhamos que condenar o Gênero Musical mistificando-o como comprometido com as trevas, entretanto esteja certo de uma coisa. Somos profundamente responsaveis pela influência que exercemos. Entaõ se uma banda de Rock advoga o slogan "SEXO, DROGAS E ROCK AND ROLL", e isso influencia milhares de jovens ao redor do mundo, jovens esses que não tem personalidade e que estão em busca de uma liderança que dê enfase às suas revoltas contra uma sociedade corrompida e podre, esses INFLUENCIADORES serão responsabilizados pela desgraça e sofrimento que irão causar a um grande número de devotos seguidores. Mas quem irá lhes cobrar? Boa pergunta. Talvez ninguém, se estivessemos adstritos à justiça humana, mas como eu acredito que existe uma justiça maior, eu acredito que serão cobrados. Ontem eu vi uma entrevista com a cantora Paula Fernandes. É a cantora de maior sucesso da atualidade. Considera-se CARETA. Não fuma, não bebe, não usa piercing, não se tatua, não sabe o gosto que tem uma cerveja. Dá um bom exemplo. Tem personalidade, porque não usa um estereótipo consagrado para ser aceita. Passa sua influência "DIFERENTE". Isso é ter personalidade em um mundo em que o slogan "SEXO, DROGAS E ROCK AND ROLL" revelou-se uma furada que os digam os apologistas, papas, deuses dessa filosofia, todos trágicamente já falecidos. Quanto ao Rock, encontrarás aqui mesmo postagens sobre ele, e sobre o conjunto Diario do Rock.

    ResponderExcluir

Todos podem comentar e seus comentários receberão uma resposta e uma atenção personalizada. Seu comentário é muito bem vindo. Esse espaço é para participar. Te aguardamos e queremos seu comentário, mesmo desfavorável. Eles não receberão censura. Poderão apenas receber respostas, ou tréplicas.

SOMOS TODOS CHAPECOENSES